Preto com um buraco no meio

Preto com um Buraco no Meio, lançado em 1989, é o primeiro álbum do conjunto musical Casseta & Planeta

O disco reúne a maior parte do repertório dos shows, como o funk “Mãe é Mãe”, no qual Bussunda fazia sátira a Tim Maia. Outra faixa destacada, o samba “Tô Tristão”, tinha uma versão para execução pública, com letra suavizada. “Tributo a Bob Marley” também foi um quase-hit, e levou o grupo a se apresentar em programas de TV.
Preto com um Buraco no Meio foi originalmente lançado em LP e cassete. Nunca teve versão em CD, mas as principais faixas foram reeditadas em CD em The Bost of Casseta & Planeta, única compilação da banda.

Músicas

Mãe é Mãe

Composição: Bussunda
Alô rapaziada….
Disseram que eu não vim
Mas eu cheguei batido
Quero ouvir aquele swing esperto
Vamo lá!
(Refrão)
Mãe é mãe, paca é paca!
Mãe é mãe, paca é paca!
Mãe é mãe, paca é paca!
Mãe é mãe, paca é paca!
Mas mulher… Mulher… SOM!
Cade o som!? Atenção banda!
Meu filho… Cadê o retorno?
Não estou ouvindo a minha voz
Assim não dá!
Vamos começar tudo de novo!
(Refrão)
Mas mulher… Mulher… NÃO!
Mulher é tudo VACA!
Mas mulher… Mulher… NÃO!
Mulher é tudo VACA!
Melhorou!
Eu vou pedir licença a vocês
Que eu vô lá dentro
Vou fazer a barba
Alguém tem uma gilete
Eu vou pegar heim!?
Se você quer namorar
Ela quer ser sua amiga
Se você telefona e é que ela nem te liga
Mas se você joga duro
Quando cruza por ela
Finge que não vê
Aí ela fica de quatro
Te pede um sapato
Quer casar com você
(Refrão)
Mas mulher… Mulher… NÃO!
Mulher é tudo VACA!
Mas mulher… Mulher… NÃO!
Mulher é tudo VACA!
Cade? Cadê o grave?
Mais Grave, mais agudo
Mais retorno, mais som de voz
Não estou ouvindo nada
Enquanto ele ajeita o som
Eu vou pedir licença a vocês
E vou lá dentro, pentear o cabelo
Alguém tem um espelho ai?
Vou pegar heim!?
Vocês já sairam dez vezes
E até que foi bem legal
Mas ela não quer compromisso
Ela não quer ser casal
E quando você menos espera
Ela volta pro ex-namorado
Um cabra safado, pulha e ordinário
De quem ela falava mal… uaaaau!
(Refrão)
Mas mulher… Mulher… NÃO!
Mulher é tudo VACA!
Mas mulher… Mulher… NÃO!
Mulher é tudo VACA!
Vamos segurar esse swing esperto
Eu vou pedir licença a vocês
Que eu vou ter que me retirar
Chegou um rapaz, com um papel pra mim
Ai na porta
Me deu motivo pra ir embora
Eu vou ver o que ele quer
Tchauuu!
Mãe é mãe, vaca é vaca!!!

Diga

Composição: Bussunda
Diga que você ainda gosta de mim
Nem que seja assim só por telefone
Diga que você não encontrou outro igual
Diga que você quer que eu volte
Que precisa muito conversar comigo
Diga assim
Diga
Diga isso tudo que eu desligo!
Bato o telefone na sua cara
Não vou me importar…
Você que me mandou embora.
Na hora disse “filo por que qui-lo”,
Agora não vem chorar
Lágrimas de crocodilo
Pra cima de “moi”?
Essa não!
Eu quero te ver na sarjeta
E arrancar um a um os pelos da sua cabeça.
Eu quero te ver violentada, esfaqueada, esforneada, escoriada.
Envenenada com estricnina, menina.
Ah, eu quero te ver com a cabeça arrebentada.
Queimada e carbonizada
Atropelada por um rolo compressor
Meu amor.
Nanana nanana
Nanana nanana
Nanana nanana
Meu amor.
Diga que você me adora
Que você lamenta e chora
A nossa separação.
Diga isso tudo que eu desligo!
Bato o telefone na sua cara
Não vou me importar…
Você que me mandou embora.
Na hora disse “filo por que qui-lo”,
Agora não vem chorar
Lágrimas de crocodilo.
Pra cima de “moi”?
Essa não!

Com tanta gente passando fome

Composição: Bussunda
Cebola, rabanete e beterraba, eu não gosto de nada
Alface, agrião e tomate, eu odeio salada (odeio salada)
Quero feijão e batata, lingüiça e salsicha em lata
Ricota, mel e gergelim, isso não é pra mim
Eu quero carne mal passada!
Salmão, caviar, escargot, eu não dou valor
Comida é pra fazer cocô!
O-o-o- Pra fazer cocô!
O-o-o- Pra fazer cocô!
O-o-o- Pra fazer cocô!

 

A Lambada

Composição: H.Shibata, Bussullivan e Brassadas.
Bussunda  – chicote
Marcelo Madureira – Lombo e vocal.

 

Tributo a Bob Marley

Composição: Hubert, Claudio Manoel, Reinaldo Planeta, Beto Silva e Bussunda. Participação de Djavan
Um cara como eu no Brasil não tem vez
Tentei ir pra Lisboa, mas não sei Português
E todo mundo me dizia: Vê se vai pra Jamaica
Tentei ir pra Paris, Londres, Amsterdã
Ganhar alguma grana imitando Djavan
E todo mundo me dizia: Vê se vai pra Jamaica
Eu não vou Io io io io io io io
Eu não vou Io io io io io
Fui pra Nova York emplacar o meu Reagae
Ganhar algum dinheiro pra comer um X-egg
E todo mundo me dizia: Vê se vai pra Jamaica
Singa Pura, Bale, Java, Japão
Ouvindo a cantilena sempre o mesmo refrão
E todo mundo me dizia: Vê se vai pra Jamaica
Eu não vou Io io io io io io io
Eu não vou Io io io io io
Eu não vou Io io io io io io io
Eu não vou Io io io io io
Se o Brasil é assim, imagine a Jamaica
Se o Detran daqui é assim, imagine o da Jamaica
Se o Whisky Paraguaio daqui é assim, imagine o da Jamaica
Se a minha sogra aqui é assim, imagine na Jamaica
Eu não vou Io io io io io io io
Eu não vou Io io io io io
Eu não vou Io io io io io io io
Eu não vou Io io io io io
Se o cinema nacional daqui é assim, imagine na Jamaica
Se a meningite daqui é assim, imagine na Jamaica
Se os Argentinos daqui são assim, imagine os da Jamaica
Se o Botafogo daqui é assim, imagine o da Jamaica
Eu não vou Io io io io io io io
Eu não vou Io io io io io
Eu não vou Io io io io io io io
Eu não vou Io io io io io

Herança Genética

Composição: Claudio Manoel, Beto Silva & Leila Maia
O meu pai me batia muito, baby
Quase fui pra Cidade dos Pés Juntos, baby
Ele trabalhava no DOI-CODI
E me deixou meio assim…debiloide
Era tanta porrada na cabeça
Por isso eu digo: não esqueça
Eu não sou, eu não sou normal!
É!
Minha mãe comigo era uma fera, baby
Mas fazia a alegria da galera, baby
Meus amigos formavam fila no quarto
Aos dez anos quase tive um enfarto
Você vem com esse papo de repente
Você sempre soube que eu sou doente
(Qualé…)
Meu irmão me beijava na boca, baby
Me tornei um porra-louca, baby
Eu lambuzo meu cabelo com gumex
Tenho assinatura da Anal Sex
Você quer ir embora
Mas não sabe como
Só porque eu tenho
Mais um cromossomo
Meu irmão me beijava na boca, baby
Me tornei um porra-louca, baby
Eu lambuzo meu cabelo com gumex
Tenho assinatura da Anal Sex
Você quer ir embora
Mas não sabe como
Só porque eu tenho
Mais um cromossomo
O meu pai me batia muito, baby…

Tô Tristão

Composição: Beto Silva, Claudio Manoel, Bussunda e Mané Jacó
Eu tô tristão
Tô sofrendo pra caralho
Eu me fudi
Sou carta fora do Baralho (refrão (2x))
Mas quem mandou
Quem mandou nascer babaca?
Ela não quis
Eu fui sozinho pro Maraca
Aos dois minutos
O Zicão saiu de maca
E lá em casa
Ricardão fez gol de placa
refrão
Marquei com ela
Um cinema e um chopinho
Botei a beca
Fiquei todo mauricinho
Levei um bolo
Mas já estou acostumando
Um dia é pedro, outro é luís, outro é fernando
refrão
Sou muito chato
Eu sou meio mais ou menos
E além de burro
Ainda tenho pau pequeno
Eu sou um merda
Um Zé mané, um zero a esquerda
Se eu morrer
Ninguém vai sentir a perda
refrão (4x)

Com tanta gente passando fome

Composição: Bussunda
[falado]
-Aí, mermão, não dá para tocar uma música lenta?
-Aí ,não vai dar não, cumpádi.
[Bussunda]
Gente, gente!
Nós somos um grupo novo, de São Paulo, da Mooca
É o Caganeira
Alguém conhece a gente?
[público]
Nããããããoooo!!!
[cantado]
Eu sou adolescente
Na sociedade de consumo
Bala Juquinha
E Supra-sumo
Eu gosto de comer
Ana Maria e Nhá Benta
Da Copenhagen
Eu gosto de balinha Maravilha
E revistinha de sacanagem!
Eu sou adolescente
Na sociedade de consumo
De Prestobarba e de Bozzano
Meu sonho era ter carro do ano
Videocassete americano
E um apê na Zona Sul
Pra não ser mais suburbano
Eu sou adolescente
Na sociedade de consumo
Mas faço compra lá no Catete
Eu compro alça pra segurar latete
Um aparelho que descasca rabanete
E almofada para espetar meus alfinete
Eu sou adolescente
Na sociedade de consumo
Bala Juquinha
E Supra-sumo
Eu gosto de comer
Ana Maria e Nhá Benta
Da Copenhagen
Eu gosto de balinha Maravilha
E revistinha de sacanagem!

Rap do Vagabundo

Composição: Reinaldo, Hubert e Marcelo Madureira
Minha mãe quer que eu estude, meu pai quer eu trabalhe
Minha vó quer que eu me mude, mas eu já fiz o que pude
Já fiz teatro experimental, oficina de poesia marginal
Seminário de meditação transcendental, curso de sanduíche natural
Eu faço vídeo! Vídeo!
Eu faço vídeo!
Vagabundo é a puta que pariu!
Estava no Alto da Boa Vista, a Patamo me parou para uma revista
Queria me levar por vadiagem. Eu disse: “Eu não faço curta-metragem”
Entrar no camburão foi humilhação prum cara com a minha formação
Aquela caçapa tava lotada de vagabundo que não faz nada
Eu faço vídeo! Vídeo!
Eu faço vídeo!
Vagabundo é a puta que pariu!
Meu pai exige uma definição, que que eu escolha uma profissão
De preferência em computação, mas eu não crio sob pressão
Eu faço vídeo! Vídeo!
Eu faço vídeo!
Vagabundo é a puta que pariu!
Todos me chamam de encostado, só como e durmo e fico parado
Ninguém percebe que eu tô concentrado, criando um vídeo pra ser premiado
Eu faço vídeo! Vídeo!
Eu faço vídeo!
Vagabundo é a puta que pariu!
Botei meu vídeo na mostra da folha, só tinha careta e jurado bolha
Ninguém entendeu minha proposta, Matinas Suzuki achou uma bosta
Eu faço vídeo! Vídeo!
Eu faço vídeo!
Vagabundo é a puta que pariu!

 

Meu Bem

Composição: Beto Silva
Meu bem
Lembra quando a gente se casou
Era tudo tão bonito
Você professora primária e eu
Polícia no distrito!
Meu bem
Tudo era tão legal
A gente vivia coladinho
Você no tricô
E eu no radinho!
Meu bem
De repente tudo virou
Você foi estudar Sociologia
E começou a dizer que eu
Era agente da CIA!
Meu bem
Agora você passeia por aí
Anda calçada de Conga
Com essas roupas esquisitas
E esse jeito de riponga!
Meu bem
Você mudou demais
Depois que entrou pro PT
E teimou em espalhar pela casa
Aqueles pôsteres do Che!
Meu bem
Não sei mais o que fazer
Pois você está um saco
E eu já não agüento mais
Esses teus cabelos no sovaco!

Mobral

Composição: Reinaldo e Hubert
[falado]
O ontem já passou
O hoje é o que é
E o amanhã poderá não mais chegar
Num mundo sem flores
Só resta ao homem amar
Mesmo sabendo que amar sem ser amado
É como limpar o cu sem ter cagado
[cantado]
Quando eu vejo qualquer coisa
Começo a lembrar
De tudo que rolar
E de tudo que vai rolar…entre nós
Não tenho mais sossego
Não consigo trabalhar
É só fechar os olhos
Que começo a imaginar…nós dois
Um avião que entra no hangar
Um ganso se afogando em alto-mar
Uma minhoca se esfregando num buraco
Duas bolas na caçapa e um taco
Uma pasta de dente espremida até o fim
Uma índia segurando um aipim
Um psicanalista com a boca num charuto
O líquido e o produto interno bruto…bruto…
Talvez um escritor, um intelectual
Encontre a imagem ideal
Mas pra falar de amor só precisa sentimento
E ter feito pelo menos o MOBRAL…MOBRAL…
Um avião que entra no hangar…

Mama Áustria

Composição: Bussunda, Claudio Manoel, Hubert, Beto Silva, Mané Jaco e Helio de La Pena
Eu não sou neguinha, eu não sou negão
Sou branco azedo, africano não
Não como vatapá, não como acarajé
Só caviar, lagosta e beaujolais
Não não não, na-na-na-na-não
Ê… Mama Áustria
Ê… Mama Áustria
E e e e e
Meu cabelo é liso, e o do meu irmão
Não curto funk, não toco percussão
Não suporto samba, nem aperto um fino
Eu nunca li a lei Afonso Arinos
Não não não, na-na-na-na-não
Ê… Mama Áustria
Ê… Mama Áustria
E e e e e
Tranchtown, Alagados, Favela da Maré
Passo longe, nem sei onde é
Nunca fui barrado, nem levei geral
Meu pai de santo mora em Blumenau
Não não não, na-na-na-na-não
Ê… Mama Áustria
Ê… Mama Áustria
E e e e e
Eu não sou neguinha, eu não sou negão
Sou branco azedo, africano não!!!

Punheta

Composição: Bussunda
Punheta ( Cassandra Rios, Bussullivan e Brassadas) OBS: O Departameno de Censura da Polícia Federal proibiu tocar PUNHETA em todo o território nacional.

A música PUNHETA é uma obra de ficção que não existe, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.