NOMES DE RUA

Eu cismo com os nomes de rua no Brasil. Mania de dar nome de políticos e militares para as ruas. Nada mais típico na política brasileira do que usar o poder para homenagear amigos e correligionários, figuras que muitas vezes tem importância efêmera, cujo nome será rapidamente e, na maioria das vezes, justamente esquecido. Mas a rua sobrevive carregando o seu nome, sem que ninguém saiba mais quem foi a figura.

A rua onde moro, por exemplo, se chama Avenida Visconde de Albuquerque. Quem foi esse cara? Pesquisei no Google e “me lembrei”: O cara era pernambucano e foi político no século XIX. Chegou a ser ministro de estado na década de 1830 e o seu maior feito foi concorrer na eleição para regente. Ficou em segundo lugar. Ou seja: O Visconde mal merece um lugar de destaque nos livros de História. Por que nomear uma avenida com o seu nome? Não seria muito melhor se dessem o nome de Avenida do canal, já que a sua principal característica é o canal que a divide?

Outro dia dei de cara lá no Recreio dos Bandeirantes com o “Túnel Vice-Presidente da República José de Alencar”, O nome tem uma extensão maior do que o próprio túnel, incluindo esse “da república”, para ficar bem claro qual era o cargo do homem. Mas ninguém chama o túnel desse jeito, é muito melhor chamar pelo apelido: Túnel da Grota Funda.

Prefiro nomes como a rua Tubira no Leblon, que tem uma explicação curiosa: Dizem que havia um português que morava ali que, quando lhe perguntavam a localização de um certo lugar, explicava da seguinte maneira: “Tu bira ali, depois tu bira lá…”. Então virou a rua do Tubira. Gosto desse nome, de sua explicação engraçada, até poética, que me faz simpatizar com a tal ruazinha. A rua Tubira é uma transversal da Avenida Bartolomeu Mitre, que foi um militar da guerra do Paraguai, que matou gente a beça. E ainda por cima era argentino! E mais: nem se chamava Bartolomeu, se chamava Bartolomé!

banner_arte_02

Deixe uma resposta