banner_arte_02

DESCULPAS

– São 400 mil para faltar no dia da votação. Mas a gente precisa que o senhor dê uma desculpa.
– Ah, eu falo qualquer coisa. Digo que vou levar minha vó na musculação.
– Não, a desculpa tem que ser boa, senão podem desconfiar.
– Ah, tá… então eu fui levar o meu sobrinho no judô.
– Não, também não dá.
– Mas o meu sobrinho faz mesmo judô…
– É, mas pode pegar mal, judô tem um monte de golpe…podem achar estranho.
– Tá… então eu peguei uma xicungunha!
– Não, podem entender errado, achar que tem a ver com Cunha.
– Gripe?
– Não dá. Já tem uns quinze deputados com essa desculpa. Tem que ser outra coisa.
– Então eu posso dizer que comi alguma coisa estragada e passei mal.
– Tá, pode ser. O que você teria comido?
– Deixa eu pensar… arroz com lula?
– Lula? Tá de sacanagem?
– Camarão?
– Não, lembra voto camarão, é esquisito.
– Caramba! Então eu posso dizer que viajei…
– Foi pra onde?
– Pra Disney?
– Pega mal, né, deputado.
– Então, eu fui pro Caribe.
– Paraíso fiscal? Não dá.
– Fui visitar as minhas bases.
– Deputado, todo mundo sabe que o senhor nunca vai a sua cidade, só em época de eleição.
– É… pô, difícil pra caramba dar uma desculpa, hein!
– Eu sei, estamos tendo a maior dificuldade.
– Já sei! Tenho a desculpa perfeita! Eu posso dizer que fui gastar as 400 mil que ganhei pra não ir a votação.
– Deputado, vamos fazer o seguinte: vamos botar o senhor na cota da gripe mesmo. Próximo!

banner_arte_02