SALVE, NANDA!

Nesta semana o Brasil que foi às ruas protestar parou numa banca de jornais pra ver a Morena em outra novela. A Playboy já anunciou que está em seus capítulos finais e agora botou o Ibope da rapaziada pra subir, mostrando a gostosa da Nanda Costa peladona. Mas o povo anda realmente muito revoltado, nada mais agrada às massas. Um simples ensaio fotográfico de uma boazuda provocou uma verdadeira revolta popular. Uma horda de baderneiros saiu depredando bancos, pichando carros, saqueando lojas só porque a Nanda Costa não aceitou fazer merchandising da Gilette.

As fotos da atriz provocaram uma polêmica cabeluda e serviram de desculpa pra muito marmanjo chegar em casa com sua revista em punho.

–       Querida, eu só comprei porque tá todo mundo falando! Eu não podia ficar desenturmado nas conversas lá do boteco.

E assim levava o exemplar para a biblioteca do banheiro.

No twitter e no facebook  surgiu um emaranhado de críticas e ironias, gente com espírito de madeireiro, exigindo a todo custo a devastação da mata atlântica da Nada Costa. Comentários nada adequados aos tempos ecologicamente corretos que vivemos. A atriz mostrou como tem pentelho nesse mundo. Esse tipo de censura é natural quando vindo das mulheres. Afinal, elas estão sempre prontas pra achar defeito umas nas outras.

Mas alguém que se considera macho ficar falando mal da relva feminina, faça me o favor! Isso é coisa de cabeleireiro frustrado, de jardineiro fracassado. Um sujeito que tem nojinho da cabeleira frontal de uma moça não merece respeito. Tá certo que muitos homens curtem uma pelada, mas é preciso saber apreciar a diversidade. Louras, morenas, ruivas, fios longos ou aparadinhos, lisos ou encaracolados, os pelos têm o seu valor. Temos que preservar a multiplicidade de estilos e tendências, evitar que todas sejam iguais perante a lei.

Abaixo a ditadura depilada! Não podemos aceitar que o visual da xoxota seja padronizado. Muita gente acha que só um tipo de periquita é aceitável, aquela completamente raspada. Este visual se popularizou com os vídeos pornôs que enfatizam o enquadramento ginecológico, dirigido ao público que só consegue se masturbar vendo o útero da criatura. É preciso dar valor ao mistério, às reentrâncias ocultas, que tornam o banho de cachoeira na floresta um prêmio para quem percorreu a trilha certa e chegou lá.

Além do mais, o ensaio da Nanda Costa foi produzido em Cuba. E não tem como ir à Cuba e não ver a barba de Fidel!

* (foto by @nandacostareal)

CIRURGIA PLÁSTICA: UMA VIAGEM SEM VOLTA

labios-angelina

A mulher começa tirando uma ruguinha. Em seguida, quer reduzir a barriga sem frequentar academia ou usar aqueles aparelhos miraculosos da Polishop. Depois, afina o nariz, diminui a orelha, elimina a papada, estica, puxa, alisa e pronto, temos um novo inimigo do Batman na praça!

Algumas sonham em ter os lábios carnudos da Angelina Jolie, os olhos da Megan Fox, o queixo da Gisele Büdchen, o nariz da Sharon Stone, a bochecha da Halle Berry, os peitos da Pamela Anderson, a bunda da Juliana Paes. Como se pudessem reunir num só corpo as partes convocadas por um Felipão da beleza. Isso não dá certo nem no photoshop, mas é uma ideia cada vez mais perseguida.

Por falar em perseguida, esta é a mais nova mania – a plástica da xoxota. Não é uma xoxota de plástico, mas é quase. São mulheres que acham a sua comissão de frente repugnante. Sabemos que a fêmea gasta fortunas em vestidos pra matar as amigas de inveja. Não acredito que seja o caso da repaginada dos países baixos. Certamente são moças com vida sexual pouco movimentada e que acham que o problema está ali. Será?

Tudo bem quando contratam um Burle Marx para um paisagismo na região. Dá uma graça, às vezes com toque de originalidade. Algumas reforçam suas posições ideológicas adotando o bigodinho de Hitler. Outras, considerando que macho se amarra numa pelada, promovem uma completa devastação para desespero dos ambientalistas. Agora, daí para uma cirurgia vai uma grande distância. Nunca nenhum dos meus amigos desistiu de pegar uma criatura porque achou que ela tinha uma vagina horrível. Aliás, chamar periquita de vagina sem ser ginecologista já dá pra desconfiar.

Imagine a situação: o casal no quarto, Marvin Gaye no ipod (ou Naldo, vai saber…), champanhota gelada no balde, aos beijos começam a se despir. Quando a calcinha de renda vai ao chão, o sujeito dá um ataque:

– Nossa! Que coisa horrorosa! Eu nunca vi nada igual! Deus me livre! Que xoxota mocreia! Eu é que não ponho meu pau aí dentro nem que me paguem. Fui!- e bate em retirada sem olhar pra trás.

Você acha mesmo que o problema é dela? Na boa, esse sujeito forçou a barra pra chegar até ali por medo de enfrentar o preconceito da sociedade e do Marco Feliciano.

Vamos deixar de bobagem, meninas. Macho que é macho não repara nem quando vocês cortam o cabelo! Ele não está esperando encontrar ali os lábios da Angelina Jolie. E aprecia sem moderação.