A Coreia soltou um pung!

 

O mundo vai acabar e começou pela geladeira lá de casa. Enquanto cronista e desempregado crônico, continuo na pindaíba, vivendo de favor no maior miserê. Mas, graças a Deus, tudo que tá ruim sempre pode piorar. Agora, além de ter que me preocupar com minha subsistência, entrei em paranoia total por causa do novo teste nuclear da Coreia do Norte. Não é só o governo do Temer que é uma bomba! O patético ditador norte-coreano Kill Jong-un está provocando o mundo com seus artefatos mega-atômicos e subcômicos.

O presidente do EUA, Donald Duck Trump, o Pateta, ficou indignado com o topete de Kim Kon-un, que consegue ser mais ridículo que o dele e, imediatamente, deu uma tuitada atômica ameaçando raspar a cabeça do gorducho se ele não parar com essas paradas. Perto do Donald Drunk, o Bolsonaro é um gênio!

A ONU (Organização dos sem Noção Unidos) mais uma vez convocou uma reunião do Conselho de Segurança para fazer o que sempre faz: coisa nenhuma. Já a Coreia do Sul, vizinha de porta da Coreia do Norte, começou a fazer exercícios perto da fronteira. Militares sul-coreanos estão acordando às 4h30 da manhã, todo dia, diariamente, para fazer flexões, abdominais, polichinelos e jairzinhos para impressionar e meter medo no Ping-Pong-un, o Nicolás Maduro da Ásia.

O mundo está deste jeito, com um bando de idiotas tomando conta e, o que é pior, eles mandam muito. Inclusive, podem mandar todo mundo para a p%$#*uta que pariu com mísseis fálicos de longo alcance.

Segundo o descabelado jornalista Guga Chukro, da GloboNews, esse conflito entre a Coreia da Morte e o resto da Humanidade é um jogo de perde-perde em que todo mundo vai acabar se dando mal. Até mesmo a poderosa China, caso uma bomba atômica fosse lançada, perderia milhões de habitantes, o que não iria fazer nenhuma falta na bilionária demografia chinesa. Na verdade, os chineses não querem confusão com a ditadura de Pyongsangue, de quem são parceiros, como João Bosco foi de Aldir Blanc e Tom foi do Vinícius. A China exporta milhões de bonecos do ditador norte-coreano para serem vendidos em camelôs do mundo inteiro, e os royalties são a única fonte renda da Coreia do Norte, um país miserável onde todo mundo passa fome e no qual só há um habitante que sofre de obesidade, o balofo ditador do país.

Se o ditador King Kong Fu quer mesmo devastar o mundo, deveria antes visitar o Brasil para ver como é que fica um país devastado. E olha que aqui nem precisou usar bomba atômica, mesmo porque o Brasil não tem verba nem para se autoexplodir. Tem que ficar assim, se destruindo à prestação porque a grana destinada ao programa nuclear brasileiro foi desviada por empreiteiros e políticos radioativos e radiopassivos.

Garanto que, depois de visitar o Congresso Nacional do Brasil e trocar uma ideia com o deputado Fufuca, o ditador Samsung Jung-un vai concluir que não faz mais o menor sentido destruir a Humanidade e a Civilização porque nem uma nem outra existem. Pelo menos, em Brasília.

Até o ISIS é contra a Coreia do Norte porque, se o mundo acabar, não vai sobrar mais ninguém para explodir.

Até o ISIS é contra a Coreia do Norte porque, se o mundo acabar, não vai sobrar mais ninguém para explodir.

Agamenon Mendes Pedreira é jornalista de longo alcance.

 

260
ao todo.
banner_arte_02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *