GIP GIP LEPO LEPO

Depois do Lesco Lesco, do Nheco Nheco e do Vuco Vuco, surgiu neste carnaval uma nova onomatopeia de duplo sentido: o Lepo Lepo. Este trocadilho pornofônico se espalhou como uma epidemia pelo Brasil graças a banda baiana Psirico que também compôs os clássicos Te Quero Delícia, Arrebita Piriquita, Tchebarabada e Só Pica.

É só eu acordar aqui na minha residência (o Dodge Dart 73, enferrujado, que fica estacionado na Rua da Amargura, sem fundos), e já começo a escutar a viciante melodia salafro-baiana. E o que é pior, num volume muito maior que o meu! Mal levanto da cama e logo dou de cara com a Isaura, a minha patroa, executando a ousada coreografia eroto-rebolativa do Lepo Lepo com um grupo de dançarinos sem teto que ela ajuda. Será que esse pessoal não se toca que o carnaval acabou?

A onda do Lepo Lepo chegou até Brasília onde o PMDB (Partido do Me Dei Bem) botou o Blocão na rua! Gulosos os foliões da política, numa autêntica Eleição Fora de Época, obrigaram a presidenta Dilma Roskoff a fazer a libidinosa coreografia do Lepo Lepo em cadeia nacional e, assim, manter a base animada do governo. Liderados pelo carnavalesco Eduardo Pulha, o Bloco dos Sujos do PMDB ameaçou levar a presidenta pro Segundo Grupo, quer dizer, pro segundo turno e levou. Levou dois ministérios. Mas pensando bem, quem acabou “levando” mesmo foi a Dilma…

A presidenta machona Dilma Roskoff se recusou a participar das comemorações do Dia Mundial da Mulher porque não pertence a categoria.

A presidenta machona Dilma Roskoff se recusou a participar das comemorações do Dia Mundial da Mulher porque não pertence a categoria.

Agamenon Mendes Pedreira é igual ao Boeing da Malásia: anda meio desaparecido.

banner_arte_02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *