FRANQUIA

O sujeito vinha dirigindo o seu carro, tranquilamente, pensando na vida, quando o carro da frente parou no sinal vermelho. Distraído, o sujeito não conseguiu frear a tempo e bateu na traseira do carro da frente. Ele não perdeu tempo: saiu rapidamente do seu carro e seguiu convicto, a passos firmes, para tentar colocar a culpa no motorista da frente. Já foi falando:
– Você freou de repente! Eu sou advogado! E vou te processar, seu idiota!
Quando acabou de pronunciar a palavra “idiota”, ele viu a porta do carro da frente abrir e conheceu por inteiro o seu oponente: Era um sujeito enorme, parecia o Arnold Schwarzenegger, só que um pouco mais largo e mais alto, careca e com o corpo tomado por tatuagens. Arnold veio gritando em sua direção. O sujeito ralentou a sua marcha e mudou a sua tática:
– Eu pago. A culpa foi minha.
Arnold pareceu não escutar, pois continuou a gritar:
– Seu %$#%¨% ! A culpa é de quem está atrás! %$%&*&¨%!
– Eu sei. Eu admito que a culpa foi minha.
– Esse conserto vai custar uma fortuna, seu %$%$$%$!
– Calma, amigo. Eu pago tudo. Eu pago o dobro.
Ao ouvir essa proposta, Arnold calou seus impropérios. Baixou o tom:
– Como assim paga o dobro?
– Pago o dobro do que você gastar, Qualquer coisa para a gente não precisar brigar.
Arnold parecia pensar. Depois de um tempo, respondeu:
– O dobro não dá.
– Por que não dá?
– Porque aí você me quebra, pô!
– Como assim? O dobro não é suficiente?
– É mais do que suficiente. Esse é que é o problema.
– Não entendi.
– Olha pra mim. Eu fico 6 horas por dia puxando ferro. Mais 6 horas numa academia de MMA. Eu passo o ano inteiro esperando uma oportunidade como essa…
– Que oportunidade?
– Pô, a chance de encher um sujeito de porrada estando com a razão. Aí você chega e me tira essa oportunidade? Como é que eu vou te encher você de porrada se você me pagar o dobro? A questão é que não vai dar para você sair daqui sem tomar umas porradas. Pega mal para mim.
– E a gente pode pelo menos negociar?
– Negociar o quê?
– Vamos negociar essa porrada. Você me porra, mas não faz muito estrago. Deixa a cara de fora. E a perna também. Sabe como é: Passar um tempo de muleta é um saco.
– Mas se tu sair de cara limpa, a minha rapaziada vai achar que eu estou ficando bundão…
Negociaram. O sujeito pagou a franquia do conserto do Arnold e saiu com o braço esquerdo quebrado e algumas escoriações no rosto.
Nada como um debate civilizado para resolver as questões do dia a dia.

4
ao todo.
banner_arte_02

Deixe uma resposta