OPERAÇÃO ABUFA

No domingo passado, o presidente Michel Tremer recebeu o sinistro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mentes, para jantar. Pediram pizza daquela pizzaria de São Paulo, a Comelo, que faz delivery de mala de dinheiro. Não se sabe o Gilmar Mendes entrou disfarçado pelos fundos (fundos do palácio, não do presidente) nem se gravou a conversa escondido. No final da janta, os dois de cara cheia, ensaiaram a coreografia de Despacito. A insuportável Despacito é o hino oficial da Operação Abufa.

A Operação Abufa tem como objetivo dar um jeito nas investigações da Operação Lava Jato. Os corruptos já não aguentam mais a violência da Polícia Federal e do Ministério Público, que vem dificultando muito a sua atividade profissional. Na ativa e na passiva. Para dar uma “moral” no seu movimento de resistência, os envolvidos nas investigações cantam e dançam o Despacito toda vez que se veem cercados pelos “federais”.

Depois do Ebola, do H1N1, da Zica, da Chicungunha, da Dengue, da Febre Amarela e da Gripe Espanhola, o Despacito é mais uma epidemia que assola a Humanidade, colocando em risco a existência da nossa espécie. E o que é pior: ao contrário da Zica, da Dengue e da Chicungunha, o Despacito não tem cura.

Me refiro-me ao mix de rumba-cumbia-caribe-regaton que se transmite principalmente pelos canais de música digital inoculando os ouvidos incautos pelos quatro cantos do mundo. Muito pior que a AIDS (na AIDS, pelo menos, o HIV é positivo), o Despacito entra pelo cérebro adentro do vivente distraído. Os primeiros sintomas são requebros intensos de quadris. Em seguida, a vítima emite grunhidos histéricos e guinchos agudos. Já inoculada pelo vírus, a vítima passa a executar coreografias bizarras descontroladamente.

Até mesmo o astro pop Justin Bieber foi acometido pela febre do Despacito gravando uma versão em inglês da incurável moléstia. Numa tentativa desesperada de cura, Bieber virou evangélico e entrou para a igreja do Pastor Feliciano. Do boiolismo ele já está quase curado, mas o Despacito continua a mesma coisa.

O cara ir embora da Venezuela eu entendo. Agora, sair da Venezuela para vir pro Brasil tem que ser muito burro. 

O cara ir embora da Venezuela eu entendo. Agora, sair da Venezuela para vir pro Brasil tem que ser muito burro

Agamenon Mendes Pedreira é primo do Gilmar por parte de mãe. Só não diz qual parte.

 

11
ao todo.
banner_arte_02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *