CHARLIE HEBDO

Viajávamos por um país muçulmano quando um cartunista dinamarquês publicou cartuns fazendo graça com o profeta Maomé. O nosso guia no trajeto era um arqueólogo, professor universitário, poliglota, culto e muito educado. O curioso é que qualquer pergunta que a minha mulher fizesse o sujeito respondia para mim, como se minha companheira fosse uma criatura etérea, um fantasma. Todas as noites, enquanto o nosso barco calmamente descia as águas do Nilo sentávamos, só nós dois, para uma animada prosa. Pois então, no dia em que o cartunista publicou as piadas sobre Maomé, o professor fez um discurso indignado contra o desrespeito ao Profeta, justificando inclusive a fatwa (sentença de morte religiosa muçulmana por anátema) lançada contra o humorista infiel. Obtemperei ao cavalheiro que, na nossa civilização judaico-cristã ocidental, fazia-se piada não só com Maomé, mas também com Jesus, Moisés e até mesmo com Deus em pessoa. A sociedade não só tolerava como ria junto. Por outro lado – prossegui – o que não eu entendia, nem aceitava, era a maneira que a cultura muçulmana trata a mulher. Discutimos, argumentamos, replicamos, triplicamos e chegamos à inteligente conclusão de que vivíamos em culturas distintas, com valores diferentes e que havia de existir uma forma de convivência respeitosa. Ponto.

O atentado ao Charlie Hebdo, fora a violência explícita e injustificada, traz consigo um enorme simbolismo: o encontro da intolerância com o fundamentalismo na sua forma mais extrema. O atentado foi praticado por fundamentalistas muçulmanos, mas poderia ter sido obra de um grupo radical politicamente correto. Já devem existir alguns, afinal bestas fundamentalistas são todos farinha do mesmo saco.

Assim sendo, como humorista, e em memória das vítimas desse ato terrorista, reproduzirei aqui uma passagem que encontrei no Alcorão:

“Estava o Profeta Maomé, escondido atrás de uma duna (virado para Meca), deixando-se sodomizar por um porco. No ápice do prazer anal, o coito foi interrompido por uma pobre mulher que surpreendeu aquela cena dantesca exclamando:

  • Pelas barbas do Profeta! Seu Maomé! O que é que é isso? Dando o rabo para um porco!?

O sábio Maomé não se abalou. Calmamente virou-se para o porco, que chamava-se Jorge, e disse:

  • Joooooorge, tira.

Em seguida, o mensageiro de Alá olhou para a pobre mulher e indagou:

  • Mulher, o porco é seu?
  • Não – respondeu a criatura.
  • A duna é sua?
  • Também não – disse a fêmea impura.
  • A bunda é sua?
  • Claro que não, Profeta!

Dito isso, Maomé virou seu rosto para Jorge, o porco, e ordenou:

  • Então… Joooooorge, bota!

Mas vocês pensam que a história acaba aí? Nada disso, segue adiante.

Continuavam, Maomé e o porco Jorge, naquele vuco-vuco sem-vergonha quando, de repente, chega o grande talmudista Shmuel Ben Yacov, o rabino de Belz. Ao ver aquela cena de pederastia, não se conteve e reclamou:

  • Porra, Maomé? Que merda é essa? Você dando o cu para o porco Jorge, que eu ia justamente comer no próximo Shabat? Agora ele não é mais kasher…

A porradaria já ia começar entre judeus e muçulmanos quando, subitamente, apareceu Jesus Cristo em pessoa para resolver aquele conflito religioso:

  • Ô Shmuel, deixa isso prá lá. Desencana desse porco… Vem comigo que a minha mãe arrumou uma turma de garotinhos do Colégio Santo Inácio pra chupar o nosso pau…”

Pronto, fundamentalistas, podem vir me pegar. Eu espero vocês com o meu Kalashnikov A-47 devidamente carregado.

E tenho dito.

68 Comentários

  1. Ed Gonçalves   •  

    Marcelo admiro seu trabalho à tempo, e achei uma barbaridade o atentado na Charlie habdo , mas busquei conhecer o trabalho dos cartunistas , e de fato, qual é a graça de tentar ridicularizar uma religião, achei meio fora de propósito, temos muitas formas de fazer humor, e atacar a crença dos outros pra mim é apelação . Esta é minha opinião, um forte abraço e que Deus abençoe vc sua família e seu trabalho!

    • Kamilla Duarte   •  

      Concordo plenamente Ed Gonçalves, o direito de um termina onde começa o direito do outro… É claro q nada justifica um ataque terrorisra, mas é necessário saber respeitar o outro, e isso inclui respeitar a religião do outro.

      • Marcelo Madureira   •     Author

        KAMILLA , RELIGIÃO , QUALQUER UMA , É UM ATRASO PARA A HUMANIDADE.
        BJ

        • Eliezer   •  

          Sua sorte, Marcelo, é que existe idiotice. E se existe, pode ser dita!

        • Guilherme Araújo   •  

          Marcelo, Concordo com você que a Religião é um atraso para humanidade, mas, se a religião não existisse, o que seria das pessoas pobres de “espirito” que só tem boa índole por que tem medo da famosa “mão pesada de Deus”?
          Eu hoje, acho a religião necessária para pessoas de pouco conhecimento, que se acalma com qualquer resposta.
          Também acho que posso ter uma visão limitada de futuro, por que, não o vejo.

        • Plinio   •  

          Marcelo… Esse é sua opinião, que eu respeito. Mas isso não te dá o direito de ofender a quem pense diferente. Uma coisa é usar a liberdade de expressão para denunciar massacres de pessoas em nome da religião como o Estado Islâmico está fazendo, outra coisa é ofender e ridicularizar a fé, mesmo que absurda, de uma pessoa ou grupo de pessoas. Marcelo, vamos fazer uma analogia, digamos que eu trabalhasse com sua esposa, mãe ou alguém que você goste. E eu passasse a observá-la e fizesse uma charge e colocasse no Facebook. Toda semana uma piadinha sobre ela …. Eu creio que chegaria o ponto de você me procurar e dizer que não estaria gostando daquilo. Mas mesmo assim eu continuasse. O que você faria? Eu creio que você ou iria me dar um soco na cara, ou iria me processar. Nada justifica o assassinato dos cartunistas, mas dizer que eles tem o direito de fazer o que quiser em nome da “liberdade de expressão”, aí já é demais.

        • Mauro Soares   •  

          Sua resposta Caro Madureira já é um ato de desrespeito, lembra da palavra LIBERDDE… então quem quer ter uma religião que tenha!!!

        • AMARILDO   •  

          MARCELO A RELIGIÃO NÃO E UM ATRASO MAS SIM UMA FORMA DE CRIAR LIMITES AO SER HUMANO,POIS SEM ELA IRIAMOS VIVER COMO EM SODOMA E GOMORRA

    • jaimepb7@gmail.com   •  

      Verdade Ed Gonçalves

  2. Matt G   •  

    Marcelo, quando seu trabalho era despolitizado e apenas imbecil (padrão “global”) era mais engraçado. Se você acha graça de determinadas coisas, isso não é culpa de sua cultura, mas de sua educação… A risada burra é o desespero do come-bosta. Salve Bussunda, mestre do rir esdrúxulo, que nunca tentou ser politizado ou anti-religionário unilaterialista para nos fazer rir. E pare de beber, pois você está inchado como o porco de sua anedota. E você não tem uma ak-47. Se aqui fosse primeiro mundo, te explodiriam também. E o Hélio pelas participações no Esquenta.

  3. Luiz Gomes   •  

    kkkkkkkkkk. RIR, como sempre. Mas ultimamente além de nos fazer rir, tem-nos feito pensar. Parabéns.
    Sou fã de vcs desde os primórdios.

  4. Harlen Veloso   •  

    Repudio o terrorismo, mas não acredito que a liberdade de expressão seja absoluta a esse ponto.

  5. Eliezer   •  

    Que tipo de “liberdade” é essa que agride, desrespeita e desmoraliza? Você teria coragem de usar sua liberdade para desafiar, frente a frente, o dono da Rede Globo? Picas! Você mexe com quem sabe que não te ameaça.

    • Marcelo Madureira   •     Author

      QUERIDO ELIEZER , LIBERDADE DE EXPRESSÃO SÓ EXISTE UMA E É AMPLA , GERAL E IRRESTRITA. NÃO TEMO A TV GLOBO NEM A FAMILIA MARINHA POIS NÃO EXISTE MOTIVO PARA TANTO. TAMBÉM NÃO TEMO VOCÊ , ELIZER. SE VOCÊ É TUDO ISSO AÍ DE CORAGEM DIGA HORA E LOCAL QUE EU APAREÇO SÓZINHO. SE VOCÊ FOR DE FORA DO RIO PODE DEIXAR QUE EU PAGO A SUA PASSAGEM. SÓ DE IDA. JESUS TE AMA. ABS MM

      • Eliezer   •  

        Quanta violência!!!! Até parece um devoto de Maomé ofendido! Você tem coragem de porra nenhuma! Sua arma é um humor desrespeitoso que se esconde atrás de uma covardia medrosa. Como falou outro participante aqui, siga os passos de Bussunda!

        • Marcelo Madureira   •     Author

          Eliezer, Jesus te ama !

