banner_arte_02

 O PARQUE DOS BOLSONAUROS!

Enquanto brasileiro desempregado e negativado agora sou bolsonarista de carteirinha. Sou mais Bolsonaro que o Alexandre Frota, o Kid Bengala e o Oscar Maroni juntos engatados num trenzinho. Por isso mesmo já transferi o meu Dodge Dart 73, enferrujado, antes estacionado na Rua da Amargura, s/n, para a porta do condomínio bolsonarista, que fica na Barra da Tijuca no Rio de Janeiro.

Agora sim poderei me dedicar diuturna e, diariamente, a puxar o saco do Mito com o intuito de fazer arrumar “algum”  qualquer no governo. O problema é que tem tanta gente pendurada no saco do presidente eleito que não nem dá mais para separar o que é mão do que é escroto. No fundo (e no raso) é tudo a mesma coisa. Inclusive, já sugeri ao General Tourão e o General Hellenão a ideia de criar um programa de inclusão social o “Bolsa Nauro” que vai pagar um subsídio aos militantes bolsotecas.

A única coisa que não gostei na festa do Bolsonauro foi aquela reza comandada pelo Magno Malta, o oportunista de Cristo. Foi um ato de fé, reconheço. Mas todos sabem que o Brasil é um país laico. Estado é religião tem CPF diferentes. Jesus Cristo disse: “A Deus o que é de Deus, a Chico César o que é de Chico César” ( Pronômios 3, 5). A Fé é muito importante e os brasileiros tem muitas fezes: cristãos, muçulmanos, judeus, macumbeiros, espíritas, candomblecistas, umbandistas, zoroastristas, evangélicos, sem falar nos ateus e nos atoas como eu.

Mas ao contrário do que pensa o Chico Buraque, o problema não é o Bolsonaro, mas sim os bolsonaristas que no seu fanatismo bolsomitico confundem o raciocínio do capitão com boçalidade e ameaçam dar porrada em quem não concordar com que o como pensam. Mas aí é que está a questão: o pensamento destes caras se resume a 400 flexões, 600 abdominais e mil polichinelos.

Para o bolsoanabolizado fanatista de direita todo mundo é um perigoso comunista inclusive o cara que ele pegou no quarto, socializando, a “esposa” dele.

É tudo a mesma coisa. Antes, nos governos comuno- petistas, tinha aqueles barbadinhos cabeludos, camiseta do Che Guevara, boné do MST, chinela alpercata e bolsa de couro. Agora é só mudou um pouco. Agora é um bando de mocorongo parrudo,cabelo reco, camiseta apertada e um olhar distante na tentativa de dar a impressão de que está entendendo alguma coisa. É como se o Carlos Massaranduba tivesse chegado no poder.

Mas tem que se tomar muito cuidado, ao contrário dos matusquelas do PT, estes caras são fortes pra caramba e, como no Exército, não costumam “ponderar”. Ordem dada é agressão cumprida.

O que me deixa satisfeito e consolado é que além da soja, do futebol e do samba, a estupidez é uma coisa que une a todos os petistas e bolsonaristas radicais. Já é um bom começo.

Como vocês pode ver na foto na foto abaixo já estou com a mão no Bolso do Bolsomito.

Agamenon Mendes Pedreira agora é Agamito Mendes Pedreira

banner_arte_02

Bolsoddad ou Haddanaro?

O Brasil está à beira do precipício. Até aí nada de mais. Os brasileiros, desesperados, procuram uma saída. Muitos já estão pensando em se mudar para a Venezuela em busca de uma vida melhor. A Bolívia e o Paraguai planejam construir um muro eletrificado de 20 metros de altura para impedir a invasão de brasileiros que vai ocorrer independente do resultado da eleição.

O Brasil é o único país do mundo em que se pode dizer, com certeza, que hoje é muito melhor do que amanhã.

Nos dias que correm, existem hoje dois tipos de brasileiros: os otimistas e os superotimistas. Os mais otimistas acham que está ruim, mas, de repente, pode piorar. Já os superotimistas estão muito deprimidos para fazer qualquer previsão. No fundo (e no raso), existe sempre um pouco de esperança. O problema é que a esperança é tão pouca que não vai dar para todo mundo. Enfim, está provado de forma definitiva e cabal: Deus é brasileiro e, como bom brasileiro, está de sacanagem.

Se é verdade que os brasileiros estão divididos em dois grupos, felizmente existe pelo menos um ponto em comum: as duas metades se odeiam com todas as forças do seu “eu” mais profundo. E o pior é não existe nenhum motivo para tanta discussão: qualquer que seja o resultado das urnas, temos a certeza de que não existe a menor possibilidade de o país dar certo,  o que não deixa de ser um consolo.

Agora no segundo turno então bagunçou geral. Na tentativa de mudar os votos do primeiro turno, os dois candidatos estão prometendo qualquer coisa. Fernando Paumanddad quer armar a população, e o Bolsosauro já confirmou presença na Parada Gay. Até o presidionário Lula mudou o nome para Luiz Bolsonarácio Lula da Silva para ver se rouba uns votos dos bolsonistas.

 

Para mostrar que não é mais homofóbico radical, Jair Bolsonazi anunciou que vai ter Parada Gay todo dia 7 de setembro.

Agamenon Mendes Pedreira é analista político freudiano.

banner_arte_02

O HOMEM DAS CASERNAS!

O Brasil é um cadinho de raças, um balaio de etnias, uma mistura de laias, uma curriola. O Brasil é um experimento genético fracassado. Deviam pegar o Brasil inteiro, enfiar num pote de vidro, cheio de álcool, e levar para mostrar numa feira de ciências.

O brasileiro é o resultado de uma mistura selecionada de raças e de suas características: a preguiça do silvícola, a malandragem do afrodescendente e a imbecilidade do militar.

Essa chapa Boçalnaro-General Morrão é uma aberração, uma excrecência, uma improbabilidade física, já que dois imbecis não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo.

Pois então! Todo mundo sabe que Jair Messias Bolsonazi é capitão e que o Mourão é general. Ora, no caso de serem eleitos, um general vai ter que bater continência a um capitão? Isso não pode! É quebra de hierarquia militar, e a hierarquia militar é o apanágio de nossas Forças Armadas! Seja lá o que for apanágio!

Outra aberração genética é a chapa de três cabeças: Lula, Haddad e Manuela D’Ávila. São três cabeças que, somadas, não dão um encéfalo completo. Por conta da recessão econômica brasileira, está faltando neurônio no mercado, o que acaba prejudicando a eleição brasileira.

Vejam só a candidatura de Ciro Angu do Gomes. A campanha nem bem começou e Ciro já queimou a largada. Ciro foi corneado pelo PSB, Partido da Sacanagem Brasileira, e pelo PT, Partido da Trairagem. Ninguém quer saber dele. Ciro acabou sozinho, pendurado na brocha. Dizem que o Ciro tem o pavio curto; aliás, foi por isso que a Patrícia Pilar se separou dele. Puro preconceito. Todo mundo sabe que não importa o tamanho do pavio, e sim a exploração que ele proporciona.

Enquanto isso, Marina da Selva, a candidata vegana, continua na moita. Ninguém sabe o que Marina faz acocorada atrás da touceira − será o Plano de Governo? Com Marina da Silva, o Brasil vai virar um país 100% orgânico, sem glúten nem lactose.

Agamenon Mendes Pedreira é vice na chapa de pulmão.

banner_arte_02

ELES QUEREM É PHODER!

No Brasil, o que não falta é candidato a presidente da República. Também com esse desemprego todo comendo solto, o pessoal tá pegando qualquer “sirviço”! A Presidência até que é um empreguinho bão. O presidente (ou presidenta) pega às nove, larga às dez e ainda folga no fim de semana. Tem décimo terceiro, férias, fundo de garantia, carteira assinada e, se ficar doente, vai direto pro Sírio-Libanês. Fila do SUS? Nem pensar! E o melhor de tudo: pode roubar à vontade que depois o Congresso libera.

E não é só isso! Presidente da República, como todo emprego público, não precisa trabalhar. Além disso, o cobiçado cargo é cheio de vantagens, mordomias, biênios, quinquênios e licenças-prêmio. São os direitos adquiridos. Mas a Presidência era melhor ainda no tempo dos militares porque naquela época tinha mais estabilidade.

Até mesmo eu, Agamenon Mendes Pedreira, desempregado crônico, vivendo no mais completo miserê (e posando pra foto do Sebastião Salgado), estou pensando em me candidatar. Só não me lancei ainda porque um quase imperceptível restinho de escrúpulo insiste em ocupar uma parte remota do meu (mau) caráter.

Mas os brasileiros precisam de candidatos. Estão ficando nervosos, agoniados, ansiosos, pois querem escolher cuidadosamente quem vão passar a odiar, xingar e culpar por todo seus os problemas a partir de 1 de janeiro de 2019.

A campanha nem começou, mas já tem candidato para todos os gostos. Luiz Larápio Lula da Silva não para em canto nenhum. Com medo de ir pro xilindró, Luísque Inácio já está percorrendo o Brasil em caravana, parece até o bando do cangaceiro Lampião fugindo da polícia. Pena que não tem mais Dona Marisa Bonita…

Na outra ponta, temos Jair Boçalnaro, o candidato do LGBT (Liga dos Generais e Batalhões dos Tenentes). Boçalnazi é o candidato mais preparado para ser presidente do Brasil, pois já confessou que não entende de economia, não entende de matemática, nem biologia, muito menos física ou geografia. É um zero à esquerda, quer dizer, à direita. Bossaunauro é o candidato das viúvas da Ditadura Militar, que sonham com a volta do Brasil Potência, quando vai ter Bolsa Viagra pra todo mundo.

Como se vê, para ser candidato a presidente no Brasil, tem que ser populista. Um populista (de esquerda ou de direta) é um sujeito que, pra agradar o povão, promete entregar mundos e fundos, mas, na verdade, só o Jean Willis é capaz de entregar os fundos.

Só falta um populista de centro. Faltava, porque agora o apresentador Lucinasno Huck resolveu meter o nariz na política e lançou sua candidatura com patrocínio do Itaú, da Nissan, da Vivo, da Oi e da TIM.

Amigo do Beócio das Neves, do Joesley Bndestista e do Lula, Huck veio de baixo, bem de baixo para poder puxar o saco de todo mundo que lhe interessasse. Conhecido como arrivista, demagogo, oportunista e populista, Huck infelizmente também possui alguns defeitos.

Huck já estruturou o seu programa de governo, que será apresentado todos os sábados, depois do almoço, na Globo.

Huck já estruturou o seu programa de governo, que será apresentado todos os sábados, depois do almoço, na Globo.

Agamenon Mendes Pedreira é humorista sem fronteira.

 

banner_arte_02
banner_arte_02