banner_arte_02

LULA NA CADEIRA

Os militantes do MST – Movimento dos Sem Teta – marcharam em Brasília imobilizando toda a população num engarrafamento quilométrico. Parecia um monte de flanelinhas de esquerda numa difícil manobra política. Mais pra esquerda! Mais pra esquerda! Agora “desfaiz”, “desfaiz”! Isso! Tá bom!! Aí tá bom! Deixa solto (o Lula no caso).

O povão ficou horas engarrafado no trânsito atrás do protesto do MST, tal e qual a entidade umbandense Tranca Rua. Resultado: todo mundo chegou atrasado ao serviço público fuderal. Mal deu tempo para bater o ponto, pendurar o paletó na cadeira, sair para almoçar e voltar três horas de depois. Se fosse no tempo do PT, seria ponto facultativo.

Aquelas bandeiras vermelhas tremulantes no planalto central exigem que o “presodenciável” Luiz Falácio Lula da Silva concorra à eleição. Eles têm razão, afinal o Lula já está preso, o que não deixa de ser uma vantagem frente aos outros postulantes. Sem esquecer que Lula na cadeia não precisa de auxílio moradia.

Eu, Agamenon Mendes Pedreira, estou com o Lula e não abro. Afinal sou um homem de esquerda: nunca fiz nada direito. Uma vez eleito Lula, volta ao poder nos braços do povo e poderá, finalmente, criar a Ursal, União das Repúblicas Socialistas da América Latina.

Nem Marx, nem Lenin, nem Stalin, Mao Tsé-Tung, Pol Pot, Enver Hohxa ou o Cabo Daciolo, nos seus delírios mais delirantes, iriam pensar em fundar uma República Socialista na América Latina. E a grande vantagem é que não tem a menor possibilidade de dar certo, mas, em compensação, vai acabar o desemprego no Brasil. Imaginem a quantidade de gente que vai precisar para o Soviete Supremo, o Secretariado Político, o Pleno dos Sovietes Latino-Americanos, a Juventude Latinista, o Komintern…

Sem falar na KGB sob a direção do Joseph Dirceu. Os Gulag, campos de reeducação política, ficarão localizados no interior do Piauí, a Sibéria brasileira, e as clínicas psiquiátricas cuidarão da saúde mental e física dos dissidentes em 110 e 220 V.

Vamos unir, através do Socialismo Redentor do lulismo, toda a América Latina, do Atlântico ao Pacífico, da Patagônia à fronteira do Rio Grande, no México, onde vamos construir um gigantesco muro higiênico para nos separar do nefasto capitalismo imperialista norte-americano.

A Nicarágua, a Guatemala, a Venezuela, o Peru e a Bolívia já estão irmanados na construção dessa nova civilização superior, que vai transformar a sociedade humana, acabando de uma vez por todas com a exploração do homem pelo homem e da lhama pela lhama.

Brasília será por direito a capital deste país continente, mas mudando o nome para Lulogrado.

O Socialismo vai funcionar de segunda a sexta, das nove às cinco da tarde, com duas horas para almoço. Folga todo fim de semana. Todo mundo será funcionário público, com direito à aposentadoria integral com 25 anos de idade ou 15 dias de serviço, o que for menor, contando os 9 meses de vida intrauterina. Ainda vai ter auxílio moradia, auxílio doença, bolsa família, bolsa presidiário e bolsa corrupto, sem esquecer os direitos adquiridos de quinquênio, biênio e licença-prêmio a cada dois meses de serviço. E o mais importante: o programa de inclusão social Minha Dacha Minha vida.

Agamenon Mendes Pedreira vai ser Embaixador da URSAL em Paris.

banner_arte_02

É GRAVE A CRASE! E A VÍRGULA TAMBÉM!

O Brasil voltou 2 ânus em 20. Um deles com certeza só pode ser o meu. Como é que um governo que não sabe nem colocar uma vírgula no lugar certo vai querer corrigir o Brasil? A crise é tão grande que até as vírgulas estão em falta. E só são colocadas de maneira errada porque foram superfaturadas por marqueteiros gananciosos.

Mas o Brasil voltou? Mas ele (o Brasil) tinha ido aonde? À m*&%$#*&erda é que não foi porque o país já está lá há muito tempo. Se o Brasil foi pra algum lugar, bem que poderia ter ido pra Miami, mas com esse dólar não tem como. O Brasil está indo para Portugal, talvez por causa da língua. O Brasil quase que foi para Cuba, ou Caracas… Não sei qual seria pior…

Esse governo do Temer já começou errado. Desde o Princípio, o Temer é o Fim. O Temer era vice da Dilma. Vejam bem: reserva da Dilma Roskof! Quem é o reserva do jumento? O jegue? O burro? Que tipo de cavalgadura? Não, é o Michel Temer.

Michê Temer, o homem que introduziu a mesóclise, a próclise e a ênclise na política brasileira, criou o único governo em nossa História de centro-mesóclise. O Temer tirou o Brasil da recessão e o colocou numa mesóclise. Foi traído por uma vírgula. Logo o Temer, um homem que sempre cultivou a última flor do Lácio, inculta, recatada, bela e do lar.

O Lula disse que, quando sair da cadeia, vai consertar o Brasil, a começar pela gramática. Está inclusive aproveitando a temporada na tranca para escrever um livro didático: Lissões di Portugeis. A ditadura torturou os seus opositores, os marqueteiros violentaram a gramática. É isso. Ponto. E vírgula.

Agamenon Mendes Pedreira é imortal da ABL, Academia Brasileira de Lesmas.

 

 

banner_arte_02

Álbum de Figuraças

Não tem operação Lava Jato, não tem corrida presidencial, não tem prisão do Lula! A única coisa que interessa e preocupa o povo brasileiro, do Sul ao Norte, do Leste ao Oeste, do Oiapoque à Marilena Chauí, é o álbum de figurinhas da Copa. O país inteiro está mobilizado para completar o álbum de figurinhas da Copa da Rússia. Mesmo porque, aqui no Brasil a coisa tá russa. Até mesmo Coxinhas e Mortadelas esqueceram suas divergências gastro-ideológicas para, de modo pacífico e civilizado, realizar o troca-troca das figurinhas repetidas.

Nas praças e avenidas, onde as multidões se juntavam para xingar o PT ou pro impeachment da Dilma Roskof, agora se reúnem para a permuta de estampas de jogadores de futebol de países estranhos. Qual a explicação antrepo-sociológica para esse fenômeno inexplicável?

Além dos adolescentes irresponsáveis, dos adultos débeis mentais e das criancinhas inocentes, a única coisa que dá certo no Brasil hoje em dia é o Álbum de Figurinhas da Copa. Graças a esse empreendimento Copular da Rússia, os jornaleiros, que estavam indo à falência, voltaram a prosperar, já que as publicações em papel estão em processo de extinção, assim como eu, Agamenon Mendes Pedreira, que virei uma peça de museu, um fóssil vivo que ninguém mais quer ver. Mesmo que estivesse empalhado e mumificado, exposto em algum museu, ninguém ia poder me ver porque os museus todos estão fechando por falta de verba.

Mas verba é o que não falta no mais novo lançamento da Editora Paganini. Não satisfeitos com o sucesso do Álbum da Copa, os gananciosos editores figurinistas lançaram o Álbum de Figurinhas da Lava Jato, que, todo dia, lança uma figurinha nova e que nunca se repete. E mais: tem figurinha brilhante, diamante, de ouro e dólar que é disputada à tapa pelos bandoleiros, quer dizer, os doleiros da Lava Jato, como Rouberto Youssef e Dario Messi, o maior craque da bandolagem brasileira!

Agamenon Mendes Pedreira é jornalista escroque e mau-caráter, uma Madre Teresa de Calcutá, uma Zilda Arns, o sujeito mais honesto da Terra, perto dessa galera que pegou pesado na política, no empresariado organizado, no direito criminal e outras atividades ilícitas muito mais lucrativas que o jornalismo, Alcione, o marrom.

banner_arte_02

EU VOLTEI! VOLTEI PARA VOTAR!

 

Felizmente, nenhum dos meus 17 leitores se deu conta do meu súbito desaparecimento aqui n’O Antagonista. Na verdade, tive alguns problemas trabalhistas com a diretoria deste site.

Segundo o Departamento Pessoal, a minha relação laboral com este órgão digital da imprensa está em desacordo com a lei. Para ser mais preciso, com uma lei promulgada em 13 de maio de 1888 que estabelece o fim do trabalho não remunerado no Brasil.

De acordo com o Departamento Jurídico d’O Antagonista, dirigido pelo célebre adevogado Dr. Kakay, no meu caso esta lei não se aplica, uma vez que eu, Agamenon Mendes Pedreira, não sou afrodescendente. A meu favor, obtemperei junto à administração que poderia ser enquadrado na categoria cafuzo, dentro da “política de cotas” para alvo-caucasianos.

Foi tudo em vão. Surdo a meus argumentos, o Seu Mainardi achou por bem manter a minha tradicional relação trabalhista com este órgão cibercontraditório, inclusive com relação ao salário e demais direitos. Continuo recebendo zero, com adicional de hora-extra e periculosidade. Também não tenho direito a férias, décimo terceiro nem Fundo de Garantia, mas, em compensação, tenho direito à participação nos prejuízos. Por outro lado, as chibatadas semanais receberam um generoso reajuste, passando de 40 para 55 açoites, sem contar os costumeiros insultos por conta dos leitores neobolsonaristas, que me acusam de esquerdista, e os xingamentos dos leitores cripto-lulistas, que me acusam de fasci-nazista. Reconheço que devo todas essas conquistas à reforma trabalhista do governo Michel Temer.

Foi por isso que aproveitei a distração da chefia para escafeder-me no período natalo-reveiolino e assim repousar um pouco o meu castigado lombo. Mas estou de volta, pronto para enfrentar este ano eleitoral de 2018 cheio de oportunidades. O meu amigo, o ministro Gilmar Mentes, ficou inclusive de me arrumar uma boca. Uma boca de urna ou boca de fumo, ainda não sei. Isso vai depender de umas conversas que ele ficou de ter de madrugada com o presidente no Palácio do Jabáuru. Tem que manter isso, viu?

Uma rara imagem de Agamenon Mendes Pedreira repousando na sala de estar d’O Antagonista.

Uma rara imagem de Agamenon Mendes Pedreira repousando na sala de estar d’O Antagonista.

Agamenon Mendes Pedreira é escravo-padrão d’O Antagonista.

 

 

banner_arte_02

DIGA AO POVO QUE BENFICO!

A que estado chegamos! O Estado do Rio, é claro! O presídio de Benfica agora tem entre seus hóspedes o ex-governador Sérgio Cobrou Filho, Jorge Puccilânime (presidente da ALERJ – Assembleia dos Ladrões do Rio de Janeiro), Carlos Rouberto Nuzman, a “adevogada” Ladriana Ancelmo e até a ex-governadora Rosquinha Garotinho. Seu marido Bandidanthony Garotinho, depois de muito chorar, espernear e fazer birra, foi transferido para a FEBEM.

Nesse presídio muito também estão na tranca $ecretário$, a$$e$$ores e autoridade$ que transformaram o Rio de Janeiro em Rios de Dinheiro, desviando-os diretamente para seus bolsos, que rapidamente eram esvaziados para extravagâncias dinheirísticas dignas de marajás e membros da família real saudita como o Sheik Especial, que torrava sua grana sem limites.

Indignados com a presença desses bandidos de colarinho sujo, os marginais, homicidas, meliantes, batedores de carteira e ladrões de galinha que também estão presos em Benfica resolveram entregar um abaixo-assinado ao diretor daquela unidade penitencial porque não toleram conviver com gente desse nível lado a lado. Além do mais, os pobres apenados começam a Temer pela própria vida e consideram a ida dessa quadrilha para Benfica a maior carceragem!

Num flagrante claro de desaforo privilegiado, os guardas do presídio descobriram uma enorme Smart TV na cela de Sérgio Cobrou Filho, na qual o ex-governador passava o dia assistindo a fitas pornôs, que, na verdade, eram vídeos de segurança do seu gabinete, onde rolavam as sacanagens mais escabrosas. E, como se não fosse bastante, os políticos, em vez de comerem o pão que o diabo amassou (servido diariamente na cadeia), se regalam com iguarias caríssimas como caviar, foie gras e presunto de Parma, presunto que foi desovado ali por um miliciano amigo da galera.

 

Sem ter mais o que roubar, os quadrilheiros de Benfica passam o dia inteiro jogando xadrez, que é de onde se espera que eles não saiam tão cedo.

Sem ter mais o que roubar, os quadrilheiros de Benfica passam o dia inteiro jogando xadrez, que é de onde se espera que eles não saiam tão cedo.

 

Agamenon Mendes Pedreira quer ser preso logo e ir para Benfica usufruir as mordomias do ex-governador Sérgio Cobrou.

 

banner_arte_02

TODO PHODER AOS SOVIETES!

 

Ninguém mais se “alembrou”, mas agora, em outubro, os esquerdisto-socialistas comemoraram os 100 anos da Revolução Russa. A Revolução Bolchevique aconteceu quando os comunistas, comandados por Luiz Smirnoff Lula da Silva, o Lênin, tomaram o poder na Rússia. Desde então, o mundo se dividiu em dois: “nóis” e “eles”. “Eles”, no caso, somos nós, e “nóis”, por consequência, são eles. Eles, ou seja, “nóis”, no caso eles, são os bonzinhos que querem acabar com a miséria do planeta através de “bolsas qualquer coisa” e “justiça social”.

Os socialistas acham que tudo tem que ser igual para todo mundo, só que alguns são mais iguais que outros porque são do Partido. E se o socialismo vai dominar o mundo, ele vai ter que começar por algum lugar. Por que não pode ser na geladeira lá de casa ou no sítio em Atibaia?

Luiz Inácio Lênin da Silva, o Lênine, não estava sozinho quando tomou o Palácio de Inverno na cidade de São Petersburgo (que depois da Revolução foi rebatizada de Lulingrado) durante o gelado outubro russo. Junto com ele estavam outros revolucionários de primeira hora, heróis do povo soviético, que ajudaram na empreitada: Antonio Pallostsky, Joseph Dirceu Stálin, Nadjlma Roussefkaya, La Passiodena, Mao Tsé Tung, Che Guevara, Pol Pot, Ho Chi Min, Kin Il Sun, Hugo Chawsky, Benedita da Silva e Lázaro Ramos (que entraram pela política de cotas), os irmãos Fidel e Raul Castro, Joesley e Wesley Batistoff, e os empreiteiros Bertold Odebrecht, Queirostsky Galvão e Andradski Gutierrez, sem contar os líderes populares Mikhail Temer, Geddelvsky Vieira Lima, Eliseyev Padilha, Moreira Fransky, Jaderevich Barbalho, Collor de Mellowsky, Renansky Calheirovitch, Joseph Sarneyski, Valdemarx Costa Neto e Aécio Nevsky. Também colaboraram para a vitória dos bolcheviques os ministros do STF – Soviete Tribunal Foderal: Gilmar Mentsky, Leon Tróstffoli e Eduardo Lewandosky, que nem russo era, coitado. São muitas as lideranças populares que arriscaram as suas vidas para assistirmos a aurora radiosa do regime socialista e que, assim, surgisse um novo homem (e uma nova mulher, um (a) novo(a) homoafetivo(a) e um novo transgênero), construindo uma nova sociedade justa, igualitária e fraterna desde que ninguém pensasse diferente do Partido, que, como já disse, “semo nóis”. No caso, eles.

E assim se passaram cem anos…Parece que foi ontem.

Para dar inicio à grande obra socialista, os bolcheviques criaram o PAC – Programa de Aceleração Comunista, desviando o curso do rio Volga para que suas águas desembocassem no sertão do São Francisco. Graças aos GULAGs, enormes frentes de trabalho escravo, os comunas acabaram com o desemprego na Rússia. Os bolcheviques também desenvolveram a psiquiatria de esquerda, que passou a funcionar em corrente contínua e alternada.

Aliás, Rússia não. Foi criada a URSS, União das Repúblicas Sindicalistas Soviéticas, filiada à CUT. URSS em caracteres cirílicos (o alfabeto russo) é CCCP e quer dizer: Cuidado Com o Companheiro Palloci. A União Soviética virou uma potência mundial, rivalizando com os Estados Unidos. Os soviéticos foram pioneiros na corrida espacial: depois de lançar o Sputnik, mandaram para o espaço a cadela Laika, que havia criticado o camarada Kruchov no Congresso do Partido. O cosmonauta Gagárin também caiu em desgraça depois de constatar que a Terra era azul, e não vermelha como uma bandeira do MST.

A União Soviética fundou a KGB, uma clínica médica que fazia qualquer mudo falar. A academia de Ciências da União Soviética foi a primeira a ter aulas de zumba, e o Circo de Moscou foi o primeiro a exibir intelectuais amestrados, como Jorge Amado e Luís Carlos Barreto, o Barretão. Os comunistas também criaram o Balé Bolshoi para dar emprego aos homossexuais, que eram perseguidos pelo regime.

Mas, infelizmente, o socialismo real não deu certo. Foi sabotado por uma Conspiração (Filmes) Internacional  (de Engenharia), que uniu a CIA, o FBI, o Vaticano, a Máfia, a Globo, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal. Perseguidos, os comunistas tiveram que fugir para Miami, onde pediram asilo ao Donald Trump.

Segundo a imprensa reacionária russa (patrocinada pela Vodka Smirnoff), a Revolução de 1917 foi golpe!

Segundo a imprensa reacionária russa (patrocinada pela Vodka Smirnoff), a Revolução de 1917 foi golpe!

Agamenon Mendes Pedreira é a testemunha ocular da História.

 

banner_arte_02

ASSIM COMIA A HUMANIDADE!

Há muito tempo atrás, no tempo em que os animais falavam e os políticos não roubavam tanto, a Capital Federal ainda era no Rio de Janeiro. Nos tempos de D. João Charuto, os deputados e senadores tinham suas garçonnières.

As garçonnières eram pequenos apartamentos, em prédios discretos, uns cafofos decorados com espelhos por todo canto, abajur lilás, eletrola com discos de bolero, cama com colcha de chenille, garrafas de uísque e um porta-gelo em formato de maçã.

Esses “abatedouros” serviam para que os parlamentares tivessem encontros furtivos com vedetes de teatro, balconistas da Sloper, secretárias do IAPETEC e outras criaturas que eles “ajudavam” em troca de pequenos favores. Naquele tempo, tinha gente que vivia numa boa; mais do que isso: era arrimo de família só com a renda do que hoje chamam de assédio sexual.

Naquele tempo, os nossos políticos f*&ˆ%$#odiam com uma pessoa de cada vez. De ilegal, a única coisa que se encontrava no recinto era um litro de uísque falsificado comprado de um contrabandista de confiança.

Mas o Brasil mudou. Por isso mesmo, os irmãos Lúcifer Vieira Lima e Jaddeu Vieira Lima alugaram aquele apartamento em Salvador para guardar 51 milhões de reais e assim f*%$#@&oderem com um monte de gente. E ao mesmo tempo! E vejam bem: “os mano” realizaram essa façanha sem lançar mão de Viagra ou qualquer outro medicamento paudurecente de uso exclusivo das Forças Armadas.

Mas os irmãos Vieira Lima não estão sozinhos. A cientista genética Mariana Zatz vai pesquisar e estudar a corrupção no Brasil para verificar a hipótese de que  a roubalheira no país seja uma questão genética. Sigam-me o meu raciocínio: além dos irmãos Joesley e Wesley Safadão, tem o Renan pai e o Renan filho, tem o Jader pai e o Jader filho, tem o Bolsonaro pai e o Bolsonaro filho, tem o Sarney pai e o Sarney filho, tem o Lobão pai e o Lobão filho, tem o Rodrigo genro e o Moreira, que não são parentes mas são farinha do mesmo saco (ou escroto). No Brasil, a bandidagem é uma questão de DNA.

Como diria a Glória Maria: é muita emoção, gente! É o espetáculo da Natureza! O ser humano veio de uma ameba unicelular que evoluiu por milhões e milhões de anos até chegar no Homo sapiens. Pois é, mas quando chegou no Brasil, a Mãe Natureza, nepotista, patrimonialista e corporativista, deu vida a uma nova espécie: o Homo roubiens.

Ao saber que a roubalheira no Brasil está no DNA, um conhecido político corrupto comentou aos risos: “Cromossomos ladrões!”.

Ao saber que a roubalheira no Brasil está no DNA, um conhecido político corrupto comentou aos risos: “Cromossomos ladrões!”.

Agamenon Mendes Pedreira tem um cromossomo a mais.

