ENGARRAFADO #02 – COMPLEXO DE VIRA-LATA

Mais uma semana preso em engarrafamentos, mais uma semana com conteúdo pro Engarrafado, meu Canal no YouTube.

Essa semana falo sobre algo que, instintivamente, fode com a cabeça de muitos brasileiros: o complexo de vira-lata. Talvez você tenha e nem saiba. Veja o vídeo pra entender.

Não se esqueça de se inscrever no canal CLICANDO AQUI e dar aquele joinha maroto.

22
ao todo.

PORQUE NÃO VI (NEM VOU VER) NENHUM JOGO DAQUELE TIME DA CBF (O QUE JOGA DE AMARELO), DESDE QUE A “NOVA” ERA DUNGA (RE)COMEÇOU.

155922_DUNGA

A CBF, a Fifa e a Cosa Nostra são tradicionais e centenárias organizações criminosas. Nenhuma bandidagem vinda dessa cafonalha mafiosa me surpreende. Pra mim, a seleção morreu (o futebol no Brasil, já tinha falecido há mais tempo) em BH, no jogo contra a Alemanha. Sou um sequelado, um ferido de morte do 7 a 1. Quem paga o maior mico da história mundial do esporte, sendo absurdamente massacrado jogando em casa (isso sem falar, na “Copa das Copas” com os estádios mais caros de todos os tempos, do viaduto que caiu, do escandaloso convênio CBF-BNDES-LULA-CORINTHIANS para construir o Itaquerão e das diversas mortes de operários na pressa superfaturada das obras) joga lama em todas as conquistas passadas (só 2 exemplos: perdemos o “maior artilheiro” de todas as Copas e passamos a ter o goleiro mais vazado da história da competição) e “reage” chamando a dupla Dunga e Gilmar Rinaldi pra comandar os “novos tempos”, não quer (nem vai) contar com minha audiência, muito menos torcida.

96
ao todo.

LIBERDADE PARA AS BIOGRAFIAS! E PARA OS DOCUMENTÁRIOS TAMBÉM!

roberto-carlos-portal6

Espero que os ventos liberalizantes de ontem, no STF, cheguem até a praia dos documentários. O pior desse medievalismo que, felizmente, acabamos de nos livrar, não era só o micaço pago por muitas celebridades “progressistas”, que lutaram pela manutenção da proibição, auto-sujando suas próprias biografias. (Roberto Carlos, com a exceção de alguns putas hits da mega parceria com o Erasmo, sempre foi reacionário e há muito professa o “grande barato de ser um careta”). O maior dano foi praticado contra as inúmeras biografias, documentários que nem chegaram a ser feitos, por conta das infindáveis restrições de biografados, parentes, cúmplices, etc.

Que saiam das gavetas!!!

53
ao todo.

NÃO EXISTE (OU NÃO DEVIA EXISTIR) HOMICÍDIO MENOR!

criminalização

Se descobrirem que os facínoras que esfaquearam e mataram o cardiologista-ciclista(*) são “dimenor”, quantos que clamam por justiça desaparecerão (um tempinho) do Facebook (ou similares)?
E quantos “justiceiros” facebookianos usarão isso como argumento para pedir a redução da maioridade penal? A questão não é quem mata, é quem morre! Enquanto focarmos mais no agressor, no criminoso, do que nas vítimas, matar vai sair barato.
Nossa vergonha maior (entre inúmeras) é a banalização do homicídio, a vagabundização da morte. Por isso, morrem dezenas de milhares no trânsito e dezenas de milhares por bala ou faca. Discutir onde foi o crime, se foi em cartão-postal ou não, se o assassinato é “carioca”, a(s) idade(s) de quem perpetrou ou qualquer coisa que não seja a vida tirada abruptamente, é mais que perda de tempo, é mais que “errar o foco”: é zombar da dor dos que perdem de forma violenta seus entes queridos, é perpetuar a selva, é viver para sempre afogado em estatísticas aterrorizantes. Somos todos cegos perdidos em tiroteios (ou facadas).
Chega de “remissões de penas”, benefícios para homicidas, de sociologia de botequim, de legislar para assassinos (exemplo: se o cara mata 1 ou 100, não “pode” ser condenado a mais que 30 anos). A VIDA é o que tem que valer!!!
PELA CRIMINALIZAÇÃO DO HOMICÍDIO. O resto é baboseira, o resto é desrespeito e só!

(*) Jaime Gold, esfaqueado e assassinado no dia 20 de maio de 2015, aos 56 anos, enquanto andava de bicicleta na Lagoa Rodrigo de Freitas – Zona Sul do Rio.

274
ao todo.