APERTEM OS CINTOS, O SALÁRIO SUMIU!

Enquanto psicoproctologista de fama internacional, fui convidado a fazer uma análise clínica do salário mínimo, muito embora esta tarefa fosse mais adequada a um patologista. Mas a minha experiência clínica comprova, de forma inequívoca, que devido aos baixos salários, o assalariado está sempre com o seu pavilhão reto-furicular avariado, em petição de miséria. A análise fármaco-esfincteriana do trabalhador brasileiro que vive de salário apresenta um excesso de ferro (Fe). A excessiva concentração deste invasivo e indomável elemento mineral pode prejudicar o desempenho da atividade, uma vez que com tanto ferro (Fe) o trabalhador fique impossibilitado de sentar para negociar um salário melhor.

banner_arte_02

2 Comentários

  1. Leonardo Silva   •  

    To sentindo o ferro excessivo já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *