banner_arte_02

Nomes de Rua

Eu cismo com os nomes de rua no Brasil. Mania de dar nome de políticos e militares para as ruas. Nada mais típico na política brasileira do que usar o poder para homenagear amigos e correligionários, figuras que muitas vezes tem importância efêmera, cujo nome será rapidamente e, na maioria das vezes, justamente esquecido. Mas a rua sobrevive carregando o seu nome, sem que ninguém saiba mais quem foi a figura.

A rua onde moro, por exemplo, se chama Avenida Visconde de Albuquerque. Quem foi esse cara? Pesquisei no Google e “me lembrei”: O cara era pernambucano e foi político no século XIX. Chegou a ser ministro de estado na década de 1830 e o seu maior feito foi concorrer na eleição para regente. Ficou em segundo lugar. Ou seja: O Visconde mal merece um lugar de destaque nos livros de História. Por que nomear uma avenida com o seu nome? Não seria muito melhor se dessem o nome de Avenida do canal, já que a sua principal característica é o canal que a divide?

Outro dia dei de cara lá no Recreio dos Bandeirantes com o “Túnel Vice-Presidente da República José de Alencar”, O nome tem uma extensão maior do que o próprio túnel, incluindo esse “da república”, para ficar bem claro qual era o cargo do homem. Mas ninguém chama o túnel desse jeito, é muito melhor chamar pelo apelido: Túnel da Grota Funda.

Prefiro nomes como a rua Tubira no Leblon, que tem uma explicação curiosa: Dizem que havia um português que morava ali que, quando lhe perguntavam a localização de um certo lugar, explicava da seguinte maneira: “Tu bira ali, depois tu bira lá…”. Então virou a rua do Tubira. Gosto desse nome, de sua explicação engraçada, até poética, que me faz simpatizar com a tal ruazinha.

A rua Tubira é uma transversal da Avenida Bartolomeu Mitre, que foi um militar da guerra do Paraguai, que matou gente a beça. E ainda por cima era argentino! E mais: nem se chamava Bartolomeu, se chamava Bartolomé!

banner_arte_02

NOME DE RUA

Descobri meio sem querer que existe uma rua, no Leblon, chamada Dorival Caymmi. Não sabia. A rua não tem nem 50 metros e nela não há nenhuma casa, nenhum prédio, nenhuma loja, nada, como dá pra ver na placa.

Acho que Caymmi merecia mais. Que tal trocar com uma das várias ruas com nome de general argentino que existem no Leblon?

banner_arte_02

CONTABILIDADE CRIATIVA

O sujeito encontrou o outro e foi direto ao assunto:
– Foi bom mesmo te encontrar. Você está me devendo uma grana.
– Eu? Não.
– Como assim? Esqueceu que eu te emprestei 300 pratas?
– Sim, mas quem usou esse dinheiro foi você, então eu não preciso te devolver.
– Eu não estou me lembrando de usar o dinheiro que eu TE emprestei. Explica isso direito.
– É fácil. Eu gastei a grana indo a um restaurante com você.
– Eu não me lembro de ter jantado com você.
– Pois é, aí que está. Eu te convidei para comer comigo, mas você não foi.
– Você não me convidou.
– Convidei. Eu liguei pra você pra você pra te convidar pra jantar, mas você não atendeu.
– Então eu não fui convidado.
– Foi sim. Eu te liguei com o intuito de te convidar. Inclusive desmarquei compromissos só para ir jantar com você.
– Desmarcou porque quis. Eu não sabia de nada.
– Não sabia porque não atende os meus telefonemas. Aliás, isso é muito estranho.
– Eu não recebi nenhum telefonema seu.
– Recebeu sim. E não atendeu de propósito. E aí me obrigou a jantar sozinho. É chato a beça comer sozinho em restaurante, a gente se sente solitário… Então eu resolvi rachar a conta contigo.
– Como é que você rachou a conta se eu não estava?
– Não estava , mas devia estar. Metade da conta foi sua. Desculpa, mas eu considero a dívida paga. Aliás, a conta saiu uns seiscentos e poucos reais. Eu paguei uns vinte reais da sua parte. Mas eu não vou te cobrar essa merreca de um amigão como você. Tchau!

banner_arte_02

NOVAS HISTORINHAS INFANTIS

As crianças de hoje em dia tem uma relação com os celulares e todos os outros gadgets completamente diferentes da nossa. Antes de um ano de idade o bebezinho já está mexendo no iphone, tocando com os seus dedinhos na tela . Com um ano já mandam um whatsapp pra mãe pedindo para mamar. Aos três anos já tem bebê com face próprio e perfil no instagram. Como é que nesse novo mundo as historinhas infantis poderiam permanecer iguais?
Olha só como uma mãe moderna conta a história de Chapeuzinho Vermelho para o seu filho:

Uma garota conhecida como Chapeuzinho Vermelho, atravessa a floresta para entregar um pen-drive para sua avó. Ela posta uma selfie no facebook e escreve: indo para casa da vovó #duvidadocaminho . Ela anda pela estrada , até que , em determinado momento a estrada se bifurca em duas. Ela tenta acessar o Google maps, mas o seu celular está sem sinal. Nesse momento aparece o lobo mau que estava de olho nas redes sociais e tinha lido os posts de Chapeuzinho no facebook. O lobo diz que conhece a área e sugere que ela tome o caminho da direita. Chapeuzinho segue o conselho do lobo sem saber que o caminho que tomou é o mais longo. Enquanto isso, lobo segue pelo caminho curto, chega à casa da avó, faz um prato com a vovó fotografa e posta no instagram: #pratododia. Depois a devora completamente e twitta tirando vantagem: #vovódelícia #esperandoasobremesa. Então, o lobo se veste com as roupas da vovó e aguarda Chapeuzinho na cama da velha. Quando a menina chega, nota a aparência estranha de sua avó, e tem o famoso diálogo com o lobo:
—Porque esses olhos tão grandes?
—Ó minha querida, são para enxergar melhor as letras do celular.
—Porque essas orelhas tão grandes?
—São para ouvir melhor o meu ipod.
—E porque essa boca tão grande?
—É para te comer!!!
Nesse momento, a “avó” (que era o lobo disfarçado), revela-se tentando devorar a Chapeuzinho, que sai correndo assustada e consegue no caminho mandar uma pedindo de socorro pelo facebook. Então, um caçador que estava na floresta tirando fotos para postar no instagram , vê o post da menina com a sua localização e vai até a casa da vovó, onde encontra o lobo dormindo na cama. O caçador então acessa um site de cirurgia, segue as instruções e consegue abrir a barriga do lobo donde saem chapeuzinho e sua avó, ilesas. O caçador , Chapeuzinho e a vovó tiram uma selfie que viraliza e faz o maior sucesso permanecendo uma semana como trending topic no twitter.

banner_arte_02
banner_arte_02

BIOGRAFIAS: ALGUMAS DÚVIDAS

Algumas dúvidas que ficaram no ar sobre essa questão das biografias:

– Se um sujeito tiver dupla personalidade e escrever uma autobiografia, a outra personalidade tem que autorizar?
– E no caso de uma biografia alavancar de novo a carreira de um músico, o biógrafo deve ter participação nas vendas dos cds?
– E se o biografado achar que a biografia chapa branca o elogiou pouco, ele pode entrar na justiça?
– E se a biografia chapa branca avançar o sinal, pode ser multada?
– Se eu escrever uma autobiografia e me arrepender , posso me desautorizar ?
– Quando o cara proíbe uma biografia, mas se acha gente boa, ele está só protegendo a sua privacidade, enquanto os outros que não são gente boa , estão censurando. É isso?
– Um notório ladrão que nunca ligou para a privacidade das contas correntes dos outros, pode proibir uma biografia para proteger a sua privacidade?

banner_arte_02