 

banner_arte_02

HÁ MALAS QUE VÊM PARA O BEM

 

Eu tenho pena do meu amigo Geddel Vieira Lima. Geddel chora por qualquer coisinha. Chorou na frente do juiz para sair da cadeia e agora, de volta ao xilindró, chorou de novo na porta da tranca. Chorando desse jeito, Geddel vai acabar virando “mocinha” na cadeia. O problema é que Geddel sempre foi muito emotivo: tudo pra ele emotivo pra roubar.

Antigamente, nos tempos de D. Getúlio Charuto, os políticos tinham uma garçonnière, um apartamento secreto que eles usavam para receber umas criaturas, umas mocinhas que eles “ajudavam”. Hoje, ao contrário, os políticos brasileiros, no lugar das amantes sedentas de sexo, preferem guardar malas cheias de dinheiro. Deve dar mais prazer. Alguns, mais tarados, chegam a ejacular em cima dos montes de notas de 50 e 100 reais.

Por isso mesmo, apesar da recessão, a indústria de malas, mochilas, baús e contêineres não para de crescer no Brasil. Malas de todos os tipos são disputadas a tapa pelos partidos políticos. O modelo preferido é aquela feita de “couro de brasileiro”, bem macia de tanto apanhar e pagar imposto. Outros, mais sofisticados, preferem malas de grife como Louis Vuitton, Gucci ou Hermès, que é para facilitar o depósito em contas secretas na Suíça.

E esse foi o problema do Geddel Vieira Lima: a mania de guardar dinheiro dos outros sem que os outros pedissem. No caso, eu, você e todo mundo. Nessa parada do apê, Geddelzinho juntou 51 milhões de reais. Parece que o apartamento faz parte do projeto Minha Mala Minha Vida, mais um programa de inclusão social promovido pela coalizão PT-PMDB. Foram malas e mais malas, caixas e mais caixas cheias de dinheiro vivo. Só para contar aquela grana toda precisaram de mais de 14 horas de serviço. E usando máquina.

A questão do Geddel não foram as más companhias na infância. Geddel foi colega de turma do Renato Russo, e o Renato botou em Geddel o apelido de suíno porque Geddel gostava de roubar de tudo um “porco”. Em homenagem ao coleguinha, Renato Russo compôs Faroeste Caboclo. Além de sofrer bullying, Geddel teve uma infância pobre e miserável. Depois que entrou para política, Geddel deixou de ser pobre, mas continuou um miserável.

A mãe do Geddel, Dona Marluce, acha que o filho é doente. Se roubar for mesmo doença, então cadeia é penicilina. Acontece que Geddel é irmão do deputado Lúcio Vieira Lima, da lista da Odebrecht. Deve ser doença genética.

A mãe do Geddel, Dona Marluce, acha que o filho é doente. Se roubar for mesmo doença, então cadeia é penicilina. Acontece que Geddel é irmão do deputado Lúcio Vieira Lima, da lista da Odebrecht. Deve ser doença genética.

Agamenon Mendes Pedreira é um mala sem alça cheia de dinheiro.

banner_arte_02

O GILMAR NÃO TÁ PRA PEIXE!

Quando a gente pensava que a coisa estava feia, aí veio o Gilmar Mendes e a coisa ficou muito pior. Como diria a minha avó, “Gilmar Mendes é um purgante!”. Gilmar é uma espécie de Lacto Purga do Supremo Tribunal Federal: solta tudo. Não tem bandido, malfeitor, escroque ou estuprador que o Gilmar Mendes não solte com barulho ensurdecedor e fedor insuportável, incomodando e constrangendo toda a sociedade. Tremenda falta de educação do magistrado.

Convoquei o meu personal psicoproctologista, Dr. Jacintho Leite Aquino Rego, para fazer uma análise psicopatológica da obra do eminente jurisconsulto. Dr. Jacintho recolheu uma amostra da obra de jurisexcrecência do Gilmar numa latinha e, depois de um exame detalhado ao microscópio, garantiu que o famoso rábula não tem fixação na Fase Anal Retentiva, muito pelo contrário.

