ESTADO DE SÍTIO

O Brasil é uma ilusão de ótica, uma miragem no meio de um deserto de homens, mulheres, LGBTs e ideias. Na verdade, o Brasil é uma novela da Globo disfarçada de país, onde tudo o que existe, com exceção do Projac, é de mentira. Tudo não passa de uma invenção da direita reacionária e da mídia golpista.

Mas que raciocínio complexo é este que ocupa a minha mente atormentada? Será que estou virando o Arnaldo Jabor? Será que sou homoafetivo e não sabia? E neste caso, existe mesmo a cura gay? Vou ter que procurar o Secretário de Direitos Humanos do Rio de Janeiro, o pastor Ezequiel, senão vou acabar dando a bunda.

Esses pensamentos vertiginosos assaltam a minha mente desde que passei uns dias em Atibaia, no sítio do Lula (que não é do Lula). Descobri que ao lado do terreno instalaram uma enorme torre de celular da Oi (que não é da Oi). E todo mundo sabe que o Lula não tem celular, não tem nem o dedo pra digitar um número no celular. E por que o Lula, que não tem celular, precisaria de uma torre de celular num sítio que nem é dele? Ninguém consegue explicar esse mistério. Nem o Lula e nem a Agatha Christie.

Foi por isso que Luísque Inácio Lula da Silva e sua patroa, Dona Marisa Botox da Silva não compareceram à delegacia da Barra Funda para depor. O casal matrimonial (e principalmente patrimonial) para não ter que se ver cara a cara como o boneco Pixuleco (que não é ele vestido de presidiário). Sou amigo íntimo do casal Lula, por isso mesmo frequento o sítio de Atibaia (que não é deles), onde o Lula faz questão de me emprestar o seu celular particular, mesmo porque ele não tem nenhum. Quando não está lendo literatura russa, jogando xadrez ou resolvendo equações diferenciais parciais, Luísque Inácio gosta de sentar comigo para tomar uns gorós e lembrar dos velhos tempos em que ele era pobre e miserável. Hoje, graças a Deus e às “empresteiras”, Lula só é miserável.

Outro dia mesmo lembrei quando ele foi presidente do Brasil. Lula tomou um susto, mas em seguida tomou mais um gole e reagiu: – Tá maluco, Agamenon? Eu, presidente do Brasil? Só se eu estivesse de porre…

jogue

No sítio do Lula (que não é do Lula), além de sua família, se criam vários animais. E o mais simpático de todos é o jegue Goró. O burro do presidente faz jus à sua condição de jumento e está sempre cruzando. Cruzando com o pessoal da OAS e da Odebrecht.

Agamenon Mendes Pedreira também tem duas antenas de celular na testa. Quem instalou foi a Isaura, a sua patroa.

banner_arte_02

4 Comentários

  1. Alex   •  

    Parabéns pelo trabalho exposto cotidianamente aqui nesse portal. Infelizmente o conheci há pouco, mas não deixarei de ser um multiplicador.

    Portais que nem esse precisam do apoio de quem tá de “saco cheio” de tanta esquizofrenia ideológica espalhada por aí como se fosse Zika. As suas publicações implicam com essas idiotices fomentadas dentro das universidades, escolas e repartições públicas do país afora.

    Por favor continuem! Precisamos de ideias conforme as publicadas aqui, pois ajudam a retirar o antolhos imposto por um governo populista e muito mal intencionado, ao longo de anos e de forma covarde .

  2. cardoso Antonio   •  

    Ora Agamenon, se o sítio de Atibaia não é do Lula, larga de goronante (quer dizer gonorante). é seu .

  3. Alexandre   •  

    Sugestão de pauta: entrevista com Carlos Bandeirense Mirandópolis. É verdadeira a relação fraternal entre Mirandópolis e Chico Buarque e a sua participação ativa na Diretas Já?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *