FILHO DESENCAPADO

O Brasil é o país do jeitinho. Do jeitinho errado. Tudo é feito nas coxas, é mal planejado ou tem algum puxadinho. Se alguma coisa já está errada, sempre se arranja uma verba para piorar um pouco mais.

Para as autoridades isso é muito prático. Depois que acontecem as tragédias, os desabamentos, os incêndios, enchentes e outras hecatombes, é só chamar a imprensa e lamentar que tudo foi mais uma fatalidade. Em seguida, avisam que vão tomar providência. Providência para mim é uma marca de cachaça.

Além do “gato”, das gambiarras e dos quebra-molas, o Brasil é o país do fio desencapado. E o fio desencapado mais perigoso do momento é o filho do presidente Carlos Bronco Bolsonaro. Talvez por ser o filho número 2, esse rapaz só faz m*!#erda. Justamente agora que o presidente já está podendo frequentar o toalete normalmente.

O Bolsonaro-pai precisa chamar a Vale para construir uma barragem de resíduos parlamentares em torno de seu Carlos-filho: é o jeito mais seguro do seu governo desabar antes de começar.

Especialista nas redes antissociais, o estourado vereador Boçalnaro chamou de mentiroso o ministro Custava Bebbiano e pediu sua cabeça. Eu não sabia que filho de presidente era cargo! Se for mesmo, eu vou semana que vem no Programa do Ratinho pra dizer que Jair Bolsonauro é meu pai. É melhor Jair fazendo o teste de DNA! Parece até que o lema do governo agora é: DEUS ACIMA DE TUDO E CARLOS BOLSONARO ACIMA DE TODOS.

Mas, enfim, nem tudo é tragédia no Brasil: tem as tristezas também. Geralmente, devido à minha invulgar modéstia, só faço elogios à minha própria pessoa. Mas hoje, excepcionalmente, abro uma exceção para falar do meu personal amigo, Ricardo Boechat.

Depois de mim, Ricardo Boechat foi um dos maiores jornalistas de todos os tempos. Juntos cobrimos várias Copas do Mundo e, juntos também, não comemos ninguém. Boechat nasceu em Buenos Aires, foi criado em Niterói, estudou com o Ibrahim Sued e, apesar disso tudo, conseguiu atingir os píncaros do sucesso e da glória jornalística. Boechat era um jornalista brilhante. Principalmente por sua careca lustrosa! Ricardo Boechat não era zagueiro do Grêmio, mas também vai fazer falta.

Agamenon Mendes Pedreira é jornalista de Alta Tensão desencapado.

banner_arte_02

1 comentário

  1. Dieter Oppermann   •  

    no momento de nossa tragicomédia,urge uma manifestação de nosso talentoso Marcelo,parodiando,caricaturando ou mesmo escroteando o nho nho,meu deus por tudo que li e vi,estamos voltando a 64,a sociedade esfarrapada e esclarecida clama pelo artigo 142,não é para menos,o officeboy do sarney no senado e o nho nho,filho do cesar maia e genro do genro do piaui,na camara.O Pinochet chacoalha os ossos gargalhando do presente que nos deu.

Deixe uma resposta para Dieter Oppermann Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *