Passaporte carimbado

passaporte carimbado

O carioca pôde ter alguma alegria lendo o jornal de ontem. O caderno de esportes, claro, porque na política, estamos no mesmo barco que o resto do Brasil, um barco sem motor e sem timoneiro, deslisando suavemente para o brejo. Já no Brasileirão, um fato que não se via desde 2012: todos os grandes times do Rio vitoriosos numa mesma rodada da série A.

Embalados pelo bom momento que vivemos, passamos pela Ponte sem pagar pedágio. Um 2 a 0 tranquilo, controlando a partida e animando a torcida. Os gols tiveram características em comum. Ambos foram feitos por volantes, com um atacante servindo de garçom. Sinal de que o esquema montado por Jair está bem azeitado e foi digerido pela equipe. Mas, cá entre nós, quem não gostaria de ter um centro avante que marcasse uns golzinhos de vez em quando?

Na quinta-feira, o Botafogo vai à Argentina comprar alfajores, vinhos malbec e casaco de couro. É só um passeio, pois já estamos classificados. Tem gente que duvidou e zoou quando ficamos de fora da final do estadual. Agora, como disse o Pimpão depois de marcar o gol que carimbou nosso passaporte para a próxima fase, esse pessoal está reformando o sofá às pressas pra assistir ao Fogão na Liberta.

Uma passagem curiosa. Na entrada do Niltão, antes do jogo contra os vizinhos de Pablo Escobar, vários botafoguenses me abordaram pra fazer um selfie. Um deles, porém, foi diferente. O carinha veio todo empolgado, já com o celular preparado, me abraçou e, na hora do clique, lembrou: “Peraí, eu não tirei foto contigo nos outros jogos e a gente ganhou! Melhor não, melhor não.” E se afastou sem o registro. Vencemos de novo. A superstição funcionou! Dedico a vitória contra o Atlético Nacional a esse torcedor cujo nome eu nem sei.

___

Hoje é aniversário do Mendonça, que não está bem saúde. Sempre torcendo por você, meu craque!

O Globo – 23/05/17

 

31
ao todo.

Deixe uma resposta