banner_arte_02

Depois da história que originou o grupo Casseta & Planeta estar ligada aos impressos “Planeta Diário” e “Casseta Popular”, sucessos de público e processos na década e 80, o caminho mais natural desses ousados humoristas seria conseguir uma cadeira na Academia Brasileira de Letras… Mas como os seguranças de lá também são imortais, roubar o móvel mais cobiçado da literatura brasileira foi impossível.

Mesmo com o sucesso na televisão, cinema, música e internet, os Cassetas não abandonaram o vício de escritores e juntaram suas mentes sacanas e criativas para enfileirar dezenas de livros de piadas e humor que se tornaram verdadeiros best sellers do ramo. Logo após vieram as obras sobre quadros de sucesso do programa e do jornal, como do Agamenon, Seu Creysson e das Organizações Tabajara. Junto a isso se somam livros sobre temas sugestivos como Copa do Mundo, esoterismo, sexo, pirataria e até autoajuda (que é pra você deixar de ser um merda!).

Os Cassetas também arriscaram voos solos.

Bussunda escreveu sobre sua viagem e cobertura da vitória brasileira na Copa do Mundo de 1994 e o filosófico “Alô, rapaziada!”.

Helio de La Peña deu uma moral histórica aos papais na autoajuda “O Livro do Papai” e acabou realizando seu sonho de ser jogador de futebol escrevendo “Vai na bola, Glanderson!”. “Meu pequeno Botafoguense” mostra a paixão do De La Peña pelo Glorioso.

Beto Silva é o cara da ficção entre os Cassetas. “Cinco Contra Um” e “Julio Sumiu” provam isso. Este último, inclusive, virou filme. Sua paixão pelo Tricolor das Laranjeiras também acabou virando livro quando Beto foi convidado pra participar da série “O dia em que me tornei”, falando do Fluminense. “Uma Piada Pode Salvar a Sua Vida” é onde Beto conta como largou a vida no escritório pra virar humorista. Após colecionar textos em seu blog, Beto também resolveu compilar alguns dos mais bombados (e alguns novos) no “Blogando e Andando”.

Reinaldo já desenhava cartuns e charges desde o Pasquim e continuou fazendo isso ao longo dos seus mais de 40 anos de carreira. Reuniu suas obras nos incríveis “Escândalos Ilustrados”, “Desenhos de Humor”, “Noites de Autógrafos” e no recente “A Arte de Zoar”.

Finalizando a estante do Casseta, temos a biografia do jornalista Guilherme Fiúza num trabalho mágico sobre a vida do nosso saudoso Bussunda e as jóias literárias que trazem as melhores tiradas e reportagens do “Casseta Popular” e do “Planeta Diário”.

Boa risada e boa leitura a todos…