          • Eliezer   •  

            Cada um adora o Deus que lhe convém. Roberto Marinho também te ama! E viva as pilhas!

          • eliezer   •  

            Em tempo, vá marcar encontro com outro. Negócio de mandar passagem só de ida. Não sou o “Jorge”!

        • Marcelo Madureira   •     Author

          Uai Elizer , arregou ?
          Jesus te ama muito !

          • eliezer   •  

            Não fique nervoso! Meu nome não é Elizer, é ELIEZER! Calma! Não se zangue! Arrocha nas pilhas!

  6. Rodrigo Cortes   •  

    Assisti sua estreia na Veja. Muito legal. É bom saber que ainda existe gente como você nesse país que está se transformando em terra arrasada, graças as ações ideológicas de meia duzia de “sabichões” escrotos e autênticos canalhas.
    Cara, num Brasil de grandes covardes você é motivo de orgulho e obrigado por falar o mesmo idioma que eu.

    Rodrigo

    • Marcelo Madureira   •     Author

      Valeu Rodrigo ! abs
      MM

  7. Tadeu Gouveia   •  

    O curioso e que, nos comentários anteriores, não li alguém defendendo a mulher ou o Jorge, trataram de defender apenas aquilo que nunca viram.

    • Eliezer   •  

      E você? Só defende o que vê? Coitado, nunca vi um porco que come cú! Nem ele escapa! E a mulher que flagra o inimaginável comendo o que não existe? Resultado, não sobrou nada pra você defender.

      • iungnetosnakepit   •  

        Eliezer, vc não viu o porco que come cu, pq vc não conseguiu olhar pra tras….. KKKK

        • Eliezer   •  

          Você demonstra ser bastante experiente. Poucos são os que dão o cú olhando pra trás!

  8. Joe Mento   •  

    Continuando a história:

    … De repente diante de todos aparece uma máquina do tempo. De dentro dela sai um homem que diz que veio do futuro para conferir se a piada desrespeitosa com a memória de Maomé que contam no futuro realmente aconteceu no passado. Ao ver que era fato exigiu que Maomé parasse com aquela sodomia despudorada.

    Maomé chega no viajante do tempo e pergunta:
    _ Você sou eu?
    _ Não, grande Maomé!
    _ Eu ainda estou vivo na sua época?
    _ Não
    _ Você é meu parente próximo?
    _ Também não
    _ Você depende da minha imagem pra viver?
    _ Apenas estudo sua vida, mas não dependo
    _ O mundo viveria em paz e felicidade se a minha memória fosse respeitada?
    _ Do jeito que as pessoas são, acredito que não.

    _ Então… Joooooorge, bota!

  9. Marcus   •  

    Suas piadinhas, sim piadinhas só servem pra você porque é agnóstico ou ateu. E se a sociedade fizesse piada de sua família. No mesmo nível. Afinal na família vc acredita né. Respeito é respeito. Não importa se religião pra você é um atraso, para muros outros é essencial, é parte do viver.
    Boa colocação Eliezer, quando quer ele pensa, piada com Boni, Marinhos e etc ele não fará, nunca, não desse nível.

    • Marcelo Madureira   •     Author

      MARCUS , A RESPOSTA PARA O ELIZER SERVE TAMBÉM PARA VOCÊ. JESUS TE AMA. ABS
      MM

  10. Hamilton   •  

    Marcelo Madureira, Se um dia vc morer vitima de fundamentalista, pouuco importa se for Mulçumano, Cristão ou Judeu.. vou aplaudir! Vc é um IDIOTA. O que vc não sabe que DEUS mesmo assim vai ter pena e compaixão de vc.

    • Marcelo Madureira   •     Author

      Querido Hamilton, vamos pr partes: como ateu não acredito em Deus e , por conseqúencia na compaixão divina.
      Respeito a sua avaliação sobre a minha pessoa,e não se esqueça: Jesusu tem ama. abs MM

  11. RTV   •  

    Marcelo, nem no apogeu do Casseta e Planeta vocês chegariam ao que o Charlie Hebdo foi na superfície, em termos de provocações. Você pode zoar quem quiser na comédia, mas se quer ir tão longe assim, infelizmente haverá consequências, algumas inesperadas para o dito jogo democrático. Se eu provoco um homem de dois metros de altura, musculoso, que eu não conheço, eu corro o risco dele não ser civilizado e me encher de porrada. Porque só a porra do artista acha que pode “provocar” sem receber nenhuma resposta negativa? Um monte gente defendendo o Charlie, que zombava de minorias SIM (retratou a ministra da justiça como macaca, não somente as piadas do islam) e, com o Rafinha Bastos, que por muito menos fez uma piadinha da APAE e da Wanessa Camargo, caíram de pau. Começo a achar que isso é reflexo da nossa síndrome de macaquinhos. Quando é Europeu a gente aplaude, quando é brasileiro a gente mete o pau…

    • Marcelo Madureira   •     Author

      RTV , honestamente não entendi o seu raciocínio. Na verdade eu sou meio burro.
      abs
      MM

  12. Marcelo, nesta discussão sobre liberdade de expressão, está faltando alguém apontar para a questão da visibilidade de quem faz a piada/caricatura. Existe de TUDO na web. A questão: por que ninguém vai lá no site de videos pornô reclamar das produções com fantasias religiosas? Eu poderia listar um mundo de absurdos postados eternamente na web que jamais foram alvo da boçalidade fundamentalista!
    Outro ponto: alguém tem que explicar a atração que as pessoas religiosas sentem pela polêmica com os não-religiosos. Na minha modesta opinião, acho que algumas pessoas religiosas vivem em um profundo conflito com o próprio íntimo delas.

  13. Guillaume   •  

    Marcelo Madureira , sou grande fã do Casseta e Planeta, e teu admirador em particular, assim como também sou humorista, e em memória das vítimas desse ato terrorista, e do finado humorista Bussunda, assassinado por um misterioso pó branco, reproduzirei aqui uma passagem que encontrei nos diários de Anne Frank:

    “Estava o Bussunda, escondido atrás de uma duna na praia de Ramos (virado para Medina, isto é o Roberto Medina, de quem chupava o pau), deixando-se sodomizar por um porco. No ápice do prazer anal, o coito foi interrompido pela pobre Anne Frank, que era amante do Porco, que surpreendeu aquela cena dantesca exclamando:

    Pelas barbas do rabino Henri Sobel Seu Bussunda! O que é que é isso? Dando o rabo para um porco!? Esse porco é meu. Você sabe que não há mais alemães para comer o meu cu.
    O sábio Bussunda não se abalou. Calmamente virou-se para o porco, que chamava-se Jorge, e disse:

    Joooooorge, tira.

    Em seguida, o sodomita comediante judeu, cuja alma está coberta de um místico pó branco, olhou para a pobre Anne Frank e indagou:

    Anne Frank, o porco é seu?
    Não – respondeu a parente afastada de Michel Frank,
    A duna é sua?
    Também não – disse a lésbica, sodomita, praticante da bestialidade..
    A bunda é sua?
    Claro que não, Santo Humorista Judeu!
    Dito isso, Bussunda virou seu rosto coberto do misterioso pó branco para Jorge, o porco, e ordenou:

    Então… Joooooorge, bota, e faz um holocausto lá dentro do cu do teu judeuzinho favorito!

    Mas vocês pensam que a história acaba aí? Nada disso, segue adiante.

    Continuavam, Bussunda e o porco Jorge, naquele vuco-vuco sem-vergonha quando, de repente, chega a , mulher do Bussunda. Ao ver aquela cena de pederastia, não se conteve e reclamou:

    Porra, Bussunda? Que merda é essa? Você dando o cu para o porco Jorge, que eu ia justamente comer no próximo Shabat? Agora ele não é mais kasher Você vai ver, vou te rogar uma praga e você vai morrer com um misterioso pó branco.

    A porradaria já ia começar entre o casal quando, subitamente, apareceu Maomé em pessoa para resolver aquele conflito religioso:

    Ô Angélica, deixa isso prá lá. Desencana desse porco… Vem comigo que a mãe do meu colega Jesus arrumou uma turma de garotinhos do Colégio Santo Inácio pra chupar a tua buceta…”

    Ô Marcelo, não se ofende tá! É tudo brincadeirinha. Não apaga esta mensagem, e me arranja uma vaga no Casseta e Planeta.

    Com muito respeito, subscrevo-me

    Guillaume

    PS-1. Pronto, Mossad, podem vir me pegar. Eu espero vocês com a minha Uzi devidamente carregada.

    PS-2- Alerta de Isenção de Responsabilidade (Disclaimer): O fatos e personagens aqui narrados são fictícios, qualquer semelhança com fatos ou pessoas reais é mera coincidência.

    • Marcelo Madureira   •     Author

      Querido Guillaume , você está exercendo o sagrado direito de debochar da minha pessoa , do finado Bussunda, da viúva , da Anne Frank e o escambau. Acho seu comentário válido , lúcido e inserido no contexto. Mas quanto às suas pretensões profissionais fico em dúvida , porque falta originalidade.
      e não se esqueça: Jesus te ama.
      abs
      MM

    • Marcelo Madureira   •     Author

      GUILLAUME , VOCE EXERCEU O SEU DIREITO SAGRADO DE EXPRESSÃO ESCULACHANDO COMIGO COM O BUSSUNDA , A VIVA DELE , A ANNE FRANK E O ESCAMBAU. TÁ CERTO.
      MAS QUANTO AS SUAS PRETENÇÕES PROFISSIONAIS ACHO QUE FALTA EM VOCÊ ORIGINALIDADE.
      ABS
      MM

  14. Guillaume   •  

    Querido Marcelo,

    agradeço a tua deferência. Como teu admirador inconteste sinto-me honrado em participar do teu blog!

    Discordo dos teus comentários quanto à minha originalidade. A Historinha do Jorge faz parte do folclore popular, e todos, inclusive, você e eu, podemos, e devemos, construir em cima dela. Não tenho “pretenções” (sic) de ser um grande humorista. Só queria poder participar do Casseta e Planeta, ampliando a sua iconoclastia a territórios ainda inexplorados.

    Faço menção também a meu alerta de isenção de responsabilidade. É tudo ficção, como diria Orson Welles.

    Abraços sinceros,

    Guillaume

    PS. Em tempo, tua versão da historinha do Jorge, provavelmente seia publicada na Charlie Hebdo. A minha não. Veja o Caso Sine (L’Affaire Sine e Sine Hebdo).

    • Marcelo Madureira   •     Author

      VALEU GUILLAUME ! REALMENTE ME VALI DE UMA PIADA CLÁSSICA DE VEADAGEM. MANDE MAIS MATERIAL E VEREMOS…QUEM SABE ? COMO VOCÊ VIU NA SEMANA PASSADA , ABRIRAM UMAS CINCO VAGAS PARA NOVOS HUMORISTAS !
      FORTE E QUERIDO ABRAÇO !
      JESUS NOS AMA !
      MM

      • Guillaume   •  

        MM.

        se as vagas forem na Charlie Hebdo, acho que não me aceitariam… Só se o Maurice Sinet fosse readmitido.

        Quanto à violência a humoristas no Brasil, o C&P não teve jornalistas agredidos ou ameaçados pelos Farrapo-Talibãs do Sul?

        Avisa para o Jesus que também amo ele, mas que sou hétero!

        Dieu(donné) nous aime.

        Forte abraço

        Guillaume.

        • Marcelo Madureira   •     Author

          É VERDADE GUILLAUME , DE UMA FEITA FUNDAMENTALISTAS HOMOERÓTICOS NOS ATACARAM NO RS PULANDO DE BUNDA EM NOSSAS PIROCAS, FELIZMENTE NINGUÉM SAIU FERIDO…MAS QUE CALOR FILHA DA PUTA AQUI NO RIO !!!!
          ABS

          • Guilherme   •  

            hahahahhahahahahahahahahah

  15. Rubens   •  

    Excelente texto Marcelo! E os que tentam o ofender, liga não… no grau civilizatório deles, unica coisa que sabem para que serve é um cacho de bananas,…. … Engraçado que quando aquelas barangas do FEMEN invadiram uma missa na catedral de notre damme, com aqueles peitinhos murchos, aquela cara de mal comidas, e simularam um aborto em pleno altar, essa mesma esquerda retardada que hj tenta te apedrejar prontamente a defenderam, ou seja: para eles, a liberdade de expressão é uma ferramenta a ser usada no que os convêm…

  16. Rodrigo   •  

    As vacas andam magras hein…Eita postzinho em busca de holofotes e autopromoção…vocês ja foram melhores…

    Outra coisa, algo que você ja deveria saber….liberdade de expressão deve caminhar junta com respeito…ou é samba do criolo doido…opa…acho que essa expressão hoje em dia é racista…Mas calma aí… Tem que combater a homofobia e racismo, mas não precisa combater a falta de respeito a religião dos outros?

    Respeito é universal e deve ser aplicado a tudo, não a apenas o que nos interessa.

    • Marcelo Madureira   •     Author

      RODRIGO, JESUS TE AMA. ABS MM

  17. Ricardo Santilhana   •  

    A PRIMEIRA VEZ EM QUE USARAM O TERMO FUNDAMENTALISTA FOI NOS ANOS 80, QUANDO PALESTINOS DE ARAFAT PASSARAM A SEQUESTRAR AVIÕES. NA VERDADE AQUELES COVARDES SEQUESTRADORES DE AVIÕES ERAM QUALQUER COISA MENOS “FUNDAMENTALISTAS” DA SUA FÉ. PODÍAMOS PERCEBER LOGO A INTENÇÃO DE TAL COMPARAÇÃO.

