banner_arte_02

VOLUME BROXA

Assim como o Lula, a Dilma e o PT, eu também cheguei no meu “volume morto”. É de que a Isaura, a minha patroa, não se cansa de me acusar diariamente. A insaciável criatura não consegue entender que o Brasil está em crise, vivemos uma época de Dilmas magras. Além do mais, com a inflação e o desemprego galopantes, os negócios se retraem e encolhem, principalmente o meu próprio negócio que nunca foi tão grande assim.

E quem resolveu sair da toca foi o ex-presidente em exercício, Luísque Inácio Lula da Silva, que, num encontro com religiosos, desandou a falar mal do PT, da Dilma e da novela Babilônia. Numa de suas típicas manifestações de diarreia verbal, Luiz Picaretácio Lula da Silva acusou o seu partido, o PT (Papuda dos Trabalhadores) de só pensar em cargos e eleição. Em seguida, Lula distribuiu vários santinhos com o slogan da sua campanha para presidente em 2018: Lula – A Volta dos Que Não Foram! Aliás, santinho não, porque na campanha do Lula não tem nenhum santo.

Lula também reclamou do garçom, disse que seu copo de cachaça estava no volume morto e que ele queria mais uma dose. Uma dose do seu governo. Lula fez questão de atacar ferozmente a sua merdeira, quer dizer, herdeira política, a presidenta Dilma Roskoff. Logo a Dilma, que foi inventada pelo próprio Lula, que, assim como o Dr. Frankenstein, deu vida a uma criatura que apavora a população e espalha o terror no Brasil. Bem fez esse rapaz sertanejo, o Cristiano Ronaldo, que morreu antes de ver a merda que isso aqui vai ficar…

25-06 dilma

As burrices que a presidenta Dilma Roskoff vive falando continuam bombando na internet. Desta vez, a presidenta resolveu puxar o saco da mandioca. E eu que achava que a Dilma não apreciava esse avantajado tubérculo de duplo sentido.

 Agamenon Mendes Pedreira é volume morto da imprensa brasileira.

940
ao todo.
banner_arte_02
banner_arte_02
banner_arte_02
banner_arte_02
banner_arte_02
banner_arte_02
banner_arte_02