banner_arte_02

LÁ VAI BOMBA!

Esse Trump não se emenda. Se continuar assim, fazendo merda desse jeito, vai acabar candidato do PT em 2018.

Na minha opinião, esse bombardeio da Síria foi só para desviar a atenção da mídia do Caso do Zé Mayer. Como todo mundo sabe, o Trump também gosta de praticar o esporte de patolar a mulherada sem o consentimento delas. Solidário ao assédio midiático que o seu brother Zé estava sofrendo, Donald Trump resolveu mandar bomba na Síria.

A Síria é um país que está em guerra civil há um tempão. A violência na Síria come solta. É bala, bazucada e tiro de canhão pra tudo que é lado. A Síria parece o Brasil, só que lá é um pouco mais tranquila.

Por isso mesmo, no Mundial de Violência a Síria deu uma de Vasco, é vice. O campeão mundial absoluto de violência descontrolada é o Brasil, não tem pra ninguém! A violência é que é o verdadeiro esporte nacional do brasileiro. Inclusive o Galvão Bueno vai apresentar o programa “Bem Inimigos” para analisar e comentar as melhores chacinas da rodada.

Mas voltando ao bombardeio da Síria. Sou mais politicamente correto que a Letícia Sabatella e por isso mesmo me recuso a usar o termo “bombardeio”. De agora em diante só vou escrever “maubardeio”, que é um termo mais adequado para esse ato de violência absurda.

Trump1

O Donald Trump está cada vez mais maluco: telefonou para o Zé Mayer combinando de bombardear a Gisele Bündchen no final de semana.

Agamenon Mendes Pedreira é a favor do bombardeio do Zé Mayer.

4
ao todo.
banner_arte_02

GUERRA E PAES

O problema é que o Vladimir ficou Putin da vida com a Ucrânia e resolveu voltar aos tempos da Guerra Fria, fenômeno climático que atingiu a diplomacia mundial nos anos 50 e 60. Como uma espécie de Stálin

A presidenta–gerenta entrou no clima da Copa e já está torcendo. Torcendo para faltar luz e ninguém ver o mico que ela vai pagar durante o Mundial.


Enquanto os brasileiros ficam cada vez mais bolados com a Mocréia de Brasília, o mundo inteiro está de olho na Criméia. A Criméia, pra quem não sabe, é uma região inflamada que pertencia à Ucrânia que, por sua vez, era propriedade privada da União Soviética. Privada não, porque na Rússia Comunista privada era só pro pessoal do partido. Mais ou menos como é hoje na Papuda…

O problema é que o Vladimir ficou Putin da vida com a Ucrânia e resolveu voltar aos tempos da Guerra Fria, fenômeno climático que atingiu a diplomacia mundial nos anos 50 e 60. Como uma espécie de Stálin careca, o presidente perpétuo da Rússia resolveu mandar suas tropas e, na mão grande, anexou a Criméia e colocou uma placa na fronteira: “Agora sob Nova Direção”. Em seguida, o ditador soviético mandou uma mensagem desaforada para os EUA e a comunidade mundial: “Criméia é essa?!?”

Tzar o deles! Aqui no Brasil não tem guerra mas o bicho também está pegando e o que é pior: o Obama não quer nem toma conhecimento. Todo mundo sabia que a Dilma era “o poste que o Lula elegeu.” O que ninguém desconfiava é que a luz do “poste” apagou. Além do racionamento de luz, vamos ter falta de água durante o Mundial. Resultado da partida: o Brasil que já tem falta de caráter, falta de escrúpulos e falta de vergonha na cara, ainda vai ter que encarar a falta de água. Do H2O só o O está confirmado. Apesar da riqueza do pré-sal, o Brasil vai ter que viver a miséria do pré-água além das manifestações dos black blocs e dos sem-água. O governo precisa agir rapidamente. Se a Dilma não furar milhares de poços artesianos até a Copa, o Brasil corre o sério risco de não conseguir mais molhar a mão da base aliada.

banner_arte_02