Minha Casa Melhor

Assistindo a Regina Casé fazendo esse anúncio do cartão Minha Casa Melhor (Caixa Econômica Federal),  fico pensando. Será que ela se dá conta do que está fazendo? Os brasileiros mais pobres, que já estão endividados até a beirola, continuam sendo incentivados pelo governo a se endividar ainda mais. Para quê? Ora, para sustentar uma política econômica equivocada onde a compra de bens de consumo só serve para sustentar as redes de varejo e a indústria de bens de consumo durável (as que forem amigas do governo, é claro) e não contribui em nada para um crescimento sustentado do conjunto da sociedade. É o consumo pelo consumo. As perspectivas da economia brasileira não são nada boas no curto e médio prazos, o desemprego já está começando, e gente sem trabalho não tem como pagar prestação, pode-se imaginar no que  tudo isso vai dar.

Mas voltemos ao reclame (antigamente, anúncio se chamava reclame). Lá pelas tantas, a Casé mostra que uma máquina de lavar roupa, que sairia por 41 reais em 48 prestações mensais, no “cartão benfazejo do governo” sai por, apenas, 20 paus em 48 vezes.

Vamos aos fatos: 48 vezes são quatro anos. Me diga qual a máquina de lavar, neste preço, que dura quatro anos. E o mais importante, essa diferença de 21 reais chama-se subsídio. As Casas Bahia e a Ricardo Eletro não vão vender máquina de lavar para ter prejuízo. Portanto, alguém paga essa diferença. Adivinhem quem. Não existe almoço grátis.

Desde que o mundo é mundo, artistas fazem comercial de qualquer coisa. Trata-se de atividade legal, tributável e supervisionada pelo CONAR. Até aí, tudo certo. É  um estratagema antigo na propaganda utilizar-se da empatia e do carisma do artista para vender um produto ou serviço. O artista assina embaixo daquilo que está anunciando. Eu mesmo já fiz muito anúncio e ganhei um bom dinheiro com isso, mas sempre fiz questão de examinar com cuidado o que é que eu estava anunciando e o que eu estava dizendo. Vivi até alguns casos engraçados e criativos. “Devido de que” a minha ideia fixa de dizer que todo gaúcho é veado, fui convidado para fazer um comercial regional da Cerveja Polar em que era sacaneado por um monte de tauras gaúchos pilchados. Só faltou ser sodomizado. Foi muito divertido. Fui também o anjo da guarda do Itaú Seguros, pinguim da cerveja Antártica e um monte de outras coisas, mas tudo com critério sobre a forma e conteúdo da mensagem. O Pelé, por exemplo, nunca concordou em fazer comercial nem de cigarro, nem de bebida alcoólica.

Aí me vem outro anúncio curioso, desta vez é o Luciano Huck  no comercial do cartão Itaú 2.0. Um cartão de crédito que anuncia uma taxa mensal de, apenas, 5,99%!!!! Catzo!!!! Nem o agiota mais avarento cobra isso!!! Cinco ponto noventa e nove por cento ao mês significa, apenas, uma taxa de 100,99% ao ano!!!! Huck “vende” esta taxa como se fosse uma benção caída dos céus. E sempre com a mensagem implícita de comprem, comprem, comprem mais, macacada!!!!

O Brasil é o único país do mundo em que o preço parcelado é o mesmo que à vista! Quer dizer o seguinte: se você  quiser pagar à vista não tem desconto, e quando o caixeiro da loja diz que é  “em n vezes sem juros, no cheque ou no cartão”, ele está mentindo, pois os juros já estão embutidos nas prestações. Ou seja, o consumidor é constrangido a se endividar e a taxas que ele nem pode negociar. Isso não é economia de mercado, nem aqui nem na China. Principalmente na China.

Mas voltando à Regina Casé e ao Luciano Huck, coitados dos nossos artistas, eles não sabem o que fazem… Ou sabem, mas o cachê compensa. E será que eles precisam disso?

Tenho dito.

Sobre consumismo desvairado e o sentido da vida, estou lendo How Much is Enough? Money and the Good Life, de Robert e Edward Skidelski. Para quem lê inglês, sai por US$ 9,99 no Kindle e US$ 10,98 no papel. Se não lê, daqui a um tempo vou resenhar a ingrisia. Vale.

13 Comentários

  1. David   •  

    Concordo c/sua otima analise e texto, o que significa que somos politicamente anti PTs.
    Os falsos comunistas do PT, nos ameaçam c/qq critica, praticando o marketing do Terrorismo politico, pois não entendem nada, e se cagam de medo da classe pensante!

    • Cleber   •  

      O Brasil não é só feito de PT.

      • Erasmo Cuoco Menico   •  

        Mas será.

  2. Betty Vibranovski   •  

    Aqui no Brasil vende-se carro financiado em 3 anos em que o valor da parcela mensal é quase o salário do comprador. Aliás, nem verificam compatibilidade de renda. Basta ter CPF e assinar o contrato, naturalmente não lido/entendido. E, claro, os juros, altos, não são explicitados ao ingênuo comprador. Muito menos as consequências em caso de atraso/falta de pagamento.

  3. Candido Cordeiro   •  

    Bom dia Marcelo.
    Na minha humilde opinião, quando você indica um produto, um profissional ou até um filme no cinema, acabamos abonando isso, ( quem nunca indicou um pedreiro “xaxixeiro” para um amigo e depois, toda vez que o amigo te encontrava o cobrava _ Porra aquele pedreiro que você indicou heim?!) – O problema que se “as personalidades” forem fazer reclames só de presta vão morrer de fome: Bancos, Cigarros_ esse já não pode mais- Telefonia? Quem em sã consciência e com o mínimo de caráter, faria uma propaganda de telefonia? – internet? Plano de saúde?
    Deve então ser pelo cachê, mas ai eu te pergunto: – Quem se submete a falar, fazer coisas que não gosta e até mesmo fingir mediante a pagamento não tem outro nome?
    Grande abraço.

  4. Telma Almeida   •  

    Concordo! Sempre fiz essas indagações em grupos de amigos! Quando analisamos as politicas econômicas de países emergentes, podemos ver claramente que o crédito “fácil” nem sempre é um opção segura para o desenvolvimento econômico social! No entanto, para nossas políticas públicas que sempre visaram resultados a curto prazo, essas postura é a que mais dá votos!!! Agora, com relação aos artistas que participam da divulgação do “progresso econômico”, acredito que muitos deles não sabem – se sabem já esqueceram – o que é sustentar uma família com R$ 678,00 ou menos, afinal o bolsa família não chega nem a esse valor!

  5. Claudia Souto   •  

    Muito bom, Marcelo! Há um tempo penso sobre isso. Bem, você foi bem tranquilo na sua crítica, eu simplesmente abomino Casé e Hulk por lucrarem tanta grana com a classe C, D e até a Z. Inclusão social pra mim é outra coisa, não isso que eles aparentam fazer.
    Ah, te indico “O que o dinheiro não compra” de Michael J. Sandel. Tô lendo e gostando. Bjs!

    • Marcelo Madureira   •     Author

      Já li Claudia,também gostei muito.
      bj
      MM

  6. Ralph Neves   •  

    Excelente o texto, Marcelo! É fácil você dizer que algo é barato, quando se tem dinheiro. O sonho da casa própria virou o sonho da TV própria, do carro próprio, da geladeira própria. É o marketing sendo “mal” usado. Abs, Ralph.

  7. Mônica   •  

    Adorei o texto e acho que os artistas em questão deveriam abrir o olho porque as pessoas não são tão idiotas quanto eles podem imaginar. Não assisto o programa do Luciano e menos ainda o da Angélica, da Regina como comediante eu até gostava, mas estou revendo maus conceitos. Não quero quero esse tipo de gente e menos ainda de idéias invadindo a minha casa. Quando posso, falo mal, lido com o público que em geral me ouve e explico porque isso ou aquilo é ruim para eles…..dever de quem estudou mais, dever de quem é honesto e dever de quem quer que as pessoas sejam pessoas e não robôs programados pelos ” espertos ” de plantão. Luciano e Cia deveriam entender que uma pessoa que não é culta não é necessariamente burra…..

  8. Celia   •  

    Nenhuma loja vende máquina de lavar em 48 vezes. Nas lojas mais populares, o máximo são 12 vezes. A máquina que aparece no comercial, de 850 reais, podem procurar na internet: a mais próxima custa 853,90 reais e é oferecida em 12 x de 71,16, o que totaliza 853,92, ou seja, NÃO TEM ACRÉSCIMO. A Caixa financia em 48 x de 20,00, ficando em 960 reais..
    A prestação é pequena, mas a família vai ter que pagar em QUATRO ANOS em vez de um ano.

  9. Ajzyk   •  

    Concordo plenamente com a opinião do escritor. Há necessidade de haver mudança nas regras financeiras do país.

  10. sergio rodrigues   •  

    Marcelo: Concordo integralmente com o seu claro e preciso comentário.

    Torcemos por sua volta à TV. Pode ser como ator ou até apresentador de telejornal. Não importa.
    Menos, é claro, nos programas da Casé e do Hulk.

    Pessoas de bom caráter e inteligentes como você fazem falta sempre.

    abraços, sergio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *