Uma vez Flamengo…

Ontem fiz uma palestra para os sócios do C. R. Flamengo, o mais querido. A plateia eu não sei, mas eu gostei muito. Não visitava a sede da Gávea desde o velório do Bussunda, e voltar ao clube me trouxe fortes lembranças e emoções. Sou Flamengo desde criancinha. Literalmente. Quando nasci, a primeira roupa que usei foi uma camisa do Flamengo. Foi assim que me colocaram no berçário. Em quinze minutos já tinha roubado três chupetas. Meu pai, que na juventude fora atleta do Flamengo,  avisava: “Na minha casa, quem  não for Flamengo, não come..” . Como morávamos em Curitiba, havia uma concessão para torcer pelo Atlético Paranaense, também rubro-negro, e que o Seu Mauro, meu pai, dizia que era uma filial do Mengão. Tempos depois, frequentei o clube que, pelo espaço e localização, poderia ser o melhor centro de esportes do Rio de Janeiro. Eu e meu irmão mais novo aprendemos a remar na escolinha do Flamengo, mas não seguimos o exemplo do  nosso velho na paixão pela modalidade.  Eu lembro do Laildo, remador da equipe principal, um catarinense forte e burro. O sujeito era tão grande que não cabia no box do chuveiro. Ele tomava banho de um lado, saía do box, trocava e de flanco para  poder lavar o seu lado B. Eu me lembro do barqueiro, o seu Nicodemus, um negro de olhos muito azuis, e que havia sido barqueiro do meu pai,e que, por isso mesmo,  tratava a mim e ao meu irmão com especial deferência. O remo no Flamengo era punk. Para começar, uma volta completa correndo na Lagoa, só para aquecer. Em seguida, ginástica puxada. Só depois é que se ia para o barco remar. No final do treino, além de exausto, eu vinha com uma fome de leão. Remo é pra macho… Acho que não é o meu caso.  Sou federado em judô pelo Flamengo, para vocês terem ideia de como anda o nível dos atletas na Gávea. Tô brincando! O Mengão tem e sempre teve atletas legendários, grandes campeões, em diversas modalidades. Inclusive na ginástica Olimpica, com as irmãs Hipólito, Diogo e Daniella. No Flamengo jogava bola, mas , muito mal, diga-se de passagem . No Flamengo aprendi a nadar e fui atleta na Natação Master. Disparado o  pior nadador master em toda história do clube. Eu não sou pouca merda não!

Nem tudo está perdido. O Sarney está na UTI.

1 comentário

  1. Clara   •  

    Uma vez Flamengo, sempre e para sempre Flamengo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *