ZEBRA, O MELHOR DO FUTEBOL

A graça é ver o circo pegar fogo. Assistir à zebra passeando pelos gramados é uma coisa deliciosa para secador brasileiro! Ela pode ser africana, caribenha ou nativa da América do Sul. É lindo ouvir um comentarista fechar a noite fazendo prognósticos abalizados e no dia seguinte gaguejar desculpas esfarrapadas. Os especialistas da bola estão acabando com o estoque de pomadas das farmácias, pois não param de queimar a língua.

As campeãs Espanha e Inglaterra estão fazendo o check out no hotel. A Inglaterra volta cedo para a sonífera ilha. Espanha dispensa seu elenco e Diego Costa ronda a Granja Comari com seu segundo passaporte.

Nesse sábado a zebra apareceu no Mineirão. Isso mesmo, a grande surpresa do dia foi a derrota do Irã. Durante 90 minutos o Irã resistiu bravamente contra a Argentina. Mas o juiz concedeu um acréscimo de tempo para que os portenhos ganhassem roubado. Garfados num pênalti, o Irã sucumbiu a um golzinho de Messi no final. Vamos combinar: se uma seleção não consegue fazer gol no Irã no tempo regulamentar, não merece minutos extras para buscar a vitória. É covardia! Só a Argentina pra unir o mundo cristão ocidental a favor do Irã!

Já a Alemanha toda poderosa rebolou para arrancar um empate suado da talentosa Gana. Teve que por em campo toda a artilharia da Segunda Guerra. Canhões e bazucas que estavam abandonadas foram postos em ação para derrubar os africanos.

E o que dizem os especialistas sobre Costa Rica? Nada. Eles nunca assistiram a um jogo de lá. Não se deram ao trabalho de ver Irã x Nigéria antes de afirmar que aquele era o pior jogo da História. As duas equipes se enfrentaram de igual pra igual. Uma deu trabalho à Argentina e seu juiz, a outra venceu a Bósnia e é candidata a passar de fase.

Os comentaristas devem se dar ao trabalho de acompanhar o futebol no mundo inteiro, eles ganham pra isso! Têm que ficar de olho na Costa Rica, na Nigéria, no  Irã. Não podem fazer como nós, os leigos, que só assistimos à Champions League e aos jogos do nosso time no Brasileirão – desculpe lembrar, mas ele existe e daqui a um mês voltaremos a padecer.

Essa mania de ficar falando mal do Brasil como se fosse o único favorito a jogar mal não tem nada de opinião de especialista. Me parece mais uma vontade de ressuscitar um complexo de viralata adormecido. Não somos os únicos.

Como deveria cantar a torcida:

“Eu só quero é ser feliz

Ganhar a Copa do Mundo

No país onde eu nasci…  ”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *