banner_arte_02
banner_arte_02
banner_arte_02
banner_arte_02

Lançamento do livro “Blogando e Andando”

blogando

Depois de anos escrevendo e atuando no programa Casseta & Planeta, comecei a escrever um blog, Blogando e Andando surgiu desse blog. São  textos, crônicas, contos, diálogos, cenas, pensamentos, frases, bobeiras, babaquices… Enfim, um livro de humor!

E o lançamento mundial será nesta terça (21-03), na Livraria Travessa.

Apareça lá.

2
ao todo.
banner_arte_02
banner_arte_02

DEI UM PULO EM AMSTERDÃ

Além de Lisboa (veja aqui), também dei um pulo na Holanda nessas férias.

A primeira coisa que todo turista faz quando chega a Amsterdã é tentar tirar uma foto com o famoso “I amsterdam” ao fundo. Mas o máximo que a gente consegue é tirar uma foto com um monte de turistas tentando tirar fotos na frente do “I amsterdam”.

21-01_Casseta_e_Planeta_Beto_Silva_Amsterda (1)

Então, andei um pouquinho e consegui tirar a minha foto com o “I Amsterdam” sozinho.

21-01_Casseta_e_Planeta_Beto_Silva_Amsterda (2)

Amsterdã é famosa por seus canais e com pouco tempo você consegue andar na boa pela cidade. Apesar de a língua ser um pouco complicada, você logo aprende a falar os nomes das ruas e dos canais. Esse canal da foto, por exemplo é o AgdagdtdkkdkadsaGracht, super bonito.

21-01_Casseta_e_Planeta_Beto_Silva_Amsterda (3)

Mas nesse outro canal, o FgogighadgajdgjasGracht havia essa instalação de luzes bem bacana.

21-01_Casseta_e_Planeta_Beto_Silva_Amsterda (4)

Mesmo no inverno vários shows de rua acontecem. Perto do RijsjsdsdserdhjdMuseum havia esse conjunto que tocava músicas de Wesley Van Safadam. Muito maneiro!

21-01_Casseta_e_Planeta_Beto_Silva_Amsterda (5)

Como todos sabem, todo mundo anda de bicicleta em Amsterdã. Eu , é claro, aluguei uma bike para andar pela cidade. Tudo funcionou super bem, andei de bicicleta numa boa, só tive um pequeno contratempo para achar a bicicleta quando voltei ao estacionamento. Nada que 14 horas de procura não pudessem resolver.

21-01_Casseta_e_Planeta_Beto_Silva_Amsterda (6)

Depois de perambular pelos maravilhosos canais da cidade, comecei a sentir um pouco de frio e resolvi entrar num bar. Vi um coffee shop e achei que era uma boa ideia tomar um café para esquentar um pouco. Dentro do coffee shop, pedi um café ao atendente, que ficou olhando para a minha cara. Eu repeti o pedido e ele me deu um saquinho com uma erva dentro, que achei que era café. Achei muito estranho, será que eu mesmo é que tinha que fazer o meu café? Pedi então água quente ao cara e ele, um tanto irritado, falou que não tinha e acho que me xingou em holandês. Então olhei para as mesas e vi que as pessoas enrolavam o café num papelzinho, faziam um cigarro e fumavam o café. Fiz o mesmo, afinal quando viajamos temos que conhecer a cultura dos habitantes locais e tentar seguir os seus hábitos. Fumei o café que o atendente havia me dado. Gostei. Fumei mais alguns cafezinhos e curti o resto da noite naquele coffee shop. Já era madrugada quando saí do coffee shop. Depois de comprar tantos cafezinhos acabei fazendo amizade com o atendente que havia me tratado mal no início. A gente até saiu junto do coffee shop e, lá fora, tiramos uma foto de nós dois. Olha só:

21-01_Casseta_e_Planeta_Beto_Silva_Amsterda (7)

Engraçado, na hora eu achei que a foto tinha ficado ótima, mas agora não sei…

Perto do coffee shop descobri esse monumento. Não sei o que representava , mas eu lhe dei o nome de “Monumento ao Cafezinho Desconhecido”

21-01_Casseta_e_Planeta_Beto_Silva_Amsterda (8)

125
ao todo.
banner_arte_02