PETROBRAS, NEGATIVADA, PROCURA CREFISA

A roubalheira não tem limites. O pessoal do petrolão desviou várias salas da sede da empresa.

A roubalheira não tem limites. O pessoal do petrolão desviou várias salas da sede da empresa.

A situação da Petrobras tá braba.  A corrupção detonou a situação financeira da petroleira que não tem mais crédito na praça. Com a conta no vermelho há meses, a empresa vem saldando suas contas fazendo o rodízio de cartões. Seus cheques borrachudos estão voltando e os agiotas já avisaram que vão botar o nome da firma no SPC. A saída foi procurar uma financiadora que empresta a juros extorsivos para servidores, aposentados, pensionistas e empresas negativadas que estão no buraco.

O conselho de administração promete reagir e vai distribuir volantes da Mega-Sena para seus acionistas tentarem a sorte no jogo.

Uma sonda foi instalada no mar de lama, a broca já atingiu o pré-sal e até agora nem sinal da grana desviada.

A Petrobras pensa em vender seus imóveis e alugar uma kitinete em Caxias, perto da refinaria para economizar no transporte. O problema agora é conseguir arrumar um fiador.

“O petróleo é nosso, mas a dívida é de vocês!”

TÁ FALTANDO ELÁSTICO!

Um depoimento estarrecedor. Foi como um agente da Operação Lava-Jato definiu o testemunho de Antonio Barusco Duque Youssef, CPF 171.171.171-00, que pediu para não ser identificado. Num interrogatório secreto na sede da PF, transmitido pelo Youtube, o delator explicou por que parou de roubar:

– Está faltando elástico pra amarrar tanto dinheiro!

O dedo-duro picareta correu todas as papelarias do Planalto Central e nada.

– O mercado de elásticos está muito aquecido, porque esse esquema de corrupção em Brasília é todo em dinheiro vivo. E não é só o dinheiro que é vivo!

Contou que, no começo, guardava a bufunfa embaixo do colchão, mas o volume ficou tão grande que passou a ter fortes dores nas costas. Então, resolveu arrumar as notas em bolinhos de cem milhões de reais. Ainda assim, não conseguiu dar jeito.

Sem saber o que fazer com tanta grana, o criminoso começou a receber conselhos. Muita gente mandava ele enfiar o dinheiro no rabo. Ele tentou, mas não deu certo.

– O pessoal não entendia: era muito dinheiro mesmo.

Com a maior cara lavada, o picareta admitiu ter recebido dinheiro sujo durante anos.

– Qual é o problema de receber uma nota preta? Prefiro ser chamado de corrupto do que de racista!