1977 -O NASCIMENTO

Era um tempo difícil, ainda não havia a AIDS, mas a praga de seis cordas atemorizava a todos. Era impossível ir a uma festa sem que alguém desligasse o som pra tocar… violão! As meninas da época só davam para quem tosse sensível e soubesse tocar violão. Numa dessas festas, tudo corria bem, todos dançavam e se divertiam, até que a praga atacou. Formou-se uma roda e o artefato maligno passava de mão em mão. Um tocou “Andança”, outro tocou “Canteiros” e assim a noite correu… Ao final da festa, os casais saíam abraçados, cada um que tocara violão, arrastava uma menininha. A praga de seis cordas vencera de novo. Apenas seis rapazes permaneciam no salão. Eles não sabiam tocar violão. Pouco tempo depois eles fundariam A CASSETA POPULAR.
Nesse tempo, eles eram chamados de “alternativos” e iam de bar em bar vendendo aquelas folhas grampeadas de papel mimeografado em troca de umas míseras buçanhas. Mas essa é apenas a pré-hístóría. Quem poderia imaginar que isso se tornaria um grande negócio?

 

1986

Durante todos esses anos, eles vendiam aqueles fanzines e colocavam os trocados que conseguiam numa caderneta de poupança. Foram poupando, poupando, até que o tio rico de um deles faleceu, deixando uma herança fabulosa. Desde essa época eles já roubavam piadas velhas. O lançamento do primeiro número da revista CASSETA POPULAR causou furor. As velhinhas virgens de São Paulo protestaram e a polícia federal ameaçou apreender a edição. A resposta dos editores entraria para a história: “Se esses policiais não estudarem, nunca vão apreender nada!”

A revista passou a vender mais do que guarda-chuva e bicicleta. Mas, em pouco tempo, a CASSETA revista, passaria a ser apenas a ponta do iceberg de um conglomerado de empresas, altamente lucrativas. O Clube de Masturbação Luciana Vendramini, por exemplo, com 123.987 sócios  por todo o Brasil, veio a ser um importante gerador de divisas para o grupo CASSETA. Todos os associados do CMLV são doadores voluntários do Banco de Esperma Popular, que já tem até uma Caixa 24 horas, funcionando só para depósito. O Banco de Esperma, por sua vez, está fazendo uma associação com a Danone, para lançar o Iogurte da Casseta. No futuro, é desejo de um dos diretores desse conglomerado, a criação do Clube de Masturbação Vitor Fazzano e a produção do iogurte com sabor de fruta.

Enquanto as empresas cresciam, o que era feito daqueles seis rapazes idealistas, que começaram com todo este império? Foram sempre fiéis aos seus princípios. Sempre disseram: “Não é por meia dúzia de dólares que eu vou me vender a esse sistema!” E assim fizeram. Até que veio a TV Globo e ofereceu bem mais do que isso. Aí foi foda. Neguinho começou a falar mal do Brizola … Ficou esquisito. Mas, enquanto isso, a revista continuava trilhando o caminho do sucesso.

Algumas edições eram tão disputadas, que esgotavam antes mesmo de chegarem nas bancas, como aqueles 100 mil exemplares, que traziam fotos exclusivas da intimidade de uma ex-ministra, todos comprados por um humorista cearense, admirador do humor cassetoso. A CASSETA passou a ser adotada nos CIEPS e CIACS, de onde sempre saía de banho tomado. Passou a ser assunto obrigatório nas reuniões ministeriais, de onde o Ministro da Agricultura saía sempre com uma CASSETA debaixo do braço. E veio a fama.

1992

E hoje, o que fazem aqueles 6 bravos rapazes? Moram todos em suas mansões, com sauna, piscina e carro do ano. Não aprenderam a tocar violão. Não comem ninguém.

(Texto publicado na revista Casseta Popular, 1992)

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here