Aproveitando o Embalo

torcida-botafogo-libertadores-2016-01-02-2017_c3yvc49vkq8h1e0ga1xrzll3x

Está na hora de mostrar por que o Botafogo é maior que o Barcelona, qualquer que seja ele. Esse, por acaso, veio do Equador, mas isso não importa. Estarei lá na arquiba, empurrando o Fogão mais um degrau acima na Libertadores.

Assinei a súmula d’O Globo no dia da estreia do Bota na Copa do Brasil. Há muito tempo o Botafogo não era tão Botafogo. Em desvantagem no placar e com um a menos em campo, empatamos e logo sofremos um pênalti. Quando tudo parecia perdido, Gatito defende e reacende a chama. O endiabrado Guilherme fecha a noite com um golaço. Vitória do jeito que a gente gosta: sofrida, improvável, desacreditada, por isso gigante.

Desliguei a tevê eufórico, pensando no peso da responsa. Assinar essa coluna equivale a entrar para a ABL – Academia Botafoguense de Letras, onde estão vários craques da caneta. João Saldanha e Sandro Moreyra formam a dupla de ataque. Vinicius de Morais, o branco mais preto do Brasil, portanto alvinegro de corpo e alma. Ainda temos Paulo Mendes Campos, Carlos Heitor Cony, Fernando Sabino…. A lista é tão extensa que até o Luís Fernando Veríssimo esconde o chimarrão em casa e diz torcer pelo Fogão. Espero que a torcida, acostumada com o alto nível dos escritores, não vá ao Procon pedir a minha demissão!

Espero vocês no Niltão hoje à noite.

O GLOBO – 2/5/17

BIPOLAR

Captura de Tela 2014-08-28 às 11.24.51

 Já sabemos. Se o Botafogo ganha uma, podemos esperar uma derrapada na próxima. As derrapadas são certas, o problema é ganhar uma…

Quando estávamos desacreditados, metemos dois no Flu que tava lá em cima na tabela. Não conseguimos manter o nível e na rodada seguinte apanhamos do Figueirense que tava no Z-4. Uma semana depois derrotamos a poderosa Chapecoense, que vem formando uma sólida freguesia entre os cariocas – bateu Fla e Flu. Três dias depois, levamos um passeio na Copa do Brasil. Ceará possível? Ceará o benedito? Ceará só imaginação?

O torcedor alvinegro tá cansado de má notícias. E olha que vinha se preparando pra um ano difícil. Mas os problemas superaram as expectativas. Salários atrasados, diretoria envolvida em escândalos, performances titubeantes… Quando o futebol voltará a ser motivo de alegria?

Em novembro teremos eleições no clube. Apoiei o Maurício Assumpção nos dois últimos pleitos e confesso minha decepção com o fim deste mandato. Temos alguns candidatos à vaga, o que é uma surpresa pra mim. Ainda bem que tem quem se disponha a comandar um clube nesse estado. A questão é como resolver a encrenca.

Onde arrumar dinheiro pra sanar as dívidas, pagar os salários, formar um elenco à altura da camisa e profissionalizar a gestão? Todos os postulantes enxergam as dificuldades e acreditam que podem nos tirar dessa. O eleitor precisa conhecer melhor as propostas, os pontos de vista precisam ser confrontados. Queria ver os candidatos à presidência do Botafogo na bancada do JN enfrentando a saraivada de perguntas do Bonner e da Patrícia Poeta. Queria ver um debate entre os candidatos, com direito à réplicas, tréplicas, xingando, metendo dedo no olho, um dizendo na cara do outro o realmente pensa, tudo dentro do maior bom gosto.

Domingo o Santos vem aí. Como perdemos na quarta, pode ser que a gente ganhe. Temos que consultar os búzios, as cartas, já que não temos grandes astros, tirando nosso goleiraço Jefferson que deve ser tombado pelo patrimônio público. Esse cara não pode sair do gol nem pra ir ao banheiro!

162
ao todo.