banner_arte_02

TRÍPLEX OF CARDS

Só tem um jeito de tirar o Brasil da lama: para entrar no país, os gringos agora vão ter que pagar ingresso igual na Disneylândia. É muita emoção, gente! Nem a Glória Maria aguenta mais tanta corrupção, delação e safadeza! Parece até que nós estamos todos fazendo figuração num reality shows sem saber. E o que é pior: sem ganhar cachê. Depois da Lava Jato, o seriado House of Cards virou novela infantil do Cartoon Network.

Semana passada foi punk. Começou com o depoimento do Lula, o Francis Underwood de língua presa. Aliás, a língua do Lula já está presa, agora só falta o resto. No depoimento ao juiz Sério Moro, Luiz Inocêncio Lula da Silva, o X-9 do PT, botou todas as broncas na conta da Dona Marisa, que já estava de passagem marcada pro Paraíso (o bairro) e teve que voltar de metrô para o Jabaquara, quer dizer, o Purgatório. “Devido de quê” às acusações do ex-marido, o processo dela caiu em exigência e ela vai ter que contratar o fantasma do Márcio Thomaz Bastos para arrumar um Habeas Cadaveris no STF, Supremo Tribunal Funeral.

Tudo era culpa da Dona Marisa: a meia furada, a cueca mal lavada, a janta que tava fria, o tríplex do Guarujá, o sítio de Atibaia, a refinaria Abreu e Lima e a compra da tranqueira de Passadena. Luiz Pinóquio Lula da Silva pendurou tudo na conta da Dona Marisa, que falecida está e falecida pretende continuar. Se Dona Marisa soubesse que o Lula tinha o dedo tão nervoso, teria cortado fora os outros nove.

Mas o depoimento do Lula não durou nem um dia nas manchetes. As delações premiadas dos marqueteiros Mônica Moura e João Sacana não deixaram pedra sobre pedra em nenhuma obra superfaturada nos governos do PT. A gente não sabia que era governada pela D. Iolanda e que depois virou Janete. A Dilma só se comunicava em código, por mensagens secretas, avisando os seus comparsas quando ia dar ruim na Polícia Federal!

E a ex-presidenta Dívida Rousseff, que tirava onda de honesta, não passa de uma sociopata socialista esquizofrênica e paranoide de esquerda. Ela ainda agia como nos tempos da guerrilha. Uma presidenta subversiva que lutava para derrubar o governo que ela mesma governava. Pode isso, Arnaldo? Pouco antes do impeachment, ela não sabia mais quem era nem o que estava fazendo ali no Palácio do Planalto. Então, para não perder a mania de guerrilheira de esquerda radical, Dilma continuou a “expropriar” verbas públicas, só que agora nem precisava de pé de cabra. Ela tinha a chave do cofre. Não satisfeita, como boa terrorista, aproveitou para “explodir” o desemprego no Brasil. Exatamente como fez com o cofre do Adhemar de Barros, que, perto dessa galera, não passa de um inocente trombadinha.

 

monica-moura-e-joao-santana

Mônica Moura confessou que, apesar de casada, gostava de receber tudo do Palocci no caixa dois. Enquanto isso, o marido, João Sacana, fazia sauna pelado com o Delcídio Amoral para discutir os detalhes da campanha. É muita sacanagem junta!!!

Agamenon Mendes Pedreira é suplente de poste.

593
ao todo.
banner_arte_02

ESQUECERAM DE MIM!

Segundo o IBGE, a população brasileira é de 211.292.773 criaturas. No listão VIP da Odebrecht, aparecem 247 nomes. Portanto, 211.292.531 não estão no listão. São uns m#$%ˆ&*erdas, uns incompetentes e, o que é pior, nunca vão ganhar tornozeleira eletrônica.

Eu, Agamenon Mendes Pedreira, não estou nessa lista. Que vergonha! Tantos anos dedicados ao jornalismo marrom e a Odecheque não me arrumou nem uma mísera mochila onde cabem 2 milhões de reais…

Quem não está na Lista da Odebrecht não existe, é um brega, um cafona. Por isso mesmo, a revista Caras está mudando de nome para revista Canas. Agora, semanalmente vamos ver, na Ilha de Canas e no Castelo de Canas, os corruptos exibindo suas tornozeleiras de grife.

Depois dos vídeos com os depoimentos, finalmente entendi como o Brasil funcionava: o Lula era funcionário da Odebrecht, que era a proprietária do Brasil. Depois ficam dizendo que o Lula não é um cara trabalhador. Ele trabalhou muito para a “empresteira” baiana. Ganhou até retrato de funcionário do mês, igualzinho ao do McDonald’s.

Enquanto operário e líder sindical, o Lula sempre quis socializar o Brasil e o Lula socializou o Brasil… com a Odebrecht. A Odecheque até ajudou o Lula a escrever a famosa Carta aos Brasileiros. A Odebrecht escreveu, mas o Lula até hoje não acabou de ler. Depois que acabou de escrever a carta, Emílio Odebrecht botou num envelope, selou e mandou o Lula levar nos Correios. O Lula aproveitou e roubou nos Correios também.

 

20170417_Agamenon

O genial cineasta e inigualável Luiz Carlos Barreto, o Barretão, já pediu verba da Lei Rouanet para filmar a continuação da vida do Lula: Lula, o Filho da Pu*&*%$#@ta do Brasil.

Agamenon Mendes Pedreira é jornalista desempregado da Odebrecht.

26
ao todo.
banner_arte_02