Brasil, o país dos irresponsáveis

Enquanto o país pega fogo, a classe política mostrou que o recesso serviu para mostrar uma gigantesca articulação contra as investigações da Operação Lava Jato, a começar pela indicação de Edison Lobão para a comissão de Justiça do Senado. Um verdadeiro deboche. O país em crise profunda e os políticos só pensam em salvar a própria pele, o povo brasileiro não merecia isso.

De Leniência e Complacência

delacao

Chega a notícia de que vai ser assinada a delação premiada dos executivos da Norberto Odebrecht. Mais de cinquenta diretores daquela que já foi a maior empresa privada brasileira concordam em delatar voluntariamente todas as irregularidades e atos de corrupção que, ao longo dos anos, vinham praticando em parceria com centenas de políticos e funcionários públicos.

Quantidade astronômica de dinheiro público foi desviado, seja para os cofres dos partidos seja para aumentar o patrimônio pessoal daqueles a quem a população delegou mandato para tratar do interesse coletivo e que miseravelmente prevaricaram.

É o que chamam da Delação do Fim do Mundo, o Apocalipse, o Tsunami, que não vai deixar pedra sobre pedra na classe política brasileira, independente de partido, ideologia, seja no Executivo, Legislativo ou Judiciário.

E não tem Noé nem Arca para recolher um casal de cada exemplar antes do Dilúvio e, assim, salvar de extinção as aves de rapina, os abutres do erário, os predadores do patrimônio nacional… Quantos irão sobreviver?

Fico pensando: esse tipo de acordo não desculpa, não absolve um milímetro os executivos da Norberto Odebrecht. Durante anos, junto com outras grandes empreiteiras, foram parceiros na rapina do Brasil. Estão denunciando porque foram pegos com a boca na botija, com o eloquente batom na cueca. Não se trata de ato de civismo voluntário resultado de arrependimento, reflexão moral, revisão de valores e de pensar no Coletivo. Não, é o medo da cadeia mesmo. Continuariam fazendo anos a fio caso não fossem pegos pelas corajosas investigações do Ministério Público e da Polícia Federal. Portanto, não merecem compaixão, simpatia ou respeito, nem mesmo um mísero aceno de complacência por parte do cidadão de bem, que paga seus impostos, ganha o pão de cada dia com o seu trabalho, isso se não estiver desempregado. Desempregado por conta da corrupção, da inépcia e da incompetência de um governo bandido e seus comparsas.

Dando tudo certo, pegos, denunciados e julgados devem ser presos se condenados.

Se assim for, o Brasil em que nascemos e crescemos não existe mais. Acabou. É passado.

É passado porque não se adequa mais ao mundo contemporâneo. A transparência forçada, principalmente dos fluxos financeiros, consequência dos atentados de 11 de setembro, não permite mais a existência do dinheiro sujo da corrupção.

A política brasileira não se adequa mais a um mundo onde grande parte do capital é pulverizado. Capital depositado em grandes fundos de pensão que reúnem as economias de milhões de trabalhadores. Fundos cuja gestão não admite envolvimento das empresas com negócios escusos de qualquer natureza. Nem Marx nem Engels pensaram nisso.

O coronelismo acabou, o caudilhismo acabou. Se não acabaram, estão acabando. Tudo o que era sólido desmanchou no ar… E não é que nessa o Marx tinha razão? Pelo menos nisso…

E tenho dito.

6
ao todo.