ERA SÓ O QUE FALTAVA!

O Brasil está parando. Ué, mas o Brasil já não estava parado? Só se estiver dando a ré. A verdade é que o combustível está acabando e a paciência do brasileiro também.

A greve dos caminhoneiros está preocupando muita gente. Já começam a faltar muitas coisas Brasil afora. A começar por Segurança, Saúde, Emprego e Educação.

Por conta da greve dos motoristas de caminhão, as idosas da terceira idade estão com a vida sexual prejudicada: desde o início da semana os caminhoneiros não vêm “engatando na banguela”.

Isaura, a minha patroa, está preocupada com o desabastecimento. Ela está com medo que faltem vegetais e tubérculos de duplo sentido, como a cenoura, o pepino e o nabo. Isaura também está receosa com a falta de verdura. Isaura adora verdura. Bom, pelo menos os trocadilhos infames ainda não estão em falta.

Os motoristas estão reclamando do preço dos combustíveis, que, ao contrário do meu bilau, não para de subir.

A vida de caminhoneiro não é fácil! Como todos sabem, caminhoneiros casados viajam muito. Por isso é que os viadutos e pontes nas estradas trazem a indicação da altura do vão, senão eles dão com os chifres lá. Eu não sei por que os fabricantes de caminhão nunca pensaram em produzir um modelo conversível.

Fora isso, os caminhoneiros têm que pagar os pedágios escorchantes. No Brasil, paga-se para passar em estrada esburacada. Paga-se propina também para não pagar multas abusivas.

Para piorar o que já está ruim, os motoristas resolveram bloquear as estradas tacando fogo em pneu. Eu não entendo essa mania de pobre brasileiro queimar pneu. Qualquer coisa serve de motivo para queimar pneu: o MST queima pneu, a CUT queima pneu, os índios silvícolas queimam pneus. Onde é que os pobres brasileiros arrumam tanto pneu para tacar fogo?

Desconfio que as multinacionais capitalistas gananciosas como a Goodyear, a Firestone, a Pirelli e a Bridgestone estão por trás desses movimentos comunistas.

Agamenon Mendes Pedreira é líder caminhonista de esquerda.

banner_arte_02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *