TOURADA NO MARACA

Você não aguenta mais ler sobre isso, está cansado de ouvir a respeito. Não importa, vou escrever assim mesmo.

Tive o privilégio de estar entre os 73 mil presentes ao Maraca. Eu  e meu caçula Tonico, 9 anos. Foi a maior contribuição que pude dar à sua formação de brasileiro e amante do futebol. Ver o moleque gritando “O campeão voltou!” ficou marcado como um dos momentos credicard da vida – não teve preço. Segundo meu guri, “foi épico!”.  Levei um susto quando ele definiu o jogo dessa forma. “Quem te ensinou a falar assim , garoto?” – reagi surpreso, enquanto o encorajava a gritar: “Ei juiz, vai t#$%omar no c%&@u!”

Vitória irretocável. Nas previsões e apostas, o Brasil poderia ganhar por um placar apertado, num jogo duro. Ninguém imaginava que a Espanha fosse parecer um Taiti. A torcida brazuca mostrou que o Maraca é nosso e zoou com o espanhóis: “Timinho, timinho!”.

A seleção inteira apresentou um futebol irretocável. Felipão deu um baile no seu irmão gêmeo, o relojoeiro Vicente del Bosque que não conseguiu acertar o tic-tac espanhol. Julio César fez algumas pontes tão bonitas quanto a arquitetura do novo estádio. David Luiz marcou um golaço tirando aquela bola em cima da linha. Fred mostrou a diferença que faz um centroavante especialista no assunto. E Neymar calou a boca dos que dizem que ele só faz cair. Ele sabe fazer gol, dar corta-luz, sair do impedimento e namorar a Bruna Marquezine. Mesmo o Hulk não deu motivos pra críticas. E olha que eu prefiro o bundão da Valeska Popozuda!

Agora vamos aguardar o ano que vem e mostrar que quem ganha a Copa das Confederações no Maraca pode muito bem faturar o Copa do Mundo no mesmo estádio. Essa é a superstição que tá valendo!

 

 

 

 

1 comentário

  1. claudinei   •  

    Muito bom, foi esse jogo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *