banner_arte_02

ASSIM COMIA A HUMANIDADE!

Há muito tempo atrás, no tempo em que os animais falavam e os políticos não roubavam tanto, a Capital Federal ainda era no Rio de Janeiro. Nos tempos de D. João Charuto, os deputados e senadores tinham suas garçonnières.

As garçonnières eram pequenos apartamentos, em prédios discretos, uns cafofos decorados com espelhos por todo canto, abajur lilás, eletrola com discos de bolero, cama com colcha de chenille, garrafas de uísque e um porta-gelo em formato de maçã.

Esses “abatedouros” serviam para que os parlamentares tivessem encontros furtivos com vedetes de teatro, balconistas da Sloper, secretárias do IAPETEC e outras criaturas que eles “ajudavam” em troca de pequenos favores. Naquele tempo, tinha gente que vivia numa boa; mais do que isso: era arrimo de família só com a renda do que hoje chamam de assédio sexual.

Naquele tempo, os nossos políticos f*&ˆ%$#odiam com uma pessoa de cada vez. De ilegal, a única coisa que se encontrava no recinto era um litro de uísque falsificado comprado de um contrabandista de confiança.

Mas o Brasil mudou. Por isso mesmo, os irmãos Lúcifer Vieira Lima e Jaddeu Vieira Lima alugaram aquele apartamento em Salvador para guardar 51 milhões de reais e assim f*%$#@&oderem com um monte de gente. E ao mesmo tempo! E vejam bem: “os mano” realizaram essa façanha sem lançar mão de Viagra ou qualquer outro medicamento paudurecente de uso exclusivo das Forças Armadas.

Mas os irmãos Vieira Lima não estão sozinhos. A cientista genética Mariana Zatz vai pesquisar e estudar a corrupção no Brasil para verificar a hipótese de que  a roubalheira no país seja uma questão genética. Sigam-me o meu raciocínio: além dos irmãos Joesley e Wesley Safadão, tem o Renan pai e o Renan filho, tem o Jader pai e o Jader filho, tem o Bolsonaro pai e o Bolsonaro filho, tem o Sarney pai e o Sarney filho, tem o Lobão pai e o Lobão filho, tem o Rodrigo genro e o Moreira, que não são parentes mas são farinha do mesmo saco (ou escroto). No Brasil, a bandidagem é uma questão de DNA.

Como diria a Glória Maria: é muita emoção, gente! É o espetáculo da Natureza! O ser humano veio de uma ameba unicelular que evoluiu por milhões e milhões de anos até chegar no Homo sapiens. Pois é, mas quando chegou no Brasil, a Mãe Natureza, nepotista, patrimonialista e corporativista, deu vida a uma nova espécie: o Homo roubiens.

Ao saber que a roubalheira no Brasil está no DNA, um conhecido político corrupto comentou aos risos: “Cromossomos ladrões!”.

Ao saber que a roubalheira no Brasil está no DNA, um conhecido político corrupto comentou aos risos: “Cromossomos ladrões!”.

Agamenon Mendes Pedreira tem um cromossomo a mais.

 

134
ao todo.
banner_arte_02

BOPE IN RIO

O Rio de Janeiro precisa de um pouco de tranquilidade para que a atmosfera de violência sem limites e o caos descontrolado voltem a reinar na cidade.

O que está acontecendo na Cidade Calamitosa deixa até o sanguinário ditador norte-coreano, King Kong-un preocupado. Ele acha que os seus mísseis nucleares intercontinentais não são capazes de enfrentar as facções que estão em guerra na Rocinha. O ISIS, braço terrorista do Estado Islâmico, deu ordens expressas para que seus homens-bomba fiquem longe da favela, quer dizer, “comunidade” por motivo de segurança.

O território da Rocinha, a maior favela do mundo, hoje começa mais ou menos ali por Angra dos Reis, vem vindo por Santa Cruz, Campo Grande, Bonsucesso, Jacarepaguá, passa pelo Leblon, Ipanema, Copacabana, vai pelo Santo Cristo adentro, Gamboa, segue pelo Alemão, Baixada, Caxias, Nova Iguaçu e sobe a serra de Petrópolis na direção de Juiz de Fora. O mar vai virar sertão e o sertão já virou Rocinha. Este é o destino do Brasil, quer dizer, o Brasil só vai conseguir virar uma Rocinha se tudo der muito certo.

A chapa está tão quente que o governador do estado, o Pezão (isso não é nome, é apelido de marginal) fugiu no bonde dos bandidos que, apavorados com a violência, resolveram se mandar da cidade. Até mesmo o prefeito Amarello Crivella, evangélico de carteirinha, se disfarçou de freira e viajou para o Afeganistão em busca de paz e segurança. Por falar nisso, os refugiados sírios, que fugiram da guerra civil para vender esfirra no Rio de Janeiro estão pedindo pelo amor de Allah para voltar para sua terrinha. O povo carioca correndo risco de extinção foi pedir proteção ao IBAMA já que as Forças Armadas não conseguem acabar com a bandidagem.

O único que está em segurança, sem correr risco de ser assaltado ou levar uma bala perdida, é o ex-governador Sérgio Criminal, trancado na penitenciária de Benfica. Aliás a ex-primeira mulher dama, Adriana Anselmo, só não pede para voltar para a cadeia porque o Antiquárius não faz delivery na Zona Norte.

O carioca conhecido outrora pelo seu bom humor, sua picardia, pelo bronzeado da praia hoje é reconhecido em qualquer porque está todo furado de bala.

Mas de uma coisa ninguém pode reclamar. Pelo menos uma coisa funciona nesta cidade: a Vigilância Sanitária. Depois de destruir os queijos e a linguiça artesanal da Roberta Sudbrak, os fiscais subiram o morro e confiscaram todos os “presuntos” por já estarem em estado avançado de decomposição, fora do prazo de validade.

Não tem jeito, pessoal! No Brasil, a criminalidade é a única atividade econômica que dá certo e funciona de forma organizada. Que futebol que nada! Do Oiapoque à Marilena Chauí somos bons mesmo é na roubalheira. Roubalheira que vem de cima, vem de baixo, vem dos lados. Não tem como o cidadão se esconder. Nem do Imposto de Renda.

Mas nem tudo é desespero na cidade. Teve o Rock in Rio que trouxe atrações nacionais e internacionais da maior qualidade como o Guns and No Roses, o Primeiro Comando da Capital Inicial, o Theu Ruim, Ney Chumbo Grosso e a Nação Zumbi.

Nas escolas, sem aula por causa do tiroteio, as crianças passam o tempo brincado de Morto-Vivo.

Nas escolas, sem aula por causa do tiroteio, as crianças passam o tempo brincado de Morto-Vivo.

Agamenon Mendes Pedreira é a favor do crime desorganizado.

183
ao todo.
banner_arte_02

FELANDO SÉRIO

Segundo meu personal psicoproctologista, Dr. Jacinto Leite Aquino Rêgo, a ciência lorto-molecular já comprovou, de maneira cabal, que a profundidade do pavilhão reto-furicular corresponde exatamente às dimensões do eixo vergo-genital, de fora para dentro. Seja um avantajado membro viril afrodescendente ou mesmo a miserinha de uma naba sino-nipônica, o receptáculo retoso adequa-se “de conforme” às solicitações anatômicas entre as partes envolvidas. Este fundamento elementar da física reto-experimental newtoniana se exprime através da fórmula:

F = m . a

onde “F” é a fundura, “m” é a massa penicular e “a” é uma constante física que define a elasticidade analógica, qual seja, a = 8,1234521 nas CNTP. Essa é a elegante fórmula que a milenar sabedoria popular há séculos já enunciava neste corolário vulgar e chulo:

“A fundura do c* é o tamanho da pir&ˆ%$#@&*oca.”

Fui buscar nesse arrazoado científico o embasamento teórico para poder analisar de maneira isenta e imparcial o caso da exposição de arte bancada, com trocadilho, fazendo favor, pelo Santander.

Esses bancos ficam querendo tirar onda que são bonzinhos, moderninhos, liberais e gay friendly. O problema é que, na vida real, tirando as aeromoças, ninguém consegue agradar a todo mundo.

O cidadão faz o que quiser com seu pavilhão reto-furicular. Trata-se de propriedade privada inalienável, única, pessoal e intransferível. Faz-se o que quiser com o próprio rabo desde que, para tanto, não se use recursos da Lei Rouanet. Arte não se discute. É proibido proibir a livre manifestação artística, de ideias ou de opinião. Vai quem quer, aplaude quem gostar e vaia quem achar ruim, como faz a Isaura, a minha patroa, quando fazemos sexo.

Foi aí que chegou o MBL – Movimento Boçal Livre – querendo dar uma de crítico de arte da Folha de São Paulo dando opinião sobre o que não entende. O genial líder do movimento, Kim II Sung Katagiri, achou que as artes exibidas afrontavam a família brasileira e pregavam a zoofilia e a pedofilia como se a exposição fosse uma missa das dez na igreja da esquina. Pronto: armou-se um salseiro, estava feito o barraco. Como tudo hoje em dia no Brasil, o caso acabou em Fla x Flu. Metade contra uma metade e a outra metade contra a outra metade.

Para não agradar a ninguém, o Banco Santander conseguiu arrumar uma solução pior ainda: fechou a mostra de artes plásticas. Se tivesse Prêmio Nobel para imbecil, só dava Brasil. Não tem jeito: banco, quando não c*#!!aga na entrada, c*#*!aga na saída.

Se o Santander faz essa lambança com as artes plásticas, imaginem o que não faz o dinheiro dos seus clientes.

Se o Santander faz essa lambança com as artes plásticas, imaginem o que não faz o dinheiro dos seus clientes.

Agamenon Mendes Pedreira é artista prático.

13
ao todo.
banner_arte_02

HÁ MALAS QUE VÊM PARA O BEM

 

Eu tenho pena do meu amigo Geddel Vieira Lima. Geddel chora por qualquer coisinha. Chorou na frente do juiz para sair da cadeia e agora, de volta ao xilindró, chorou de novo na porta da tranca. Chorando desse jeito, Geddel vai acabar virando “mocinha” na cadeia. O problema é que Geddel sempre foi muito emotivo: tudo pra ele emotivo pra roubar.

Antigamente, nos tempos de D. Getúlio Charuto, os políticos tinham uma garçonnière, um apartamento secreto que eles usavam para receber umas criaturas, umas mocinhas que eles “ajudavam”. Hoje, ao contrário, os políticos brasileiros, no lugar das amantes sedentas de sexo, preferem guardar malas cheias de dinheiro. Deve dar mais prazer. Alguns, mais tarados, chegam a ejacular em cima dos montes de notas de 50 e 100 reais.

Por isso mesmo, apesar da recessão, a indústria de malas, mochilas, baús e contêineres não para de crescer no Brasil. Malas de todos os tipos são disputadas a tapa pelos partidos políticos. O modelo preferido é aquela feita de “couro de brasileiro”, bem macia de tanto apanhar e pagar imposto. Outros, mais sofisticados, preferem malas de grife como Louis Vuitton, Gucci ou Hermès, que é para facilitar o depósito em contas secretas na Suíça.

E esse foi o problema do Geddel Vieira Lima: a mania de guardar dinheiro dos outros sem que os outros pedissem. No caso, eu, você e todo mundo. Nessa parada do apê, Geddelzinho juntou 51 milhões de reais. Parece que o apartamento faz parte do projeto Minha Mala Minha Vida, mais um programa de inclusão social promovido pela coalizão PT-PMDB. Foram malas e mais malas, caixas e mais caixas cheias de dinheiro vivo. Só para contar aquela grana toda precisaram de mais de 14 horas de serviço. E usando máquina.

A questão do Geddel não foram as más companhias na infância. Geddel foi colega de turma do Renato Russo, e o Renato botou em Geddel o apelido de suíno porque Geddel gostava de roubar de tudo um “porco”. Em homenagem ao coleguinha, Renato Russo compôs Faroeste Caboclo. Além de sofrer bullying, Geddel teve uma infância pobre e miserável. Depois que entrou para política, Geddel deixou de ser pobre, mas continuou um miserável.

A mãe do Geddel, Dona Marluce, acha que o filho é doente. Se roubar for mesmo doença, então cadeia é penicilina. Acontece que Geddel é irmão do deputado Lúcio Vieira Lima, da lista da Odebrecht. Deve ser doença genética.

A mãe do Geddel, Dona Marluce, acha que o filho é doente. Se roubar for mesmo doença, então cadeia é penicilina. Acontece que Geddel é irmão do deputado Lúcio Vieira Lima, da lista da Odebrecht. Deve ser doença genética.

Agamenon Mendes Pedreira é um mala sem alça cheia de dinheiro.

437
ao todo.
banner_arte_02

A Coreia soltou um pung!

 

O mundo vai acabar e começou pela geladeira lá de casa. Enquanto cronista e desempregado crônico, continuo na pindaíba, vivendo de favor no maior miserê. Mas, graças a Deus, tudo que tá ruim sempre pode piorar. Agora, além de ter que me preocupar com minha subsistência, entrei em paranoia total por causa do novo teste nuclear da Coreia do Norte. Não é só o governo do Temer que é uma bomba! O patético ditador norte-coreano Kill Jong-un está provocando o mundo com seus artefatos mega-atômicos e subcômicos.

O presidente do EUA, Donald Duck Trump, o Pateta, ficou indignado com o topete de Kim Kon-un, que consegue ser mais ridículo que o dele e, imediatamente, deu uma tuitada atômica ameaçando raspar a cabeça do gorducho se ele não parar com essas paradas. Perto do Donald Drunk, o Bolsonaro é um gênio!

A ONU (Organização dos sem Noção Unidos) mais uma vez convocou uma reunião do Conselho de Segurança para fazer o que sempre faz: coisa nenhuma. Já a Coreia do Sul, vizinha de porta da Coreia do Norte, começou a fazer exercícios perto da fronteira. Militares sul-coreanos estão acordando às 4h30 da manhã, todo dia, diariamente, para fazer flexões, abdominais, polichinelos e jairzinhos para impressionar e meter medo no Ping-Pong-un, o Nicolás Maduro da Ásia.

O mundo está deste jeito, com um bando de idiotas tomando conta e, o que é pior, eles mandam muito. Inclusive, podem mandar todo mundo para a p%$#*uta que pariu com mísseis fálicos de longo alcance.

Segundo o descabelado jornalista Guga Chukro, da GloboNews, esse conflito entre a Coreia da Morte e o resto da Humanidade é um jogo de perde-perde em que todo mundo vai acabar se dando mal. Até mesmo a poderosa China, caso uma bomba atômica fosse lançada, perderia milhões de habitantes, o que não iria fazer nenhuma falta na bilionária demografia chinesa. Na verdade, os chineses não querem confusão com a ditadura de Pyongsangue, de quem são parceiros, como João Bosco foi de Aldir Blanc e Tom foi do Vinícius. A China exporta milhões de bonecos do ditador norte-coreano para serem vendidos em camelôs do mundo inteiro, e os royalties são a única fonte renda da Coreia do Norte, um país miserável onde todo mundo passa fome e no qual só há um habitante que sofre de obesidade, o balofo ditador do país.

Se o ditador King Kong Fu quer mesmo devastar o mundo, deveria antes visitar o Brasil para ver como é que fica um país devastado. E olha que aqui nem precisou usar bomba atômica, mesmo porque o Brasil não tem verba nem para se autoexplodir. Tem que ficar assim, se destruindo à prestação porque a grana destinada ao programa nuclear brasileiro foi desviada por empreiteiros e políticos radioativos e radiopassivos.

Garanto que, depois de visitar o Congresso Nacional do Brasil e trocar uma ideia com o deputado Fufuca, o ditador Samsung Jung-un vai concluir que não faz mais o menor sentido destruir a Humanidade e a Civilização porque nem uma nem outra existem. Pelo menos, em Brasília.

Até o ISIS é contra a Coreia do Norte porque, se o mundo acabar, não vai sobrar mais ninguém para explodir.

Até o ISIS é contra a Coreia do Norte porque, se o mundo acabar, não vai sobrar mais ninguém para explodir.

Agamenon Mendes Pedreira é jornalista de longo alcance.

 

260
ao todo.
banner_arte_02

O GILMAR NÃO TÁ PRA PEIXE!

Quando a gente pensava que a coisa estava feia, aí veio o Gilmar Mendes e a coisa ficou muito pior. Como diria a minha avó, “Gilmar Mendes é um purgante!”. Gilmar é uma espécie de Lacto Purga do Supremo Tribunal Federal: solta tudo. Não tem bandido, malfeitor, escroque ou estuprador que o Gilmar Mendes não solte com barulho ensurdecedor e fedor insuportável, incomodando e constrangendo toda a sociedade. Tremenda falta de educação do magistrado.

Convoquei o meu personal psicoproctologista, Dr. Jacintho Leite Aquino Rego, para fazer uma análise psicopatológica da obra do eminente jurisconsulto. Dr. Jacintho recolheu uma amostra da obra de jurisexcrecência do Gilmar numa latinha e, depois de um exame detalhado ao microscópio, garantiu que o famoso rábula não tem fixação na Fase Anal Retentiva, muito pelo contrário.

Além da capa na Veja, Gilmar conseguiu uma façanha: virou uma unanimidade nacional, coisa rara no Brasil de hoje em dia. Gilmar Mendes é um dos sujeitos mais odiados do país. E olha que a concorrência é grande! Alheio a tudo e a todos, o arrogante meretríssimo, com medo, vive todo togado. Por isso mesmo, está mandando soltar todo mundo que foi preso pela Lava Jato. Não satisfeito, Soltar Mendes, entrou em guerra com o Procurador Geral da República, Rodrigo Jávou. Tirando partido de sua beiçola proeminente, Gilmar Mentes deu um beiço na opinião pública, que não aguenta mais ver tanta bandidagem de colarinho branco e reputação marrom solta por aí.

E não ficou só nisso, não! Num arrojado gesto de escárnio jurídico, Gilmau Mendes mandou soltar o seu compadre Jacob Barato. Gilmar foi padrinho de casamento da filha do empresário e inseto. Gilmar Mentes se esqueceu que o Barata sai caro e disse que não vê nenhum constrangimento nisso. Aliás, o mesmo argumento utilizado pela raposa que foi chamada para tomar conta do galinheiro.

E por falar em raposa e galinheiro, o senador de alta periculosidade, Aético Neves, quer de volta a presidência do PSDB (Partido Só De Bundões). Beócio Neves estava afastado do galinheiro tucano por mau comportamento. Aecinho desde menino foi problemático. Filho de pais separados, Aécio foi criado pelos avós que lhe faziam todas as vontades. Quando passou no vestibular, ganhou o estado de Minas para dirigir. Depois que o avô morreu, achou que iria herdar o Brasil, mas acabou ficando só com um apartamento na Avenida Atlântica. O problema é que, desde pequeno, o Abominável Aécio das Neves gosta de andar em más companhias, como o Luciano Huck, o Calainho, o Diniz, Furnas e a JBS.

gilmar-mendes

Modus in Rebus, Gilmarun Meandes, fotutum est.

Agamenon Mendes Pedreira é jornalista em regime semiaberto.

 

26
ao todo.
banner_arte_02

     DETRITÃO FEDERAL

 

Segundo os otimistas, o Brasil vai de horrível a pior. Para os pessimistas, o país “deu ruim”, a vaca (da Friboi) já foi pro brejo há muito tempo. Foi para o brejo, atolou e ficou só no osso. E o que é pior: ninguém quer largar o osso.

O Congre$$o Nacional está querendo aprovar a criação do “Detritão”, um sistema eleitoral novo para manter tudo de velho na “polí-titica” brasileira. Os nossos “para lamentares”, mais uma vez, voltaram as costas para a opinião pública, exibindo, sem pudor, seus traseiros gordos e flácidos para reafirmarem que estão c*!*$#*!!agando para a população e que vão continuar fazendo m*!#*!!*erda, doa a quem doar.

Para culminar a sequência de c*!#*!*agadas, está rolando um projeto de criação de um Fundo Suprapartidário Público de 3,6 bilhões de reais para financiar a campanha dos candidatos em 2018. Funciona mais ou menos assim: em vez da Odebrecht e da dupla de empresários sertanejos Wesley e Joesley pagarem as campanhas dos candidatos, quem vai ter que dar grana pros nossos políticos corruptos não roubarem mais é o contribuinte brasileiro. Essa bolada seria usada, entre outras coisas, para comprar o Otário Eleitoral Gratuito na televisão. O otário, no caso, é o eleitor.

Mas, se as coisas andam de péssimo a pior aqui em Brazucalândia, na Venezuela a coisa está cada vez mais preta, quer dizer, afrodescendente. O “presidente” Nicolás Caiu de Maduro quer enfiar pela goela abaixo dos venezuelanos uma Constituinte que vai instaurar no país um novo sistema político: a ditadura democrática, que já foi um fracasso e deu certo em Cuba e na Coreia do Norte.

Mas, se existe algum consolo (de mais ou menos 20 cm) para o cidadão, é que tá ruim pra todo mundo. Apavorado com a violência no Rio de Janeiro, o governador Pezão Frio quer alugar um jatinho de dois milhões e meio e, assim, poder se deslocar em segurança pela cidade. Pezão não a

A bandidagem está reclamando da falta de fuzis no mercado. Uma comissão de representantes das facções pretende ir até Brasília exigir das autoridades um caminhão carregado de fuzis para ser saqueado.

A bandidagem está reclamando da falta de fuzis no mercado. Uma comissão de representantes das facções pretende ir até Brasília exigir das autoridades um caminhão carregado de fuzis para ser saqueado.

Agamenon Mendes Pedreira é jornalista de segunda. Mas, às vezes, de terça e até mesmo de quarta-feira.

17
ao todo.
banner_arte_02

OPERAÇÃO ABUFA

No domingo passado, o presidente Michel Tremer recebeu o sinistro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mentes, para jantar. Pediram pizza daquela pizzaria de São Paulo, a Comelo, que faz delivery de mala de dinheiro. Não se sabe o Gilmar Mendes entrou disfarçado pelos fundos (fundos do palácio, não do presidente) nem se gravou a conversa escondido. No final da janta, os dois de cara cheia, ensaiaram a coreografia de Despacito. A insuportável Despacito é o hino oficial da Operação Abufa.

A Operação Abufa tem como objetivo dar um jeito nas investigações da Operação Lava Jato. Os corruptos já não aguentam mais a violência da Polícia Federal e do Ministério Público, que vem dificultando muito a sua atividade profissional. Na ativa e na passiva. Para dar uma “moral” no seu movimento de resistência, os envolvidos nas investigações cantam e dançam o Despacito toda vez que se veem cercados pelos “federais”.

Depois do Ebola, do H1N1, da Zica, da Chicungunha, da Dengue, da Febre Amarela e da Gripe Espanhola, o Despacito é mais uma epidemia que assola a Humanidade, colocando em risco a existência da nossa espécie. E o que é pior: ao contrário da Zica, da Dengue e da Chicungunha, o Despacito não tem cura.

Me refiro-me ao mix de rumba-cumbia-caribe-regaton que se transmite principalmente pelos canais de música digital inoculando os ouvidos incautos pelos quatro cantos do mundo. Muito pior que a AIDS (na AIDS, pelo menos, o HIV é positivo), o Despacito entra pelo cérebro adentro do vivente distraído. Os primeiros sintomas são requebros intensos de quadris. Em seguida, a vítima emite grunhidos histéricos e guinchos agudos. Já inoculada pelo vírus, a vítima passa a executar coreografias bizarras descontroladamente.

Até mesmo o astro pop Justin Bieber foi acometido pela febre do Despacito gravando uma versão em inglês da incurável moléstia. Numa tentativa desesperada de cura, Bieber virou evangélico e entrou para a igreja do Pastor Feliciano. Do boiolismo ele já está quase curado, mas o Despacito continua a mesma coisa.

O cara ir embora da Venezuela eu entendo. Agora, sair da Venezuela para vir pro Brasil tem que ser muito burro. 

O cara ir embora da Venezuela eu entendo. Agora, sair da Venezuela para vir pro Brasil tem que ser muito burro

Agamenon Mendes Pedreira é primo do Gilmar por parte de mãe. Só não diz qual parte.

 

13
ao todo.
banner_arte_02

SÓ DÓI QUANDO EU RIO

Ainda bem que vivo no Brasil, um país onde o que está ruim sempre pode piorar. Isso é o que me dá forças para seguir em frente, mesmo porque logo atrás vem um traficante com um fuzil e, atrás dele, uma galera a fim de fazer um arrastão na minha pessoa.
Agora no Rio de Janeiro é assim: o bandido para assaltar tem que chegar cedo, pegar a senha e entrar na fila. Os cidadãos não estão dando conta da demanda. E depois ainda dizem que a Economia está em recessão. Só fica desempregado no Brasil quem é vagabundo. Se o cara quiser entrar no ramo da bandidagem no Rio de Janeiro, o que não falta é vaga. O Rio ainda é uma Petrobras antes do PT: ainda tem muito para se roubar.
Mas eis que o carioca acorda e descobre que a cidade está dominada pelo Exército. Militares ocupam pontos estratégicos da paisagem zelando pela segurança geral. Na verdade, a invasão dos milicos foi para atender a um pedido da bandidagem. A criminalidade no Rio estava demais. Já tinha bandido roubando assaltante, estuprador sodomizando sequestrador, estelionatário assassinando traficante. Uma bagunça generalizada, uma falta de respeito com o meliante. Afinal, tradicionalmente, no Rio de Janeiro o crime sempre foi muito organizado. Quando o governador era o Sérgio Cabral, o crime funcionava feito um relógio. Mas o relógio era Rolex, e acabaram roubando
também.
Com o Exército nas ruas, tudo voltou ao normal. Graças a Deus! É bonito de ver os traficantes confraternizando com os soldados, tirando selfie e comparando para ver quem tem o fuzil mais bacana. A mulherada também fica louca com a rapaziada fardada. Agora, além da Maria Chuteira, tem a Maria Cartucheira.
Mas as autoridades vão mais longe! Vão lançar mais um programa de inclusão social, um programa para acabar com o problema da Bala Perdida. Vamos acabar com as balas perdidas. Toda vez que alguém encontrar uma Bala Perdida, deverá encaminhá-la à Casa da Bala Perdida, onde ficará guardada até ser encontrado um alvo que a abrigue.

Star-Wars-Darth-Vader-Wallpaper

O ministro Raul Junglemann avisou que, se o Exército não der jeito na violência do Rio, vai ter que chamar o Lucas Skywalker para enfrentar o Lado Afro Descente da Força.

Agamenon Mendes Pedreira é foragido da Injustiça.

14
ao todo.
banner_arte_02

UMA BRASÍLIA QUE VEIO DO FRIO

Um enorme iceberg se desprendeu da Antártida, o continente da Ambev. Para vocês terem uma ideia da ca*&ˆ%$#@da, o iceberg é do tamanho de Brasília e, em vez de funcionários públicos, é habitado por pinguins.

Os pinguins são todos concursados. Têm direito a férias, recesso duas vezes por ano, quinquênio, biênio, licença-prêmio, plano de saúde, auxílio-moradia, auxílio-transporte, Bolsa Família e RioCard. Os pinguins “pegam” às nove no “serviço”, batem o ponto, penduram o paletó na cadeira e saem para comer um peixe. Só voltam às cinco da tarde, vestem o paletó e vão pra rua protestar contra os salários de fome. Os pinguins se aposentam com 5 anos de idade devido à periculosidade e insalubridade do seu local de trabalho. Faz muito frio no iceberg e a qualquer momento pode rachar um pedaço daquela enorme massa gelada. O Sindicato dos Pinguins é filiado à CUT.  

Segundo os satélites da NASA, o iceberg está se deslocando na direção do Brasil. Mais precisamente na direção do litoral do Rio de Janeiro. O prefeito Marcelo Crivengélico já mandou aumentar o IPTU do iceberg e o DETRAN vai multar e rebocar a ilha de gelo por estacionar em local proibido. Como tudo no Rio, o iceberg será rapidamente favelizado, vai virar uma “comunidade”. Várias facções criminosas já estão disputando para ver quem vai controlar a venda de “tóchico” no iceberg. O PCG, Primeiro Comando Glacial, que vem do sul, já ameaçou dominar o iceberg à força.

Cientistas do mundo inteiro investigam por que um iceberg tão grande resolveu abandonar o continente gelado para vir justamente para o Brasil. O que intriga a Ciência não é a questão do derretimento da calota polar. O que os pesquisadores não entendem é por que o iceberg resolveu se mudar para o Rio de Janeiro quando poderia ir para Portugal ou Miami, como todo mundo faz.

 Captura de Tela 2017-07-18 às 17.51.35

Agamenon Mendes Pedreira é o Abominável Jornalista das Neves.

363
ao todo.
banner_arte_02