    POR TODO O MUNDO, OS EXTREMISTAS DE QUALQUER RELIGIÃO, DE QUALQUER NACIONALIDADE, SERÃO ISOLADOS, PERSEGUIDOS, CAÇADOS, ENCARCERADOS, E FINALMENTE MORTOS. OS CRISTÃOS FUNDAMENTALISTA SERÃO ESPECIALMENTE VISADOS, POR CAUSA DA AVERSÃO DO OCULTISMO AO VERDADEIRO JESUS CRISTO. OS CRISTÃOS LIBERAIS SÃO BEM RECEBIDOS COM BRAÇOS ABERTOS, PORQUE NÃO SÃO “FUNDAMENTALISTAS” E JÁ NEGARAM MUITAS DAS DOUTRINAS FUNDAMENTAIS DA FÉ.

    NÓS, FUNDAMENTALISTAS, PRECISAMOS SEGUIR O MANDAMENTO DE AÇÃO DE JESUS EM APOCALIPSE 3:11-12, DURANTE ESTE TEMPO QUE ANTECEDE O APARECIMENTO DO ANTICRISTO.
    “EIS QUE VENHO SEM DEMORA; GUARDA O QUE TENS, PARA QUE NINGUÉM TOME A TUA COROA. A QUEM VENCER, EU O FAREI COLUNA NO TEMPLO DO MEU DEUS…”

    A DEFINIÇÃO ATUAL DE “TOLERÂNCIA” INCLUI NÃO APENAS A TOLERÂNCIA RELIGIOSA, MAS TAMBÉM A ACEITAÇÃO DA HOMOSSEXUALIDADE, DO ABORTO E DO INFANTICÍDIO. QUALQUER PESSOA QUE SE OPONHA À ACEITAÇÃO AMPLA DE QUALQUER UMA OU DE TODAS ESSAS ABOMINAÇÕES SERÁ DECLARADA “INTOLERANTE”, E FINALMENTE ESTARÁ VIOLANDO AS LEIS EXISTENTES E AS QUE SERÃO APROVADAS!

    UM VERDADEIRO FUNDAMENTALISTA É ALGUÉM QUE ACEITA A BÍBLIA COMO SENDO A ÚNICA AUTORIDADE EM MATÉRIA DE FÉ E PRÁTICA E ACREDITA QUE ELA É “DIVINA E VERBALMENTE INSPIRADA E AUTORIZADA PALAVRA DE DEUS.”

    AFINAL, QUEM SÃO OS FUNDAMENTALISTAS? QUEM SÃO OS TERRORISTAS?

    ESSE MARCELO MADUREIRA É MAIS UM QUE FALA DO QUE OUVE SEM SABER O QUE FALA. EXISTE UM ANIMAL BEM CONHECIDO QUE AGE ASSIM – O PAPAGAIO!

    QUE SAUDADE DO CHICO ANÍSIO!!

  18. Alexandre   •  

    Marcelo. Admiro muito do seu trabalho, tanto no humor quanto no engajamento político, e obviamente achei um total absurdo a ação terrorista. Não há como concordar com uma reação desse tipo, não há justificativa para isso. Porém, isto posto, o trabalho do Charlie Hebdo é recheado de desrespeito, e não só em relação à religião. Mas, tratando especificamente deste ponto, o que para você é um atraso, para outros é sagrado e deveria ser respeitado na medida correta. Humor assim é gratuito e totalmente desnecessário. Afinal de contas, qual a real necessidade de um cartunista ou humorista, que seja, usar assuntos tão delicados e importantes para outras pessoas como fonte de humor e provocação? Dá pra fazer humor com tantas outras coisas, você sabe disso. Para ter a medida exata do que representa este tipo de humor, uma pessoa em sã consciência acharia engraçado alguém fazer piada com o fato de um ente querido seu estar, por exemplo, em coma, entre a vida e a morte? A vida desse ente querido deve ser sagrada ou, no mínimo, muito importante para esta pessoa, correto? Portanto, fazer humor com uma situação dessa seria totalmente errado e descabido. Eu mesmo me indignaria com esta situação, mesmo não sendo amigo ou da família. Uma das coisas que nos fazem civilizados e nos permitem viver em sociedade tão grande e complexa, é a noção de respeito mútuo. E mesmo assim já é difícil, quanto mais deixando o desrespeito ser levado pelas nossas conveniências. E não venha me chamar de “fundamentalista”, pois eu não vou à casa de ninguém cometer algum atentado. Não serei eu, ou qualquer outra pessoa, que farei você pagar pelo que você faz, seja certo ou errado, muito menos na base da bala. Por outro lado é difícil negar que é de muito mal gosto e inconveniente, para dizer o básico, a piadinha que você colocou no texto acima, assim como muitas piadas do Charlie Hebdo. Neste ponto, eu concordo com o comentário do Harlen, quando ele diz que a liberdade de expressão não deve ser absoluta a esse ponto. E não precisamos de ninguém para dizer o que convêm ou o que não convém. Não precisamos de interventores ou censores. Qualquer ser pensante sabe até onde convém ir e onde deve parar. E tenho dito.

  19. Débora   •  

    Cá entre nós (não quero que esta conversa chegue na França), as charges da Charlie Hebdo só me fizeram ter mais orgulho dos cartunistas brasileiros (Angeli, Laerte, Arnaldo Branco, Allan Sieber…). Sinto muito em dizer isto, mas o humor da CH era muito “porta de banheiro público”, coisa de menino do colegial que precisa desenhar uma pitoca pra chocar as meninas. Mas entendo o ímpeto iconoclasta, tentar romper com o fanatismo religioso, que, na realidade, só vem servindo, ao longo da história, para separar as pessoas em castas e despertar um sentimento de superioridade (“nós/eles”), mesmo naqueles que pregam igualdade e humildade. Isto só gerou guerras e provocou incontáveis mortes, além, claro, de ter enriquecido alguns escolhidos pela mão divina. A propósito, espero que, um dia, os islâmicos radicais, que nunca devem ter lido um gibi na vida, façam como a Igreja Católica: evoluam, no sentido de parar de matar os “do contra”. E aproveito para lembrar que fé, esperança, fraternidade e bondade independem de religião. Marcelo disse que teria uma arma. Taí uma coisa da qual duvido, de entre humoristas existir algum assassino. Também duvido de que entre terroristas surja algum humorista. Para isso, é preciso, além da vocação, inteligência. O mundo precisa dos humoristas, dos artistas, dos cientistas para mudar sua visão de mundo. Sempre foi assim. Por isto, recomendo aos ímpios do humor, das artes e da ciência, a série Cosmos e o filme A vida de Brian, a melhor comédia de todos os tempos, que é uma sátira religiosa. Para terminar, deixo aqui um raciocínio lógico: Bussunda morreu aos 44 anos, durante a cobertura da Copa de 2006, a qual o Brasil vergonhosamente * perdeu, mesmo com um dream team; logo, Deus não existe. Ou, se existe, não é brasileiro. * Isso foi antes do 7 x 1.

  20. João Rosalvo   •  

    Pegou leve com os judeus, como fazem os chargistas da Charlie! Por que será?!

  21. Martiliano   •  

    E você se acha engraçado… Triste

  22. Eli Heber   •  

    Sua”religião” é o humor que você considera (Também acho) imprescindível à humanidade. Convém considerar, no âmbito da diversidade salutar, que as pessoas optem por outros caminhos religiosos, inclusive cristãos.

  23. Euler   •  

    QUEM FALA O QUE QUER, OUVE O QUE NÃO QUER !

  24. MM   •  

    Homem corajoso. Em visita ao país muçulmano, cercado por eles, optou pelo respeito. Me pergunto se foi lá admirar sua cultura (obviamente, também atrelada aos costumes religiosos de outrora). Agora, protegido pelo novo anonimato, resolve praticar algo que só posso classificar como uma espécie de humor sensacionalista, buscando uma polêmica burra e infantil. Pior que ainda tem gente que o exalta e ainda pode servir de exemplo para um ou outro sem-talento se sentir abençoado.
    Te faço uma proposta: pago sua passagem e você volta ao país muçulmano com um megafone e um tradutor e conta sua piada em praça pública. Se alguém rir, é humor. Se não, pelo menos a gente ri das consequências.
    E pare de sujar o bom nome do ateísmo com sua imbecilidade. Aos ateus faltam deuses, não criatividade.

    • Marcelo Madureira   •     Author

      MM se você tiver coragem de sair do armário do anonimato, eu respondo a você.
      Jesus te mama.
      MM

    • Marcelo Madureira   •     Author

      Prezado Teófilo, percebo que não percebes uma ironia. Lamento. Outra coisa: nós, ateus, não temos porta vozes , portanto arrume outro emprego. E , por último, jamais me escondi no anonimato. Sou uma pessoa pública , qualquer um sabe o que faço e onde me encontrar. E fique em paz pois…Jesus te ama.
      um beijo…de língua bem lambido.
      Sieg Heil !
      MM

      • MM   •  

        Que que estou fazendo? Batendo boca com Casseta na internet? “Meu Deus”, como estou decadente… Veja bem, estou sendo irônico (vai te fazer bem conhecer a Lei de Poe). Grande abraço, e evolua um ponto além desse humor recalcado, que, além de chato, é bobo (portanto, medíocre).
        Maomé te ignore

        • Marcelo Madureira   •     Author

          Aí negão ?! Peidou ? Chicken ! Chicken !

          • MM   •  

            Não, de repente, me baixou uma certa melancolia de estar aqui meio como chutando as maçãs de barraquinha de um pai de família, enquanto ele desesperado tenta evitar que elas amassem. De repente, me senti como o terrorista capaz de causar um estrago invisível na moral de um homem comum que, como eu, comete erros. Poderia prosseguir indefinidamente, mas nenhum de nós dois ganharia nada em troca (você está preguiçoso demais para eu sequer vê-lo como adversário numa batalha de puro sadismo psicológico). Você deu a sua mensagem, eu dei a minha. Acho justo que permita que respondamos. Vá em paz, pois meia palavra basta a bom entendedor e o verdadeiro livro sagrado da vida é uma coletânea de palavras e frases colhidas nos momentos e horas mais oportunos. Vou deixá-lo com uma que considero mais o seu perfil e que deixei no lugar adequado:

            “No banheiro masculino,
            Não destroce os tratos finos;
            Se o intelecto permite,
            Menos picas, mais versinhos.”

            Agora você termina com um comentário jocoso e seguimos com os entendimentos um pouco mais próximos.

          • Marcelo Madureira   •     Author

            Agora sim , gostei da resposta elegante e inteligente.Me pegou !
            Receba o meu respeitoso abraço,
            MM

  25. Alberto Dalla Costa Neto   •  

    Marcelo, sou seu fã faz muitos anos, aprecio o bom humor como apreciamos uma boa garrafa de vinho, com os amigos, para rir e esquecer um pouco as porradas da vida mas a preocupação de religiosos com uma revista de humor que vai ou não escrever algo esculachando o seu Deus protetor, é tão preocupante quanto uma pessoa que vai na farmácia degustar a melhor vaselina para ser comido, totalmente preocupante (risos) e muitos comentários agressivos são tão necessários quanto um cinzeiro em uma moto, continue com seu bom humor, e como já dizia aquela frase famosa da Seleções de Reader´s Digest “Rir é o melhor Remédio”
    Jesus nos ama.

  26. ELIANE   •  

    vc tem sorte que estamos no BRASIL Marcelo Madureira

  27. Eduardo   •  

    Marcelo ao mencionar na história as três grandes religiões você diluiu o poder da zombaria. Primeiro porque tirou o foco da razão do atentado em Paris e também porque colocando todas juntas cria-se uma falsa equivalência entre elas. Numa das respostas você disse que é ateu e sendo assim é de se esperar que ache que todas as religiões são atrasos para a humanidade e por isso tenha estendido a troça às três. Mas o que matou as pessoas na revista francesa não foi apenas o fanatismo que se poderia encontrar em outras crenças. É um fanatismo único porque é ASSASSINO. Nenhum humorista do mundo corre o risco de ter o mesmo fim dos cartunistas do Charlie Hebdo por fazer pilhéria com o cristianismo ou com o judaísmo, como aliás eles mesmos fizeram muitas vezes. Cabu, Charb, Honoré, Tignous e Wolinski nunca foram alvo nem ao menos de um banho de água benta ou de um bombardeio de hóstias. No último dia 7 os dois cretinos muçulmanos mostraram a distância que separa quem aceita e quem não aceita o jogo democrático com uma saraivada de balas.

  28. Chorge, le porquê   •  

    Porra, mas que merda: quanto patrulheiro com ciúme do toba do Maomé — um deles põe até acento em cu, exercendo seu direito de por grampinho onde já não deve ter pregas. Ok, o “cú” é dele… E o Madureira surfando nas resbostas. Certo ele.

  29. MM   •  

    Meu caro, é obrigatório o fornecimento do email para postar e, como também sou burro, forneci o correto. Mas meu nome é Teófilo Amadeus Gottfried, assim como o seu é Madureira. Diga lá, o que tem para me responder que lhe pareça tão importante?

  30. Pablo Oliveira   •  

    Coluna tão estúpida e ridícula quanto o humor do Casseta e Planeta. Lembro que vocês ficaram durante um bom tempo só falando em peido, havia até uma espécie de campanha ridícula. Ninguém ria com aquilo, é um humor ultrapassado. Sinceramente? Até o Zorra Total que é uma bosta desde que começou consegue ser melhor.

  31. Elisa   •  

    Ô Marcelo, você pegou no pé do MM só por ele usou as mesmas iniciais que as suas?? Beijão da sua fã.

  32. Ricardo Magalhães   •  

    Lamentavel esse tipo de piada.. mesmo odiando o cristianismo e concordando que a religão é um atraso.. mas simplesmente não consigo lamentar a morte desses individuos, afinal de contas eles plantaram a intriga, o que esperavam colher?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *