“Contribuinte” é o caraio, somos “pagadores de impostos”

impostos_cmanoel_casseta

Aqui na Brazucolândia, onde o eufemismo campeia, quem é tungado, diuturnamente, pelo Estado é chamado de… CONTRIBUINTE, como se fosse algo opcional, tipo contribui quem quer.

In english a coisa é mais na lata e, por isso, mais didática, o nome dado aos bois é TAXPAYER, ou seja, “pagador de imposto”. Investir em educação é isso aí.

Imposto tem que ser exposto! Discriminado, explicitado, sem disfarce. Para todos saberem quanto pagam. Afinal, quem paga, manda! Ou deveria mandar!

Para todo “pagador de imposto” (“contribuinte” é o caraio!) brazuca tomar conhecimento, que todo santo dia é triplamente lesado: primeiro, quando paga os inúmeros e acumulativos tributos, depois quando não recebe puerra nenhuma em troca (afinal, aqui no patropi, qualquer coisa que tenha a palavra “pública(o)” ou é uma bosta, ou é corrupta, ou vergonhosa, ou inexistente, ou tudo isso junto) e ainda tendo de pagar de novo pra ter tudo que não foi entregue (saúde, segurança, ordem, educação, transporte, saneamento, etc).

 

501
ao todo.

O Medo da Sobrevivência

o-medo-da-sobrevivencia_cmanoel_casseta

Pedir trabalho. Precisar trabalhar. Usar todos os meios disponíveis para conseguir se reinserir no mercado de trabalho pode ser muito triste, pode doer demais, mas não é nenhuma vergonha, nem nenhuma novidade. Ainda mais num país numa baita crise econômica com (muito) mais de uma dezena de milhões de desempregados.

O desemprego, a falta de perspectiva para seguir adiante, o medo da sobrevivência é uma dor intensa e imensa. Ter que suplicar uma oportunidade é desesperador pra qualquer um que tenha tamanha necessidade, independente da profissão, ou da função que ocupe ou tenha ocupado.

O horror econômico (causado pelo somatório de mentiras + ladroagens + incompetências) trouxe para cada família brasileira (a própria, de parentes e/ou amigos) a proximidade amedrontadora da questão de como conseguir ganhar o pão. Não existem desempregos crônicos piores ou melhores que outros.

A dor e o desespero não são menores para os que ocupam trabalhos menos “glamurosos”. A dor e o desespero atingem por igual desempregados anônimos e famosos.

59
ao todo.

É possível tolerar os intolerantes?

paises-islamicos_cmanoel_casseta

Como sempre diz Bill Maher (se você não sabe quem é não se preocupe, o Google conhece muito bem. O YouTube também, e legendado): “tirando os fundamentalistas, que são uma pequena minoria, a maior parte dos muçulmanos só quer seguir em paz… subjugando e escravizando suas mulheres”.

Ainda falando sobre o lado “pacífico” e não tão divulgado dos países islâmicos, já que em nome do multiculturalismo e da “correção política” dos que se autoproclamam progressistas, a única “coisa” que pode ser atacada naquelas conflituosas latitudes é Israel: você sabia que o Irã é campeão mundial de cirurgias para troca de sexo?

O porquê desse recorde não tem nada a ver com opção sexual e outras “mudernidades”. As operações são COMPULSÓRIAS. Milhares de gays são OBRIGADOS a virar mulher. Existe até um documentário francês sobre isso (não lembro o nome, mas passou há uns anos no GNT).

A coisa é pavorosa: tem desde pai pedindo pra matarem o filho (por causa da “vergonha”) em vez de trocarem o gênero até o drama dos operados, que além de não terem desejado mudar de sexo são obrigados a virar mulheres… MUÇULMANAS, com toda “clausura”, controle e “reeducação punitiva” que vêm no “pacote”. O índice de suicídio entre homossexuais é altíssimo. E pra isso não tem nem Jean Willis pra denunciar. Aliás, ele não deve nem (querer) saber disso. Afinal, o “combinado” é que a “maldade” naquelas bandas nunca venha dos árabes oprimidos.

Ah! Já ia esquecendo, além dos gays, os ateus também podem ser (e são) condenados à morte em 13 países muçulmanos. Mas não se preocupe, isso tudo vem de uma cultura suuuuper pacífica.

Todas as civilizações têm igual valor e devem ser, igualmente respeitadas. Ok. Certíssimo. Está 100% concordado. Mas a discriminação a mulheres e gays, a violência contra o diverso e o “incréu”, as formas medievais de punição, a obediência cega e literal a textos escritos em remotas eras (cercadas de trevas e superstições), são práticas e tradições consideradas não civilizadas já tem um tempão, ok?

Não aprecio nada disso, não. E acho que tolerância, liberdade e igualdade jurídica são valores superiores, sim. Pelo menos, nos locais e pessoas que aprecio e que lutaria para defender.

195
ao todo.

E lá se vão 10 anos!

claudio-bussunda

Amanhã, dia 17, faz uma década que meu grande amigo e irmão Bussunda se foi. Vi e vivi seus últimos momentos e graças ao tempo, a imensa dor daquele dia se diluiu e consigo agora lembrar dele só com alegria.

É isso aí, brother… sua ausência é imensa, mas as lembranças e o afeto eterno ajudam a tapar o buraco, a preencher o vácuo, a cicatrizar a parte amputada.

Abração, sempre!

446
ao todo.

MAIS UM ESCLARECIMENTO DAS ORGANIZAÇÕES TABAJARA

organizacoes-tabajara_cmanoel_casseta

Após essa declaração…

operaca-tabajara_cmanoel_casseta_1

O esclarecimento…

As ORGANIZAÇÕES TABAJARA vêm a público, mais uma vez, repudiar a infeliz associação entre nossa marca, sinônimo de qualidade e confiança, há décadas, para todo o povo brasileiro com as baixarias perpetradas por essa gentalha de quinta categoria.
Tomaremos todas as medidas cabíveis para preservar a imagem das nossas ilibadas e queridas ORGANIZAÇÕES, sempre perseguindo, diuturnamente, nosso ideal mais elevado: “Dominar o Mundo e Escravizar as Raças Inferiores”.
No mais, queremos relembrar aos nossos amigos, clientes e fornecedores que podem continuar contando com nossa dedicação e excelência, porque todos sabem que com as ORGANIZAÇÕES TABAJARA… SEUS PROBLEMAS ACABARAM!!!

229
ao todo.