banner_arte_02

INDIGENTE COMO A GENTE

Para comemorar o aumento do número de pobretões no Brasil, volto a estacionar meu Dodge Dart 73, enferrujado, na Rua da Amargura, fundos, sem número. Eu e a Isaura agora também pertencemos a esta elite miserável que mal consegue ingerir o mínimo de calorias exigido pela Organização Mundial de Falta de Saúde. Outro dia mesmo, estava vagando com uns mendigos blogueiros amigos meus, coletando raízes, frutos e impostos silvestres quando avistei a presença de um personagem raro nessa caída vizinhança: o milionário falido Feike Batista empurrando a sua reluzente Ferrari. O infeliz, que não tem mais grana para abastecer o seu veloz bólido, me pediu encarecidamente para estacionar a Ferrari ao lado da minha residência imóvel automotiva.

– Assim eu não tenho mais que pagar IPVA, só o IPTU… – confessou o grande empreendedor, com lágrimas de crocodilo nos olhos.

Pobre Eike, quer dizer, ex-milionário Eike… Aquele que já foi um dos sujeitos mais ricos do mundo, hoje é um dos mais micos do mundo! Cheke Batista, coitado, está no fundo do poço, e o que é pior: foi ele mesmo que furou o poço (com dinheiro do BNDES, é claro) e não encontrou nada lá dentro. Por ter feito sua megalomaníaca fortuna com os minérios, o empresário, ironicamente, acabou levando ferro. Ferro, bauxita e manganês.

Sempre pensei que o Nike Batista fosse um homem de sorte, desses que nasceram com o símbolo químico do Cobre voltado pra Luma, sua ex-posa que, depois, ele acabou trocando por outra mina. Homem do bem (bem rico e bem milionário), Sheike Batista resolveu um dia despoluir a Lagoa Fedida de Freitas. Depois que o Eike botou uma grana na Lagoa, os peixes do famoso cartão bostal do Rio de Janeiro passaram a ter uma vida tão boa (comparável à vida dos arenques, hadoques e bacalhaus escandinavos) que entraram em depressão profunda e resolveram se matar.

Compadecido com a pobretude repentina do homem que já foi capa da revista Fodes, convidei o Eike Autista para comer uma coisa lá em casa, no caso, a famosa rabada da Isaura, a minha patroa. Faminto, o esganado empresário caiu de boca naquelas carnes gordurosas e chupou até o osso fazer bico. Mesmo na pior, Eike me revelou que está cheio de planos para enfrentar a sua nova condição social, já que deixou de ser bilionário e agora, como todo rico no Brasil, vai ser de classe média alta. Ele pretende se inscrever no Fome Zero e no Bolsa Família e até já arrumou um cartão Minha Casa Melhor com a Regina Casé. Em seguida, Eike vai levar sua Ferrari no Lata Velha do Luciano Huck e abrir uma rede de carrocinhas do Angu do Gomes nos poços do pré-sal. O falido empreendedor vitorioso só tem uma preocupação: que o seu filho Thor não vá pra FEBEM.

Agamenon 06-11 blog

Agora que, segundo a PNAD, somos oficialmente miseráveis, Isaura, a minha patroa, foi obrigada a lavar roupa pra fora. Antes ela só “costurava pra fora”.

Agamenon Mendes Pedreira é despossuído de renda.

banner_arte_02