Além da capa na Veja, Gilmar conseguiu uma façanha: virou uma unanimidade nacional, coisa rara no Brasil de hoje em dia. Gilmar Mendes é um dos sujeitos mais odiados do país. E olha que a concorrência é grande! Alheio a tudo e a todos, o arrogante meretríssimo, com medo, vive todo togado. Por isso mesmo, está mandando soltar todo mundo que foi preso pela Lava Jato. Não satisfeito, Soltar Mendes, entrou em guerra com o Procurador Geral da República, Rodrigo Jávou. Tirando partido de sua beiçola proeminente, Gilmar Mentes deu um beiço na opinião pública, que não aguenta mais ver tanta bandidagem de colarinho branco e reputação marrom solta por aí.

E não ficou só nisso, não! Num arrojado gesto de escárnio jurídico, Gilmau Mendes mandou soltar o seu compadre Jacob Barato. Gilmar foi padrinho de casamento da filha do empresário e inseto. Gilmar Mentes se esqueceu que o Barata sai caro e disse que não vê nenhum constrangimento nisso. Aliás, o mesmo argumento utilizado pela raposa que foi chamada para tomar conta do galinheiro.

E por falar em raposa e galinheiro, o senador de alta periculosidade, Aético Neves, quer de volta a presidência do PSDB (Partido Só De Bundões). Beócio Neves estava afastado do galinheiro tucano por mau comportamento. Aecinho desde menino foi problemático. Filho de pais separados, Aécio foi criado pelos avós que lhe faziam todas as vontades. Quando passou no vestibular, ganhou o estado de Minas para dirigir. Depois que o avô morreu, achou que iria herdar o Brasil, mas acabou ficando só com um apartamento na Avenida Atlântica. O problema é que, desde pequeno, o Abominável Aécio das Neves gosta de andar em más companhias, como o Luciano Huck, o Calainho, o Diniz, Furnas e a JBS.

gilmar-mendes

Modus in Rebus, Gilmarun Meandes, fotutum est.

Agamenon Mendes Pedreira é jornalista em regime semiaberto.

 

banner_arte_02

VIAJANDO E ANDANDO

O presidente Michê Temer acaba de voltar de sua turnê vitoriosa fracassada pela Rússia e Noruega. Na verdade, o povo queria mesmo era que o Temer fosse visitar lugares mais distantes. Mas os brasileiros estão divididos sobre o assunto: alguns querem que o Temer vá à m*!#*!*erda, o resto acha que ele deve ir pra PQP mesmo. Na verdade, não faz o menor sentido o presidente ir à me@##$$%!&ˆ%rda. O Brasil já está lá há muito tempo e não precisa nem quer a companhia presidencial.

Enquanto isso, leio os jornais antes de dormir. Nos meses gelados de inverno, os periódicos, além de cobertor, servem para ler as notícias. Sem falar no auxílio à higiene íntima reto-furicular. Estou muito preocupado com a crise da imprensa impressa. E isso não é Fake News! Os jornais estão cada vez mais magros e esquálidos, vivendo no maior miserê. A Folha de domingo, só com os classificados, limpava a bunda de uma família a semana inteira. Hoje, para limpar, só temos os artigos do Jânio de Freitas e os retratos do Gilmar Mendes. Os dois lados.

Confesso que gosto de fumar os artigos do Gabeira no Globo, que sempre fizeram a minha cabeça, mas o resto dos nossos analistas políticos viraram repórteres policiais de porta de delegacia. Todos atrás de mais um escândalo, de mais um presunto. De preferência da Seara. Analistas políticos acham que, na crise em que estamos, o povo precisa ir pra rua. Ora bolas! O povo já está todo na rua há muito tempo! Uns 14 milhões, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Ginecologia Estatística). Os brasileiros estão na rua procurando um serviço para descolar “algum qualquer” pra comprar um osso e botar na sopa. No desespero, já tem gente revirando lata de lixo. Deviam ir para Brasília. Lixo é o que não falta por lá.

E a crise continua braba: agora Michê Temer foi denunciado por corrupção e se tornou o primeiro presidente em exercício de nossa História a receber essa honraria, quer dizer, desonraria. Isso deixou mortos de inveja Dilma Roskoff, Luísque Inácio Lula da Silva e Fernando Cóllon de Mello, que fizeram de tudo para receber essa “dura” da PGR, Procuradoria Geral da Roubalheira. 

 santo antonio

Nas festas juninas da crise, a mulherada faz promessa para Santo Antônio não para arrumar marido, mas para arrumar um patrão. É mais garantido.

Agamenon Mendes Pedreira é desempregado concursado.

banner_arte_02