Há 20 anos os Cassetas entrevistavam o humorista Tom Cavalcanti pra Revista Casseta & Planeta. Vejam…


C&P – Quem você imitou primeiro?

TOM Meu pai. Nasci de pinto duro, imitando ele… (RISOS)

C&P – Você, viajando com show pelo Brasil inteiro, não tem medo de que fique um Ricardão em casa te imitando?

TOM Não, eu faço que nem o cara que chegou em casa e o negão que tava lá ouviu ele chegando e ZUP! (BATE UMA MÃO NA OUTRA).

Entrou naqueles pelos de onça empalhada e se ajeitou por lá. Encaixou direitinho (IMITA A POSIÇÃO).

O cara chegou afim de trepar mas a mulher já tava cansada pra caramba e tratou de dormir. Ele ficou ali, aquele tesão né, de pau duro… viu aquela oncinha jeitosa ali e meteu no cu da onça. Bom, claro que percebeu que tinha um cara lá, mas foi aí que meteu com gosto mesmo. E meteu de novo. E foi lá de novo. Quando foi da quinta vez o cara se levantou lá de dentro: “VÁ GOSTAR DE CU DE ONÇA ASSIM NOS INFERNOS!” (RISOS)

C&P – Qual sua imitação que você acha das mais engraçadas?

TOM Uma boa que fiz foi a do Fernando Collor de Mello ligando pra Fortaleza como se fosse de Brasília.

Na verdade, eu tava no Rio. Liguei pro programa de maior audiência do Ceará e disse que tinha conseguido uma entrevista com o Collor, que ele tava disposto a falar, mas só responderia a perguntas sérias.

Rapaz, o locutor cortou a música na mesma hora e pôs a vinheta do (ENCHE A VOZ)

“Plantão Informativo Rádio Verdes Mares”.

Aí anunciou (VOZ DE LOCUTOR): “E AGORA, DIRETO DE BRASÍLIA, A PALAVRA DO EX-PRESIDENTE FERNANDO COLLOR DE MELLO, QUE QUER CONVERSAR COM A GENTE! BOM DIA, PRESIDENTE” !

(IMITANDO O COLLOR): “Minha gente, povo de Fortaleza, muito bom dia. (PAUSA) É preciso que as coisas sejam colocadas dentro de um espaço, dentro de um ideário, aonde as responsabilidades sejam todas elas voltadas para o que foi verdadeiro e o que foi real!” (RISOS)

Como fiquei nessa lenga-lenga o locutor acabou por interromper: “Presidente, o senhor pretende se candidatar novamente?”

Mas continuei sem falar coisa com coisa.

Rapaz, isso já tava durando uns 30 minutos. De repente comecei: (PASSA A FALAR COM A VOZ EMBARGADA) “Eu quero pedir a todos de Fortaleza – minha gente! Aqueles que confiaram no meu trabalho! (VOZ CADA VEZ MAIS EMOCIONADA). Aqueles que tiveram a certeza… (A VOZ TREME COMO SE ESTIVESSE PRESTES A CHORAR)“.

O locutor: “Ele está chorando! O ex-presidente está chorando”!

(GARGALHADAS) Eu tava era rindo pra caralho. Mas fiquei ali (VOZ TREMIDA E ENTRECORTADA POR SOLUÇOS): “Não tenho mais condições, minha gente…! (MAIS GARGALHADAS)

C&P – Com esse negócio das imitações, você apronta à beça por ai, né?

TOM Tô sempre fazendo isso: vou num restaurante e fico lá no banheiro, sozinho. Um amigo meu, de repente avisa ao garçom: “Corre no banheiro que tem um casal se desentendendo”. Então começo:

(HOMEM GRITANDO) “Você pensa que isso fica assim?!”

(MULHER GRITANDO) “Seu babaca! Babaca!”

(HOMEM) “Cale a boca!” PA! PA! (BARULHO DE TAPAS)

Rapaz, os caras entram no banheiro pra salvar a mulher! (RISOS)

Um dia, fui no hotel onde estava o Tasso Jereissati e entrei no elevador. Por cada andar que o elevador passava, eu gritava:

(VOZ GRAVE, DE HOMEM) “E isso que você quer da vida?!”

(VOZ DE MULHER) “Bate na minha cara se você for homem!”

(HOMEM) “Bato mesmo! Bato mesmo!” PA! PA! PA!

Quando o elevador chegou no térreo, tinha cinco seguranças de revolver apontando pra mim! (RISOS)

Gritei: “Sobe senão o cara vai matar aquela mulher lá em cima!” (MAIS RISOS)

E foram todos subindo pela escada. (GARGALHADAS)

Nem voltei mais pro hotel!

C&P – Tem aquela do sujeito que vai no Maracanã, dia de jogo lotado, e quando tá no banheiro mijando, ele grita pro cara ao lado: “Chupar o quê, meu irmão?! Chupar o que??!” (IMITA TODO MUNDO SE AFASTANDO]

TOM Uma vez eu tava com meu amigo Neudo num hotel em Salvador. Tava falando no telefone, deitado, nu, atrás de uma cortina. Mas a cortina tava meio aberta e aparecia minha bunda. Quando olhei pelo espelho… (FRANZE OS OLHOS): um cara lá no outro apartamento com um binóculo virado pra mim! Como só aparecia a bunda, devia estar pensando que era mulher. Desliguei o telefone e chamei pro quarto do Neudo: “Venha aqui! Mas quando entrar, venha pelo canto pra não aparecer na janela!” Ele entrou, contei o que tava acontecendo, ai ele ficou nu, enrolado numa toalha – cobrindo inclusive os peitos – e com um turbante na cabeça.

Deitou em cima de mim, fiquei passando a mão na bunda dele… Rapaz, o cara fez assim na janela! (SOBE NA MESA E IMITA ALGUÉM SE PENDURANDO PRA FORA DE UMA JANELA) Tudo pra pegar o lance!

De repente, Neudo virou: (FAZ GESTO DE JOGAR LONGE A TOALHA E MOSTRAR O PAU PRO CARA). E ainda gritou: “Filhadaputa”!

C&P – Mas qual foi a pior sacanagem dessas que você fez?

TOM Eu tava lá na rádio, de madrugada, morrendo de preguiça, ai peguei uma das unidades moveis da própria rádio (cobre a mão com a boca e imita um contato por rádio móvel, cheio de chiados e estática):

“AIô, Rádio Verdes Mares?”

“Sim. Pode falar!”

“Negócio é o seguinte. Aconteceu uma coisa muito drástica aqui e…”

“Quem tá falando?” (a voz vai sumindo)

“Rapaz, não tô sabendo mexer nisso aqui não…”

“QUEM TÁ FALANDO?”

“Tem um acidente aqui, não sabe, na rua aqui, esse carro aqui da rádio bateu, acho que esse negócio onde tô falando é só o que tá funcionando… O rapaz que tá aqui do lado

tá morto… O outro ali morto é radialista daí também, olha só o crachá dele no peito…” (desesperado)

“QUEM TÁ FALANDO, RAPAZ?! FALA MAIS DEVAGAR!” (fala só por chiados)

“Xuixuchuissschu..! (apavorado)

“COMO É? COMO É?”

“Peraí… muito sangue… sangue… xuxiuxiff…! (gargalhadas)

Ave Maria!

C&P – Com essas estripulias você nunca pegou uma cana brava?

TOM Tive dois processos da Igreja Universal. Meu programa na rádio tinha a crítica do dia, que eu fazia com voz de locutor, o horóscopo, com voz de mulher, poesias, com voz romântica – no meio entravam reportagens de rua, chamadas do aeroporto, e tal – e no fim vinha o horário da Igreja Global do Reino de Avilã. Tinha o Pastor Alberto, o Pastor Tadeu e o Pastor

Romeu. (RISOS). Eu ouvia muito o rádio pra saber o que eles falavam.

C&P – E te processaram porquê?

TOM Eu pegava pesado mesmo… Quando me criticavam pelo jornal no outro dia eu fazia: (VOZ de pastor) “Existem certos radialistas, que não sabem nem onde nasceram, sequer sabem quem é a mãe, que ficam nos imitando e confundindo a ideia do povo através do rádio. Este programa é o verídico, porque este programa é registrado no DECAE…” (RISOS)

Isso confundia as pessoas.

Ligavam pra rádio:

“Pastor?”

“Diga, minha filha.”

“E essa rádio, qual é?”

“É a rádio que fala a voz da verdade.” (GARGALHADAS)

“O senhor tá falando do Tom Cavalcante que fica Ihe imitando?”

“Exatamente, este vagabundo filhodaputa!”

(MAIS GARGALHADAS) EscuIhambava comigo mesmo!

C&P – Foi sua única encrenca? Você nunca foi demitido?

TOM – Não. Tive foi uma confusão em Fortaleza com José Sarney, porque a dona do Sistema Verdes Mares de Comunicação é comadre dele. Um belo dia no programa o cara chamou: “Diretamente de Brasília, do Palácio do Alvorada, a palavra do Presidente José Sarney!”

Aí entrei:

“Atenção EBN, Empresa Brasileira de Nada, para o pronunciamento do Presidente!” (CONTAGEM REGRESSIVA. ELE PASSA A IMITAR O SARNEY)

“Brasileiros e brasileiras, estive ontem vendo a novela das seis, e achei que Tony Ramos não teve um bom desempenho!” (GARGALHADAS)

“Naquela parte onde ele beija a Madalena, ele não teria condições sentimentais para tal. Afinal de contas, é muito rápido, e adepois o comercial entra logo em seguida! Isso perturba a cabeça do público! Brasileiras e brasileiros, a novela das oito…” (MAIS GARGALHADAS) “Estou agora ligado no seriado da Hanna-Barbera…” (E MAIS GARGALHADAS)

C&P – E deu alguma merda?

TOM Nesse mesmo dia, Dona Marli Sarney tava chegando no aeroporto de Fortaleza e o motorista dela tava ouvindo o rádio baixinho. Ela ouviu e perguntou:

“O Zé tá falando no rádio?! Aumenta ai, aumenta aí.” (GESTO DE GIRAR UM BOTÃO).

“NÃO E POSSÍVEL QUE TONY RAMOS…” (RISOS)

C&P – Qual a melhor piada de bêbado?

TOM Pô, tem aquela do bêbado que tá lá em Copacabana e passa uma madame com um poodle. (VOZ DE BÊBADO)

“Porra, minha senhora, que carneiro lindo!” (VOZ DE MADAME)

“Isso não é um carneiro, é um poodle! O senhor está embriagado, queira se retirar!”

Mas todo dia ele: “lsho quié um carneiro bem tratado!”. Ou então: ‘Até pra cagar esse carneiro é diferente!”

Até que um dia ela chamou a polícia e os guardas encheram ele de porrada. No outro dia ele comprou um caranguejo, arranjou umas cordas e amarrou na cintura, na frente.

A mulher passou e: “Nossa! Um caranguejo!”

E ele: “Não, minha shenora, isso não é caranguejo, é uma fivela tratada a leite de pica!” (GARGALHADAS)

C&P – Mas os bêbados se vingaram porque o sucesso do Canabrava deve ter te transformado no maior pára-raio de pau d’água do Brasil.

TOM – Tá todo mundo normal, bebendo alí, quando eu chego já começam: “Aí, Canabrava! Pá!” (TAPÃO NAS COSTAS)

C&P – Então é assim: caiu piada no chão, você ôpa! Pega e põe no bolso…

TOM Me contam muito. Em Gramado, chegou pra mim um cara embriagado (COM VOZ DE BÊBADO):

“Tenho uma piada pra te contar! O cara só transava enfiando uma vela no rabo”! (RISOS)

Isso cheio de senhoras na sala! (MAIS RISOS)

“Uma noite lá, ficou desesperado porque não tinha vela pra botar no cu dele. A mulher procurou, procurou e falou ‘Esse espanador, serve?!

Ele pegou o espanador e enfiou no cu. Andou pra lá, andou pra cá, parou na frente do espelho e falou (ARREBITANDO A BUNDA): ‘Galo véio macho!’“ (GARGALHADAS)

C&P – (encerrando) É isso ai, Sr. Tom Cavalcante…

TOM (voz de político) Eu quero agradecer a oportunidade de estar aqui com vocês…

(voz de Silvio Santos) E se não tiverem uma proposta melhor, vamos trabalhar juntos um dia… Podem me procurar que farei um contato… É com você, Lombardi!

(voz de Lombardi) Será um prazer, Silvio!


Publicado originalmente na Revista Casseta & Planeta, nº 21, de 1995.

426
ao todo.

Deixe seu comentário: