METÁFORAS

Hoje em dia poucos praticam esporte ou cultivam um hobbie porque gostam. A maioria, pelo menos daqueles que se manifestam nas redes sociais, dizem que o fazem porque aquilo se trata de um aprendizado. Mais do que isso, enxergam ali uma metáfora para suas vidas.

“Me dei conta de que nadar é como viver: uma braçada após a outra até que alcanço meu objetivo”. – escrevem um no facebook. “A vida é uma maratona: não sabemos quando vamos chegar, muito menos se vamos chegar , mas só chegaremos lá se dermos um passo após o outro”. – filosofa o corredor. O alpinista quer alcançar os mais altos degraus da sua carreira. Para o golfista os campos são como as mulheres atraentes: bonitos aparentemente tranquilos, mas escondem seus perigos e mistérios, com buracos difíceis de serem atingidos. E por aí vai.

Antigamente o sujeito ia jogar uma pelada pra tentar meter uns golzinhos ou pra suar e justificar o chope que geralmente dura bem mais do que os jogos. Hoje o futebol na empresa serve para analisar o grau de companherismo, o espírito de equipe do colega, observar até onde vai a honestidade daquele profissional que em campo não se acusa ao meter  mão na bola.

Ninguém mais aprende pra viver, ao contrário, vive para aprender a viver. É a mania adquirida nos livros de auto-ajuda, em que o sujeito fica viciado em fazer leituras dos gestos, das atitudes dos amigos e avaliar as reais intenções por trás dos mais simples sinais.

Analistas, consultores, coaches estão prontos para recomendar uma atividade lúdica para que o sujeito supere uma dificuldade. Não consegue vencer a timidez e pedir um aumento? Fácil, entre para o jiu-jitsu, a experiência vai lhe mostrar que é importante lutar, derrubar seus adversários, surpreendê-los com sua força e energia. Pode dar certo, se o cara não entrar na sala do chefe dando-lhe uma chave de braços, imobilizando-o, esperando que assim ele bata três vezes no solo e o promova à gerência.

Praticar esporte é saudável e divertido. Mas tome cuidado ao encará-lo como metáfora. Aliás, se você se dedicar mais à metáfora do que ao trabalho, pode ver a vaga tão almejada ocupada prlo colega da mesa ao lado, que todos os dias chegou mais cedo no escritório e ralou muito, enquanto você aprimorava suas metáforas na academia.

Se bem que em certos casos, é bom dar importância aos sinais. Eu não confiaria as finanças da empresa nas mãos de um funcionário que meteu um golaço no ângulo, só que contra, na pelada da firma. Pode ser azar ou incompetência, mas se der merda, jamais me perdoarei.

1 comentário

  1. O esporte é importante em toda a infância e juventude e até na idade madura Tem gente que pratica natação. tem gente que vai do futebol ao tênis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *