O CRÈME DE LA CRIME

Cara, está cada dia mais perigoso viver na cidade do Rio de Janeiro. É homicídio, é bala perdida, é assalto, é arrastão… quer dizer, isso quando a cidade está num dia sossegado.

Não existe mais lugar seguro na Cidade Calamitosa. Não tem esquina, pracinha, avenida ou travessa que não seja perigosa para o pacato cidadão frequentar sem ser no mínimo assaltado, estuprado e esquartejado, quer dizer, isso se for num dia sossegado.

E não é a Rocinha, a Favela da Maré, o Complexo do Alemão nem a Baixada Fluminense o lugar mais perigoso, campeão de índices de criminalidade. O lugar mais tenebroso do Rio é o Palácio da Guanabara, tugúrio escuro, onde vivem homiziados os governadores cercados por seus capangas, sicários, jagunços e assassinos de aluguel: Serginho Cabral, Garotinho, Rosinha e agora o Presão, todos membros do PCC, Primeiro Comando do Capital.

Vejam só: governador do Estado do Rio de Janeiro não tem nome nem sobrenome, tem apelido de bandido. Depois do Pezão, foi eleito um que tem nome de bife: Wienner Schnnitzel.

O Palácio da Guanabara é tão perigoso que até a polícia tem medo de invadir o local com medo da reação violenta dos meliantes que frequentam o espaço. Nem o BOPE e a SWAT juntos e comandados pelo Wagner Moura, o Capitão Nascimento em pessoa, têm coragem de dar uma incerta no Palácio e enfrentar a moçada.

Os Federais também têm a maior dificuldade em trancafiar os ex-governadores cariocas. Os criminosos comuns, apavorados, têm pavor de dividir a cela com esses criminosos irrecuperáveis, sanguinários e sem escrúpulos, que são capazes de tudo e mais um pouco para satisfazer a sua ganância insaciável pelo dinheiro público. As autoridades estão pensando em construir um novo complexo penitenciário específico de segurança máxima, o Complexo de Édipo de Bangu, para acomodar os fascínoras e suas mãezinhas.

A única coisa que consola o povo carioca é que os governadores estão presos, mas a grana roubada continua livre, curtindo uns juros em algum paraíso fiscal.

Mas o STF, Supremo Tribunal de Frango, não fica atrás, quer dizer, fica. Fica enfiando goela abaixo (e em outros orifícios singulares da anatomia) do povo um peru de natal, quer dizer, o insulto de natal, que vai tirar da cadeia os corruptos de alta periculosidade máxima. É que no Brasil não tem mais lugar na cadeia para tanto bandido. O jeito vai ser guardar quem for honesto na penitenciária e deixar solta a bandidagem, que, pelo visto, é a maioria da população. Bem faz o meu amigo Gilmar Mentes, que dá expediente em Brasília, mas mora em Portugal, que é para não assaltado pelos criminosos que ele mesmo solta.

Empreendedor nato, Pezão montou um esquema próprio. Pezão jura que é inocente: veio de interior com uma mão na frente e uma mala com mais de dez milhões de dólares. É Piraí…

 

 

banner_arte_02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *