DA SÉRIE: BURACO FUNDO É POUCO (2)

Sabe quem é Caio Rangel? Eu também não sabia. Era um jogador do Flamengo. O tal clube “mais querido”. Ele tem 18 anos. Ele é observado por clubes de fora desde que integrou a seleção sub-15 (sub-15??!!!!). E é (era) uma promessa de craque. Uma “jóia” das tais divisões de base. Ele foi vendido anteontem. Pro Cagliari, por cerca de 900 mil euros. Sei lá se ele joga ou vai jogar bola. E ninguém vai saber provavelmente. Esse até que deu sorte, não foi pra Moldávia, ou pro Kasaquistão… vai desaparecer no Bragantino da Itália.. ou não. Vai estourar por lá. E ser vendido por 50 vezes mais (como o Hulk, David Luiz, Daniel Alves, Luis Gustavo, Diego Costa, Deco, Pepe… e centenas dos “nossos” que NUNCA jogaram no Brasil) para um time maior. Aí, se isso acontecer, daqui alguns anos, vai para a seleção (italiana? do país do clube que o comprar? brasileira?)… ou não. Esse e outras dezenas de milhares pertencem a cotistas, alguns são repartidos entre grupos imensos e anônimos de investimento. Como se impede isso ? Não se impede. Nem o clube “mais querido” consegue competir com o Bragantino da Itália, ou da Moldávia.. (por que? perguntem para a CBF). O fato é que não se pode, nem é justo impedir um menino pobre (ou não) de ganhar dinheiro. A inversão de tudo, começou há muito tempo atrás, quando perceberam que o “negócio” era vender jovens e (talvez) promissores artistas do que preservar, valorizar e comercializar a arte. Esse é o fundo do poço ? Nem perto. Junte tudo isso, mais uma total falta de planejamento estratégico, inteligência, vontade e “condições políticas” e… já era. Quer piorar? Bote o Estado (nosso Estado) dentro, peça mais intervenção estatal. E veremos mais alguns ministérios/estatais, cabides de emprego, escândalos e… nada ! Nada vai mudar pelo desejo e(in)competência da gentalha que dirige nosso (falido) futebol. Nós deixamos que matassem a galinha dos ovos de ouro. Nós éramos o “páis do futebol”, mas como antigas reinos e civilizações, exaurimos nossos recursos e colapsamos Não há luz no fim do túnel, a viagem vai ser longa. Bem vindos à escuridão.

4 Comentários

  1. Mateus Xavier Monteiro   •  

    Some-se a isso a veraderia guerra entre os clubes brasileiros, que sem nenhum pudor “afanam” jogadores da base, uns dos outros. Ressalto seu ponto específico quanto à “panaquice” ou seria “idiotice” ou ainda “esperteza” de ouvir Presidente (a) da República e Ministro dos Esportes (que nunca praticou) virem falar de intervenção do estado no futebol… Provavelmente teremos mais alguns PAC e programas de Mais Técnicos e Mais Jogadores, vindos de CUBA, claro, para acabar com o resto do futebol que ainda temos. LAMENTÁVEL!!!

  2. Claudio,

    Patriotismo e honestidade dependem de ações individuais, e isso não tem controle. Vejam o saque em massa que o povo promoveu no Recife, o que é aquilo? As escolas mesmo vêm ensinando há mais de 20 anos as crianças a não ter patriotismo. Mas o que têm de ensinar é que o bem comum é mais importante que o egoísmo da corrupção.

    abraço
    Marcos

  3. Poderia ser pior. Poderíamos ser a Argentina, esta sim está no fundo do poço, no futebol também. Nós estamos uns 2 ou 3 metros acima do fundo. E como dizia o ditado, “pra baixo todo santo ajuda”.

  4. Lisa   •  

    Cláudio, colaborando:
    “Uma “jóia” das tais divisões de base.” (joia)
    “Nós éramos o “páis (país) do futebol”, mas como antigas (antigos) reinos e civilizações, exaurimos nossos recursos e colapsamos (ponto) Não há luz no fim do túnel, a viagem vai ser longa. Bem vindos (Bem-vindos) à escuridão.”
    Abs

Deixe uma resposta para Lisa Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *