SACO VAZIO NÃO FICA EM PÉ

O Brasil, ao contrário da Constituição, não se emenda. Quando tudo já está bem ruim, aí é que as coisas pioram mesmo. O Brasil está à beira do abismo. A chapa está quente. O bicho vai pegar e a vaca (da Friboi) foi pro brejo! Me faltam clichês, lugares-comuns e frases feitas e superfaturadas pela Odebrecht para definir a situação em que vivemos.

Até o venerando juiz Gilmar Mentes disse que “o Brasil virou uma enorme Organização Tabajara”, o que é uma ofensa ao grande grupo empresarial, um dos poucos no país que não está envolvido nessa roubalheira toda. Fato que só evidencia a incompetência da diretoria!

Eu, Agamenon Mendes Pedreira, testemunhei grandes acontecimentos da História: o suicídio do Titanic, o naufrágio de Getúlio Vargas e o incêndio de Kennedy. Mas nunca em minha extensa folha pregressa de jornalista mau-caráter me vi diante de uma crise dessas! Crise em que o povo brasileiro não aguenta mais ficar, mas da qual o presidente Michê Temer não quer sair. De jeito nenhum.

Quem ainda tem grana para a passagem está preferindo trocar de país porque este aqui, vamos combinar, já era. É inegável: o Brasil esta mudando. Está mudando para Zâmbia, Bangladesh ou Coreia do Norte. Qualquer lugar onde se possa viver um pouco menos pior. Como está é que não dá para ficar. Tem que piorar mais um pouco para poder ficar suportável.

Na verdade, o povo brasileiro está sendo submetido, sem saber, a um teste médico anatômico de caráter científico. Cientistas internacionais estão querendo descobrir até onde um saco humano é capaz de encher antes de arrebentar de uma vez por todas. E, para realizar esse experimento, escolheram o Brasil.

twitter-gilmar-mendes

As Organizações Tabajaras foram contratadas para cavar o buraco do Brasil, mas esqueceram de superfaturar a obra.

Agamenon Mendes Pedreira está de saco cheio e barriga vazia.

 

13
ao todo.
banner_arte_02

1 Comentário

  1. Ovo Duro   •  

    E aí?
    Estão mesmo dispostos a processar o Gilmar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *