11 Comentários

  1. Alessandro Benetti   •  

    Concordo, mas faltou comPTencia e por isso ele esta de volta, democracia que compra votos não é democracia

    • hernaninfHernani   •  

      Infelizmente É democracia, sim. Quem escolhe vender o voto é o cidadão. Se se referisse ao voto de cabresto, eu concordaria, mas sua fala insinua que o cidadão se deixa levar pelas ofertas baratas dos candidatos e ainda assim não tem culpa.

  2. Samarone Ferreira   •  

    Madureira, não sou cego o bastante para não ver que a intervenção militar ( não ditadura ) apesar da desastrosa administração nos campos sociais e políticos teve na administração econômica um grande êxito. Recordo-me muito pouco daquela época, podem me acusar de não ter vivido o que foram aqueles anos e por isso não sei o que falo entretanto vendo o PT, PC do B, PSOL, PSDB e demais partidos de esquerda os quais as lideranças de hj lutaram para dar o golpe comunista, vejo que foi necessário. não fui perseguido, nem morto pelos militares, mas vendo principalmente as mentes ” iluminadas” do PT de hj dou graças a deus pelos militares e pela sua intervenção.

  3. Mauricio Del Manto   •  

    Madureira, concordo que uma ditadura militar é ruim, porem é a unica solução no momento, afinal estamos indo para uma ditadura comunista (que apoia o PT),com o marco civil da internet até o seu blog que critica o governo poderá sair do ar, vc ja esta fora da tv, em breve poderá ficar forad a net, ai vc vai viver de que? Fanzine como no inicio da carreira?

  4. Luiz Rogério Bastos Amatuzzi   •  

    Concordo plenamente , apesar do PT ter destruído o país , mas trocar uma ditadura por ultra é m retrocesso tremendo ! Intervenção militar nunca mais !

  5. Fábio   •  

    Não importa o sistema, democracia, socialismo, anarquismo e outros ismos. O problema é o ser humano, ele sempre vai dar um jeito de se locupletar. Sempre vai haver aqueles que se achem mais democratas, mais comunista, mais patriota, mais merecedor que os outros. E vai meter a mão na cumbuca. E phoda-se o vizinho.

  6. Márcio Luís Chila Freyesleben   •  

    Para mim, a Revolução de 64 foi necessária para impedir a implantação de um governo comunista no país.
    O governo militar cometeu acertos e erros, mas no geral, comparado com o governo do PT, foi um sucesso.
    Éramos felizes e não sabíamos!

  7. hernaninf   •  

    É impressionante como tem gente sem noção em apoiar a volta de uma ditadura no país. Madureira, eu peço desculpa por atropelar seu respeito às opiniões no seu blog, mas estamos falando de rejeitarmos uma conquista que custou tempo e sangue para ser alcançada. Não se trata das melhorias neste ou naquele setor proporcionado pela época (que diga-se de passagem, não tenho mesmo muita idéia de como era, sempre fui ruim e pouco apreciador da história do Brasil), estamos falando de liberdade. De escolher representantes a favor de nossa manifestação e reclamar quando isso não estiver acontecendo. Não estamos felizes com a situação atual, vamos nos mobilizar, fazer o diferente acontecer, mas pedir para a ditadura voltar é pedir para apanhar de novo. Nós, o povo, temos que tomar uma vergonha generalizada na cara pelas nossas escolhas e ter em mente que o que quer que aconteça lá em Brasília tem o nosso parecer nas urnas, com apoio ao colega do bairro que se candidatou, com a simpatia de um artista ou atleta, com a obtenção de favores.

  8. Michel Marezi   •  

    Ditadura nenhuma presta…mas como eu vejo as coisas e como esse Pt conduz a coisa fico com medo de logo ter uma ditadura de esquerda no Brasil…

  9. Naldo   •  

    Essa história de que o João Goulart foi cassado por tentar implementar reformas que desagradaram determinados setores da nação é FALSA, ele não promoveu reforma nenhuma. Falou muito em reformas, mas até o último dia o Parlamento lhe implorou que enviasse ao menos um projeto delas, coisa que ele adiou, adiou e acabou não fazendo nunca. É falso que Goulart governasse por meios democráticos. Num governo democrático, o executivo não reina como um monarca absoluto, mas obedece as leis e cede às decisões do Congresso democraticamente eleito. Goulart fez tudo o que podia para fechar o Congresso, mandou invadir com tropas militares o Estado da Guanabara, fortaleza da oposição, e prender o governador Carlos Lacerda, matando-o se resistisse (a operação falhou por um triz). Não hesitou mesmo em usar contra esse Estado o recurso stalinista da “arma da fome”, vetando, através do seu cunhado Leonel Brizola, o fornecimento do arroz gaúcho que era uma das bases da alimentação do povo carioca. Como se isso não bastasse, protegeu a intervenção armada de Cuba no território brasileiro, ocultando as provas e enviando-as, por baixo do pano, a Fidel Castro. É eufemismo dizer que Goulart tramava um golpe de Estado: seu mandato foi uma sucessão de golpes de Estado abortados. Os militares não derrubaram o presidente João Goulart e sim o CONGRESSO, democraticamente eleito, por votação favorável a sua cassação depois de tentativas sucessivas de golpe através do envio de projetos de lei ao congresso que VIOLAVAM a constituição do país. Depois que o presidente foi deposto, foi criada uma junta de militares que iria governar o país por seis meses para controlar a situação e ajudar na organização de novas eleições. Porém traindo a TODOS, os militares entenderam que os civis não teriam condições de governar o país e para evitar um banho de sangue em uma guerra civil, segundo eles, deram um GOLPE e não cumpriram o que foi acordado entre a cúpula militar e as principais lideranças políticas da época e assim tomaram o poder criando uma ditadura. Isso sim é que foi o GOLPE Marcelo, a quebra do acordo e NÃO a “derrubada” do presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *