PARTIU TITANIC!

Nunca antes na História do país eu vi uma coisa dessas: o PMDB (Partido Me Dei Bem) saiu de um governo! O partido mais governista de todos os tempos desembarcou do governo e deixou a presidanta Zika Rousseff a ver navios. Navios-sonda da PTbras, líder mundial em negociatas profundas, que foram superfaturados para extrair o pré-sal e o dinheiro do contribuinte. Mas, mesmo assim, alguns ministros do PMDB se recusaram a sair, como é o caso do Ministro Roubôncio Ladravaz, que não quer largar o Ministério do Osso Social.

O governo Dilma Roskoff virou assunto internacional. Inclusive, um grupo de empreiteiros de Hollywood se juntou para comprar os direitos (e os esquerdos também!) e filmar uma mega superprodução superfaturada baseada em fartos reais. O filme iria se chamar Um Dilma de Cão, mas, do jeito que a coisa vai, resolveram chamar de Titanic II – a Missão. Vai ter que ter muita Lei Rouanet para bancar o projeto. Bndes, Eletrobrás, Banco do Brasil e Caixa Econômica já confirmaram presença. Só a Petrobras vai entrar com um rombo de 600 bilhões de dólares!!!!

Eu, Agamenon Mendes Pedreira, já fui sondado por um urologista da indústria cinematográfica para escrever o roteiro. Já meti mãos à obra. Desta vez, em vez de Nova Iorque, o destino do Titanic é Caracas na Venezuela. No lugar do Leonardo DiCaprio, vou contratar o Gregório Duvivier e refilmar a clássica cena na proa navio: Gregório, de braços abertos para o “nada”, grita a plenos pulmões: Não vai ter iceberg! Não vai ter iceberg!

No lugar daquela orquestra mixuruca que tocava enquanto o Titanic afundava, vou colocar um monte de artistas nacionais cantando marchinhas de carnaval como “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí…” ou “Se a canoa não virar, olê, olê, olâ!…”. Outro momento emocionante do enredo é quando um bote salva-vidas com seis ministros do PMDB resolve remar de volta para o navio-catástrofe. Enquanto isso, no poste de comando, Dilma Roskoff declara que não renuncia porque não sabe nadar. Trancado no seu camarote tríplex (que não é dele), Lula, com uma garrafa de 51 na mão, convoca a imprensa internacional para mostrar que não tem medo, pois sempre viveu na maior água!!! Como na história real, o pessoal das classes C, D e E afunda junto com a embarcação: não vai ter boia pra todo mundo.

Mas voltando à vaca (que tosse) fria. O governo zumbi da presidenta Walking Dilma continua se arrastando por Brasília como um morto vivo à procura de cérebros para chupar. O problema é que achar cérebros na Capital Federal é quase impossível. De dentro do bunker do Planalto, o núcleo meia-bomba do governo só pensa em sobreviver e continua fazendo cálculos para a votação no Congresso. A vocação do governo para o crime é tão grande que a Dilma precisa de 171 votos para não ser impichada. É isso mesmo: 171!

Muita gente acha que se o vice Michel Temer assumir a presidência, a coisa vai ficar feia. Mais feia que a Dilma e a Jandira Feghali é impossível! Além do mais, a mulher do Temer é muito mais gostosa que essas duas criaturas das trevas. Aliás, comenta-se à bocada pequena que o ódio do Temer pela Dilma deve-se ao fato da presidanta ter dado um “lance” na esposa do Temer, oferecendo à vice-Primeira-Dama os programas sociais Minha Casa, Minha Comida e Minha Roupa Lavada.

31-03

O momento mais emocionante do filme “Titanic 2, a Comissão” é quando um bote salva-vidas com seis ministros do PMDB resolve remar de volta para o navio-catástrofe

Agamenon Mendes Pedreira é comandante e pau-mandado.

banner_arte_02

Nenhum comentário

  1. Altacyr   •  

    Muito bom. Parabéns.

  2. Ovo Duro   •  

    Nossa, Agamenon!
    Faz o maior sentido esta história do lance da Dilma na mulher do Temer …
    Que coisa, hein?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *