Desemprego no Brasil

22 milhões de brasileiros estão desempregados. Ma se a gente imaginar que metade desses 22 milhões forem chefes de famílias, e que essas famílias sejam compostas de 5 pessoas, serão 55 milhões de brasileiros passando por graves necessidades materiais. Esse é o resultado de 13 anos de governo do PT. Cadeia é muito pouco pra esses caras.

Presos em segunda instância

Ontem foi um dia muito bom para toda a sociedade brasileira. Finalmente o STF decidiu que condenado em segunda instância tem que esperar na cadeia. Desta forma, esses presos de colarinho branco, que pode contratar bons advogados, terão que aguardar na cadeia pelos recursos que eles podem interpor para tentar se livrar da condenação.

1
ao todo.

LULA PRESO!

lula-preso

Pois é pessoal, chegou o dia. Sexta-feira, 4 de março de 2016, vai entrar para História como o nosso Dia D, o dia do nosso “desembarque na Normandia”. Às seis e meia da manhã, a Polícia Federal, cumprindo determinação da Justiça, levou de forma coercitiva para depoimento Luiz Inácio Lula da Silva, D. Marisa, Paulo Okamoto (“il consigliere”), os filhos, uma nora… Só ficou o cachorro em casa. O cachorro do Lula.

Uma indagação assalta minha mente atormentada: de onde vem o dinheiro para pagar tantos advogados caríssimos?

De agora em diante que se cumpra a Lei. O Brasil vai para onde forem as operações Lava-Jato e Zelotes. De nossa parte, as pessoas de bem, temos que fazer o que nos cabe: dia 13 de março, em todas as cidades do país, vamos às ruas de forma pacífica, mas firme, exigir o fim deste governo corrupto, o encerramento deste período nefasto da nossa História, defendendo e garantindo o Estado de Direito e a Democracia, o maior patrimônio nacional.

A bola está com a Justiça, a bola está conosco e a bola da vez é o mandato da presidente Dilma Rousseff.

Em Brasília, a batata do deputado Eduardo Cunha vai assando, abrindo caminho para que seja definido o desenlace da crise política: o impeachment da presidente pelo Congresso Nacional ou a cassação da chapa Dilma/Temer pelo STE. Tanto faz.

Acompanho pela TV os acontecimentos e vejo com preocupação o país dividido na porta do edifício onde mora Lula da Silva e no saguão do aeroporto de Congonhas na frente da sede da Polícia Federal onde os investigados prestam depoimento. A disseminação desses confrontos pelo país seria a derradeira “contribuição” do lulopetismo à política brasileira. O “nós” contra “eles”, as “elites golpistas” contra “o povo oprimido e explorado”. Era só o que faltava, mas faço fé que o povo brasileiro não embarca nesta canoa furada.

Isto posto, vem o Day After, o dia seguinte. Desaparelhado o Estado, até então ocupado pela quadrilha lulista, o Brasil vai poder fazer a real avaliação de como ficou o país. Vamos ter uma exata noção da verdadeira situação nos cofres públicos. Além da Petrobras, virão a Eletrobrás, o BNDES, a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil, os Correios, os Fundos de Pensão, enfim, onde existir um tostão de dinheiro público lá estarão as impressões digitais do lulopetismo gatuno.

Eu não tenho a menor ilusão. O resultado dessa contabilidade mafiosa vai trazer à tona um prejuízo tremendo, de dimensões inimagináveis. A conta chegou e somos nós, nossos filhos e nossos netos que teremos que pagar essa conta. Como eu já disse, tempos atrás no Manhattan Connection,  em 2010, serão necessárias gerações para o Brasil se recuperar.

Mas que remédio? Só nos resta arregaçar as mangas e começar os trabalhos de recuperação do país.

E por que não aproveitar o momento e as lições desta tragédia que nos abate para fazer modificações estruturais de que tanto precisamos: reforma do Estado, reforma política, reforma fiscal, reforma previdenciária, acabar com os “privilégios”, as “vantagens”, as “estabilidades” e os nefastos “direitos adquiridos”, enfim todo o atraso que se acumula no país ao longo dos séculos e séculos.

E, por último, já é tempo de adotarmos o parlamentarismo como forma de governo.

Não é pouca coisa, não parece fácil. E não é. Nem um pouquinho. São muitas tarefas, interesses de corporações terão de ser contrariados. A sociedade brasileira terá de fazer muitos sacrifícios e enfrentar enormes desafios. Mas não tem jeito. Muito menos “jeitinho”. É isso ou é isso. E mais: Deus não é brasileiro. Talvez seja argentino.

E mais um problema, outra “contribuição” do lulopetismo ao Brasil: vivemos sobretudo uma crise ética, de valores. Nossa política está corrompida. Vários segmentos importantes da sociedade foram cooptados pelo PT: artistas, intelectuais, acadêmicos, empresários, entidades representativas e… sumiram!

Faltam lideranças no Brasil. E isso é grave.

E tenho dito.

228
ao todo.

CHEGANDO HÁ POUCO DE FORA

12-02 black

Acabei de voltar de viagem. Como sempre, andei por lugares distantes e remotos da anatomia do planeta mas, mesmo assim, não consigo me desligar do Brasil. E o que foi que eu vi nos últimos dias?
Eu vi um rapaz, acusado de roubo, ser acorrentado num poste por um grupo de garotos de classe média no Flamengo. Eu vi as imagens de um outro rapaz, também acusado de crimes, ser assassinado, à queima-roupa, em Belfort Roxo, Rio de janeiro. Também vi um deputado federal petista tentar desmoralizar o presidente do STF Judiciário. Por último, eu vi um jornalista da TV Bandeirantes ser assassinado, no exercício de sua profissão, cobrindo uma manifestação de rua.
Estranho país o Brasil.
Derrotamos uma ditadura, lutamos por eleições diretas, pela anistia e pela Constituinte. E ainda defenestramos um ex-presidente corrupto usando como arma a Democracia. Massivas manifestações populares, ordeiras, representativas, soberanas, alegres e criativas onde ninguém escondia a cara, mascarado, nem provocava quebra-quebra. Sonhávamos com um Brasil melhor. Doce ilusão.
Em que tipo de sociedade nossos filhos vão viver?
Quais serão os valores vigentes nesta sociedade?
Quais são os sonhos, as utopias, da nossa juventude? O consumo desvairado do funk ostentação?
É preciso investigar a fundo a quem interessa o movimento terrorista dos Black Blocks , cujo único objetivo é afastar o povo ordeiro dos protestos. É preciso derrotar o Black Block. É preciso acabar com esta história de fazer justiça com as próprias mãos, desacreditando o aparelho de Estado. É preciso que parlamentares (e ex-presidente) se deem ao respeito e entendam o que significa a independência e equilíbrio entre os poderes da República.
Tudo isso que estamos assistindo é o resultado de anos de governos inescrupulosos, cujo único objetivo é a permanência no poder. Governos demagógicos, populistas e assistencialistas. Governos em que os  fundamentos de uma sociedade democrática recebem o carimbo de “valores burgueses”, máscara pseudo-ideológica de Black Block, para dilapidar tudo aquilo que com tanto sacrifício conquistamos.
O Brasil está andando em marcha ré.
Há muito que a Liberdade corre perigo no Brasil. Mas não há de ser nada, estamos prontos para defendê-la. Para tanto, mais uma vez, temos a nossa arma: a ordem democrática.
E tenho dito.

264
ao todo.

COMO TEM “ZÉ” NA CADEIA !

JOSÉ GENUINO DELUBIO SOARES JOSE DIRCEU MENSALÃO CHARGE 2012

 

Os punhos fechados dos dois “zés”, o Dirceu e o Genoíno, adentrando na cadeia, como se heróis políticos fossem, só trazem confusão e desconcerto. Sequestrar a História é prática corrente no petismo.

É preciso sempre lembrar porque estes dois zés chegaram lá, no xilindró. É preciso lembrar que ambos formaram uma quadrilha para corromper o Legislativo, com o objetivo único de perpetuar uma facção no poder. Facção, aliás, cujo o único projeto político é  de se perpetuar no poder e dele usufruir, custe o que custar. E o que é pior: um projeto, na forma e no conteúdo, autoritário, populista e demagógico.

O PT e seus sequazes não enxergam a democracia como valor e como princípio. A “democracia burguesa” serve apenas para se apropriar do aparelho do Estado e lá ficar, como se  o país fosse um sindicato.

A patranha foi descoberta, investigada virou processo, e foi julgada. A todos os réus foi concedido o amplo direito de defesa. Depois das condenações, todas as manobras protelatórias foram utilizadas. Nessa epopeia passaram-se quase nove anos. Agora só resta cumprir a lei. E pagar os caríssimos advogados.

Mas não vamos nos iludir. O chefe supremo do bando continua solto e impune, como se nada fosse com ele. Aliás, como sempre.  Afinal, como na máfia siciliana, impera a lei do silêncio, a “Omertà”. Assim como livres, leves e soltos continuam Collor de Mello, Maluf e tantos outros criminosos por este Brasil afora.

“Este não é  fim. Nem mesmo o começo do fim. Pode ser, talvez, o fim do começo.” (1),  palavras de   Winston Churchill, comentando  a vitória dos aliados em El Alamein, em 1942. A vitória naquela batalha deveria, de fato, ser comemorada, mas não custava nada lembrar que ainda havia muita guerra pela frente.

E tenho dito.

( 1) “Now this is not the end. It is not even the beginning of the end. But it is, perhaps, the end of the beginning. “

268
ao todo.