A luta continua

“Lutar com palavras
é a luta mais vã.
Entanto lutamos
mal rompe a manhã.”Carlos Drummond de Andrade

a luta continua_web 2

O poeta queria escrever um poema denso e intenso, que causasse uma forte impressão no leitor. Seguindo as orientações de Edgar Allan Poe, escolheu para cenário um local soturno e lúgubre, um beco escuro, perto de um cemitério. E a hora seria a madrugada, bem depois da meia-noite. Mas o poeta, como todo poeta, era meio desligado e não percebeu que o local era muito perigoso e pouco policiado. Enquanto ainda estava escolhendo cuidadosamente a métrica e as rimas que usaria no poema, o poeta viu, no fundo do beco escuro, duas palavras de aspecto ameaçador. Uma era BRUTAMONTES e a outra era FACÍNORA.

Aparentemente sem qualquer motivo, o brutamontes partiu para cima dele, furioso, com os punhos cerrados. O poeta, por instinto, se desviou e conseguiu evitar o golpe. Quando o brutamontes, ainda mais raivoso, voltou para uma segunda investida, o poeta deu-lhe um pontapé no saco, atingindo com toda a força o escroto. Quer dizer, o poeta ficou satisfeito por ter atingido o escroto com duplo sentido: o escroto, a bolsa escrotal, e também aquele cara escroto, no sentido de indivíduo sem escrúpulos e desprezível. Mas aí o poeta observou que estava tergiversando, que também é uma palavra perigosa. Não era prudente ficar se distraindo com o verbo tergiversar – que também significa virar de costas – porque atrás dele, o facínora se preparava para atacá-lo com uma barra de ferro.

Nesse momento, o poeta se lembrou de que tinha trazido um Dicionário Houaiss, com capa dura, um volume medindo 31 x 22 x 9 cm e pesando 3 quilos e 700 gramas. Antes que o facínora se aproximasse, o poeta arremessou o volume. Ele pensou na hora que poderia ter tacado, jogado ou lançado o dicionário. Mas preferiu arremessar. E fez bem, porque o tijolaço atingiu com violência um dos olhos do facínora, e o supercílio começou a sangrar imediatamente. Supercílio também é uma palavra traiçoeira, pensou o poeta. Será que é assim mesmo que se escreve? Ao mesmo tempo em que pensava isso, o poeta viu que o brutamontes e o facínora ainda estavam atordoados e aproveitou para fugir dali.

No dia seguinte, inspirado pelos acontecimentos daquela noite, o poeta se inscreveu num curso de MMA, já sonhando em entrar para a Academia Brasileira de Artes Marciais.

(Publicado na Ilustrada, da Folha de S. Paulo, em 3 de maio de 2017.)

Projeto Baixorola, um sonho inacabado

baixorola_ project-web copy

Em junho de 2013 foi lançado oficialmente o Projeto Baixorola. A iniciativa contou com o apoio imediato e irrestrito de todo o povo brasileiro. Todos concordaram que a torcida canarinho precisa ter um instrumento musical com o qual se identifique, para tornar mais empolgantes e divertidos os jogos da Copa do Mundo. E é aí que entra a baixorola… Desde aquela época estamos em negociação com a Fifa e com o Ministério do Esporte. Nossa proposta é a fabricação de 500 mil baixorolas, instrumentos como este protótipo que está na foto. O instrumento será todo em plástico verde e azul. As cordas serão amarelas.

O MATERIAL E AS CORES : A baixorola será confeccionada em poliuretano e terá as cores da nossa bandeira. O arco é opcional, pois o instrumento pode ser tocado também no estilo pizzicato, apenas com os dedos.

O MATERIAL E AS CORES :
A baixorola será confeccionada em poliuretano e terá as cores da nossa bandeira. O arco é opcional, pois o instrumento pode ser tocado também no estilo pizzicato, apenas com os dedos.

O instrumento original em madeira, o contrabaixo, pesa cerca de 9 quilos e meio. Mas a versão em plástico será um pouco mais leve. Além de tornar as comemorações uma coisa do maior bom gosto, esse instrumento é muito mais seguro pois, devido ao seu tamanho (cerca de 1 metro e 90 cm de altura), os torcedores eventualmente exaltados terão muita dificuldade de arremessá-lo dentro do gramado… Lembram da caxirola? Pois é. Por esses e outros motivos estamos convencidos de que a baixorola tem tudo para dar certo e vai fazer a alegria da torcida brasileira nesta Copa.

DIMENSÕES: a Baixorola tem cerca de 1,90 m de altura, 65 cm de largura e 22 cm de profundidade

DIMENSÕES: a baixorola tem cerca de 1,90 m de altura, 65 cm de largura e 22 cm de profundidade

Infelizmente, assim como alguns aeroportos e estádios, o Projeto Baixorola ainda não saiu do papel. No momento, estamos em fase de captação de recursos e precisamos, mais do que nunca, do apoio das autoridades, da iniciativa privada e da torcida brasileira…Será que vai dar tempo de concretizar o Projeto Baixorola, pelo menos para as quartas de final? Estamos torcendo…

A QUESTÃO DA MOBILIDADE URBANA

Para levar sua baixorola para o estádio o torcedor terá que ter um pouco de habilidade, principalmente na hora de passar pela roleta do metrô ou entrar num ônibus lotado, mas é tudo uma questão de jeito. Lá pelas oitavas de final o torcedor já vai estar craque no assunto…

A baixorola, devidamente embalada e embarcada.

A baixorola, devidamente embalada e embarcada.

Mas para transportar sua baixorola em viagens aéreas a coisa complica um pouco. Infelizmente, as companhias de aviação não gostam de embarcar baixorolas. A solução é o torcedor comprar uma passagem extra para o seu instrumento e assim poder torcer em grande estilo. Um detalhe: geralmente as baixorolas preferem ir na janelinha…

Sugestão de visual mais fashion, para o torcedor elegante e antenado nas novas tendências.

Sugestão de visual mais fashion, para o torcedor elegante e antenado nas novas tendências.

95
ao todo.