NÃO É PARA AMADORES

– E aí, tudo bem?

– Tudo certo.

– E as coisas, como andam?

– Maravilha. Conforme o combinado. Tá tudo no esquema.

– Falou com o pessoal?

– Falei. Eles já estão sabendo que você vai procurá-los.

– Ótimo.

– Só tá faltando a gente acertar a nossa parte.

– Pois é, ainda bem que você tocou no assunto. Eu estava meio sem jeito de falar nisso…

– É, eu entendo. Mas faz parte, né?

– Claro, faz parte.

– E, falando em parte, cadê a minha parte?

– Olha, nem quero saber quanto é a sua parte. É só você me dar a minha parte que…

– Como a sua parte? Você é quem tem que me pagar, esqueceu?

– Eu acho que você está se confundindo. Eu é quem tenho a receber.

– Peraí, eu tô resolvendo tudo pra você e ainda tenho que desembolsar?

– Vamos com calma, eu fiz os contatos, articulei tudo, agora é com você.

– Justamente porque agora é comigo que você tem que entrar com uma compensação monetária.

– Eu já arrisquei a pele! Se me pegarem, eu tô frito, você sabe disso!

– Não se faça de vítima! Eu só entrei nessa pra aliviar o seu lado.

– Então como é que vai ficar?

– Tenho uma ideia. Pra ninguém sair no prejuizo, você me dá dez mil que eu te dou dez mil.

– Hum…olha…tá bom, fechado. Quer saber de uma coisa?

– O quê?

– É a primeira e última vez que eu entro numa jogada dessas. Prefiro trabalhar. Definitivamente não nasci pra isso.

– Nem eu.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *